viajar o mundo através de festivais

3 conselhos pra viajar pra festivais em 2019

Ano novo chegando, novos planos – ou também os planos de sempre que não foram realizados ainda. Se no seu caso os planos incluem viajar pra festivais em 2019, está no lugar certo. O Festivalando é ~profissional no ramo~ e tem alguns conselhos que podem te ajudar.

1. Amplie suas alternativas e ligue o modo explorador

Isso vale para todos os cenários, tanto os mais otimistas quanto os nem tanto. Se você já tem as condições favoráveis pra viajar para festivais em 2019 ou acha que já foi para os festivais que queria, ligue o modo explorador. Há muito mais festivais e destinos interessantes pra conhecer do que a gente é capaz de imaginar.

Quem está com a situação apertada ou sabe que não vai ser agora que aquele festival dos sonhos vai entrar no roteiro pode e deve ligar também o modo explorador. Assim, vai descobrir possibilidades que se encaixam dentro dos limites que a vida está impondo.

Os festivais que o Festivalando visitou este ano dão exemplos do que pode resultar esse modo explorador.

via GIPHY

Tá difícil pra você?

Explore o Brasil. Neste ano, por exemplo, nós fomos pra festivais no nordeste, sudeste e sul – Lolla e Popload (SP), MADA (RN) e Coolritiba (PR). Ou, então, olhe para nossos vizinhos. No início do ano fomos pra um festival estrangeiro em um destino relativamente em conta para brasileiros (Lolla Argentina).

Tá podendo?

Então se jogue nos festivais famosões da Europa. Em 2018, o Festivalando visitou o Graspop na Bélgica e Rock in Rio Lisboa. Mas não deixe de dar chance também pra festivais de menos apelo. No nosso caso, neste ano, conhecemos o Zeeltje, em um vilarejo holandês, e o Download em Madrid, ao invés do “original” no Reino Unido.

Enfim, só para deixar ainda mais claro, não quero dizer que o modo explorador implica ir a um monte de festivais, mas sim que dentro da ideia de viajar para festivais cabem possibilidades diversas.

2. Planeje-se pra valer

Viajar exige dois recursos difíceis de se obter, que são tempo e dinheiro. Na realidade em que vivemos, mais que difíceis, esses recursos (principalmente o dinheiro) também não estão ao alcance de todos de maneira igualitária, mesmo que haja merecimento.

Nessas condições, o planejamento pode deixar as coisas um pouco menos complicadas. Ele te ajuda a entender melhor as suas limitações, possibilidades e dimensioná-las em relação ao que você pretende conseguir. Com isso, dá pra ter mais clareza sobre o quê, como e quando pode ser possível realizar aquilo que você pretende.

via GIPHY

Nós criamos aqui no Festivalando um planner de viagem que dá as coordenadas nesse processo todo.

3. Acompanhe o Festivalando

Propaganda em causa própria, sim, sem nenhum constrangimento 😛 Nosso trabalho no Festivalando é dar dicas de viagem para festivais de música a partir da experiência real que temos nos mais diferentes tipos de festivais e destinos no mundo – não só aqueles que todo mundo vai e todo mundo fala, como também os que pouca gente imagina que podem ser legais.

Veja só o caso do Asuncionico, no Paraguai. Conhecemos o festival em 2015, quando os olhos de todo mundo estavam só no Lolla. Sempre que possível, ele foi assunto aqui no blog esse tempo todo. Nesta semana, quando mostramos o lineup de 2019 no Facebook acompanhado do preço do ingresso, de apenas R$ 175, um MONTE de gente se tocou de como ele é uma alternativa interessante.

Prestem atenção no que a gente fala, mores! 😀

Informar, facilitar, esclarecer, ajudar. Nós duas, Pri e Gra, criamos o Festivalando pra fazer tudo isso pra quem quer curtir festivais no Brasil e no exterior. E fazemos isso diariamente, botando a mão na massa, planejando, conversando com vocês, respondendo qualquer dúvida que chega.

Por isso, quem acompanha a gente está sempre em vantagem. E você pode acompanhar o nosso trabalho do jeito que preferir, no canal que preferir:

viajar pra festivais em 2019

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba sempre nossas dicas, histórias e novidades sobre viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Priscila Brito

Sou jornalista e melômana, não sei se nessa ordem. Coleciono ingressos de shows desde 2001. Agora coleciono pulseiras de festival e carimbos no passaporte. Sou uma das mães do Festivalando e fiz Paul McCartney falar uai no Mineirão. Só porque eu gosto de música. Nas horas vagas, faço coisas sérias e tento salvar o jornalismo.

No comments

Add yours

Deixe seu comentário