viagem para o sziget festivalMohai Balázs/Sziget Festival/Divulgação

Guia de viagem para o Sziget Festival: saiba tudo para você se planejar

É hora de pagar pra vocês uma dívida que demorou a ser saldada e finalmente entregar um guia de viagem para o Sziget Festival, que acontece sempre em agosto em Budapeste, na Hungria. Aqui no Festivalando temos uma relação meio mixed feelings com o Sziget (quando fomos, estávamos tão cansadas após dois meses de viagem e sete festivais que não tivemos muita paciência com ele, o último do roteiro), mas é impossível não reconhecer o apelo que ele tem.

Criado em 1993, o Sziget é hoje um dos maiores e mais internacionais festivais da Europa. Em média, atrai quase meio milhão de pessoas de mais de 90 países ao longo de sete dias. O lineup é sempre um dos melhores do verão europeu. Como se não fosse o bastante, o cenário é uma das cidades mais lindas da Europa e também uma das que tem o melhor custo para o bolso dos brasileiros.

Guia de viagem para o Sziget Festival

Em linhas gerais, esse guia de viagem para o Sziget Festival vai te dar uns toques sobre como definir a duração da sua viagem (ele obriga um cuidado maior nesse sentido), dicas para economizar no ingresso, além de coordenadas gerais para definir hospedagem, montar o roteiro e bolar seu orçamento de viagem.

Duração da viagem: quantos dias de viagem para o Sziget Festival + turismo?

O Sziget Festival dura sete dias. Ao comprar ingressos (mais detalhes no próximo tópico), você tem a opção de comprar entradas para os sete dias, para cinco, para três ou para um dia.

Fora o festival, é preciso separar dias exclusivamente para você passear e conhecer Budapeste (ou ir além, como os tópicos seguintes vão mostrar). Afinal, esta não é uma viagem para o Sziget Festival simplesmente, é uma viagem para a Europa! Para fazer as coisas com calma, é considerar pelo menos uns três ou quatro dias para turismo.

Não pense que dá para conciliar o festival com passeios em um mesmo dia. Mesmo o Sziget não exigindo deslocamentos demorados, você não vai conseguir curtir nada direito. Vai sair pra passear e ficar olhando pro relógio toda hora pra não perder aquele show às 15h que você tanto quer ver. Eu e Gra tentamos fazer isso e simplesmente não deu! Só fomos conhecer Budapeste depois que já não tínhamos mais compromisso com o festival.

Possibilidades

Em resumo, se você quiser curtir todos os sete dias do Sziget e apreciar Budapeste do jeito que ela merece, talvez tenha que ficar pelo menos 11 dias na cidade. Nós ficamos 15 dias lá (fominhas, haha). Mas como os ingressos dão acesso a uma quantidade diferente de dias do festival, você tem alguns arranjos possíveis:

  • 7 dias de Sziget + 4 dias de turismo = 11 dias de viagem
  • 5 dias de Sziget + 4 dias de turismo = 9 dias de viagem
  • 3 dias de Sziget + 4 dias de turismo = 7 dias de viagem
  • 1 ou dois dias de Sziget + 4 dias de turismo = 5 ou 6 dias de viagem

O tamanho do seu orçamento pode ser o fator mais determinante para definir qual dos arranjos será melhor. E lembre-se de incluir em cada uma dessas combinações mais dois dias para os voos de ida e volta. Como o tempo de viagem é longo, com conexões inclusive, eles não contam como “dias úteis” na viagem.

Ingressos: compre antes para pagar menos

Assim como alguns festivais aqui no Brasil, o Sziget faz sua venda de ingressos seguindo a lógica dos lotes. Um detalhe positivo é que a virada de cada lote é determinada ANTES do início das vendas, então você sabe exatamente quanto o ingresso vai estar custando em cada época. Basicamente, é assim:

  • De novembro a janeiro: early bird (lote promocional)
  • De fevereiro a abril: preço base
  • De maio em diante: full price (o mais caro de todos)

A diferença de preço do early bird pro full price no ingresso de sete dias pode chegar a 100 euros (cerca de R$ 400!). Portanto, planejar-se para comprar com antecedência pode te fazer economizar um bocado de dinheiro. Naturalmente, os preços variam de ano a ano, mas, em média, tem sido assim:

  • Cerca de 300 euros para o ingresso de sete dias (parcelado em até quatro vezes com juros)
  • Cerca de 250 euros para o ingresso de cinco dias
  • Cerca de 200 euros para o ingresso de três dias
  • Menos de 100 euros para o ingresso de um dia

E não se esqueça que será cobrado IOF (imposto sobre operações financeiras) de 6,38% sobre o valor final da sua compra. Este é o imposto cobrado quando você faz qualquer compra internacional com cartão de crédito emitido no Brasil.

expansão global do sziget

Bence Szemerey/Sziget/Divulgação

Hospedagem: camping ou hotel?

O Sziget Festival tem camping. Do ponto de vista da logística, não há tanta necessidade assim de acampar. Ele acontece numa área muito bem localizada de Budapeste, a Old Buda Island, uma ilha no Danúbio servida pelo sistema de trens, Ir e voltar todos os dias é fácil e barato. Na volta, não precisa ter pressa ou medo por estar de madrugada. Há linhas noturnas do transporte público e a cidade é segura, muito diferente da realidade que vivemos aqui no Brasil.

Porém, entretanto, contudo, todavia, o camping pode ser uma opção financeira inteligente se o seu orçamento estiver muito limitado. Ao acampar, você elimina o gasto com hotel nos dias de festival. Os ingressos de três, cinco e sete dias te dão o direito de ficar no camping do festival sem custo algum. O máximo que você vai precisar é comprar um locker (cerca de 30 euros) para deixar seus pertences mais valiosos.

O problema é que o camping livre é meio zoneado. Eu e Gra chegamos a pensar em ficar umas noites lá, mas ele era muito desorganizado. Mas há também várias categorias mais arrumadinhas de camping, com serviços adicionais, que você pode comprar para ter acesso. Mesmo pagando, algumas delas podem ficar mais baratas que um hotel.

Se você prefere ou pode pagar pelo hotel, opções não vão faltar. O legal é ficar mesmo nos bairros mais turísticos, de onde você terá transporte fácil pra chegar no festival e acesso rápido aos pontos turísticos de Budapeste. Já dei um monte de sugestões de onde ficar em Budapeste, junto com as coordenadas pra usar o transporte público pra chegar no festival.

Passagens: ai, meu bolso

Não há voos diretos do Brasil pra Budapeste. Ou seja, você necessariamente vai acabar comprando uma passagem que terá pelo menos uma conexão na Europa. Dependendo da disponibilidade de voos da cidade no Brasil de onde você está partindo, será necessária mais uma conexão dentro do nosso próprio país.

Isso quer dizer que a passagem, que normalmente já é o que mais pesa em uma viagem pra Europa, vai pesar mais ainda. Como as datas do Sziget são divulgadas com cerca de um ano de antecedência, você pode começar a monitorar logo os preços e torcer por promoções.

Pelo menos, os preços das passagens pra Europa em agosto não são tão salgados quanto em junho ou julho, que é a super-hiper-mega temporada de festivais na Europa.

onde ficar em budapeste

Fribus Mara via Shutterstock

Roteiro: o que fazer em Budapeste

Há muito o que fazer em pleno verão de Budapeste. Ao mesmo tempo, depende muito do seu gosto como turista qual é o roteiro ideal. Algumas coisas que você pode incluir no seu tempo pós-Sziget:

Muito além da Hungria: turbine a sua viagem para o Sziget Festival

Se você tiver tempo e dinheiro disponíveis, pode emendar sua viagem para o Sziget Festival conhecendo outros países além da Hungria. Opções rápidas e baratas:

  • Eslováquia: de ônibus (uma opção baratex) são pouco menos de três horas até a capital Brastislava
  • República Tcheca: de ônibus (barato idem) são cerca de sete horas até Praga  (foto). Você pode fazer também o roteiro Budapeste-Eslováquia-Praga
  • Áustria: você pode fazer um bate-volta Budapeste-Viena de trem (pouco menos de três horas também)
quanto dinheiro levar para a República Tcheca

Praga, República Tcheca. Ph: Luciano Mortula – LGM via Shutterstock

Dinheiro: quanto reservar para os dias em Budapeste?

A Gra já fez contas detalhadas de gastos durante o Sziget. Os valores sempre variam conforme o câmbio da época e também de acordo com os hábitos e exigências de cada um. Com uma média de 30 euros/dia você consegue se locomover com transporte público, fazer passeios e comer refeições em restaurantes nas áreas mais turísticas. Por outro lado, se você for muito roots e encarar qualquer coisa, pode abaixar esse valor.

Leia mais sobre nossa experiência no Sziget Festival

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba nossas dicas, histórias e novidades de viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Priscila Brito

Sou jornalista e melômana, não sei se nessa ordem. Coleciono ingressos de shows desde 2001. Agora coleciono pulseiras de festival e carimbos no passaporte. Sou uma das mães do Festivalando e fiz Paul McCartney falar uai no Mineirão. Só porque eu gosto de música. Nas horas vagas, faço coisas sérias e tento salvar o jornalismo.

2 comments

Add yours
    • Priscila Brito 16 maio, 2018 at 19:41 Responder

      Oi, Katia! Sim, Budapeste é uma cidade bastante segura. Todos os dias do festival voltamos de trem de madrugada pra casa. E a nossa amiga Paula, que nos hospedou e morou lá em Budapeste por um ano, pode vivenciar com muito mais certeza a segurança da cidade. Lá dentro do Sziget eu cheguei a experimentar um episódio de um cara me atormentando, mas apesar de ter sido lamentável eu não considero que o festival teve culpa, foi mais o comportamento reprovável de uma pessoa isoladamente, e isso pode ocorrer em qualquer lugar, infelizmente. De todo modo, reforço que eu não vejo problemas em ir sozinha. Eu mesma iria sem companhia tanto pra Budapeste quanto para o Sziget.

Deixe seu comentário