turismo musical em BruxelasBruxelas por TTstudio via Shutterstock

Roteiro básico do turismo musical em Bruxelas, Bélgica

A Bélgica não é apenas o país do maravilhoso Graspop e do adorado Tomorrowland. É também o país onde nasceu o responsável pela criação do saxofone, Adolphe Sax (pausa para a introdução de Careless Whisper, de George Michael, huahauahaue)! E a relação tão íntima entre este país e a música não para por aí. Por isso, um roteiro de turismo musical em Bruxelas é algo que nós, amantes de música, precisamos fazer.

Por isso, a proposta de hoje é um roteiro básico, para quem curte música, independente do gênero. Além de uma cultura riquíssima, a Bélgica é um país com uma bela tradição musical. Apesar de haver o peso da tradição, no país também há relevância na contemporaneidade – quem aí não curtiu Lasgo e curte, hoje em dia, Stromae? No meu caso, bom, os artistas belgas dos quais gosto talvez não sejam de gosto comum, hauahau, então deixa pra lá (Enthroned!!) hauahaua.

E o nosso roteiro de turismo musical em Bruxelas tem lojas de disco, casas de show e ainda museus. Assim como a cidade, o roteir tem atração para todos os gostos, olha só:

Le Botanique, o prédio mais lindo do circuito musical de Bruxelas

turismo musical em Bruxelas

Le Botanique By Reinhard Tiburzy via Shutterstock

Apesar do nome, este é um espaço musical.  Primeiramente, é preciso dizer que se trata de um dos prédios mais lindo que vi diante dos meus olhos em Bruxelas. Maravilhoso. Apesar de ser um lugar musical, antigamente, servia como um centro de estudos em botânica, como o nome sugere. Hoje, é uma das casas de shows belgas mais aclamadas. Além disso, é uma casa de shows, onde ocorrem quase 300 concertos por ano, em uma variedade de gêneros. Sem contar que ainda funciona como centro cultural. No Le Botanique, também há um café super charmoso e, volta e meia são apresentadas exposições e sessões de cinema.

Ainda é preciso dizer que a casa é dividida em três ambientes: um teatro, The Rotonde, onde a experiência é mesmo aquela de estar em óperas e concertos clássicos, num tom mais intimista; o bar Witloof, que é o café e também o Orangerie, o maior espaço de todos, onde rolam os grandes shows.

Por fim, uma informação importante é que essa é uma das casas mais importantes para a cena Indie local.

Onde:

Le Botanique não está tão distante do perímetro central. O acesso por metrô é fácil, é só descer na estação de mesmo nome “Botanique”. Precisamente: Rue Royale 236, 1210 Saint-Josse-ten-Noode

Bravo, café com concerto de jazz e alta propensão a jams

O café é também a sede da Bravo Big Band, um conjunto de musicistas e músicos que tocam jazz da melhor qualidade. Muitas vezes, pode-se encontrar essa banda tocando ao vivo e de graça, ou por um baixo custo. Os shows de muitas outras bandas e artistas também rolam, diariamente.

Além de ter música diaramente, o lugar possui uma atmosfera única, e também um “club de jazz secreto”, no porão da casa. Além de tudo isso, algumas vezes na semana rolam seções gratuitas de jam. Então, caso você goste de se arriscar em algum instrumento, ainda tem mais esse chamariz!

Onde:

O café fica bem no centro de Bruxelas. O endereço é Bravo, Rue d’Alost 7, Ixelles, Brussels, Belgium +32 0485 94 53 17. Lembrando que o funcionamento é se domingo a domingo, com horários diferenciados.

Palais des Beaux-Arts, ou Bozar

turismo musical em Bruxelas

Bozar by Leonid Adronov via Shutterstock

Este é sem dúvidas um dos lugares mais legais de Bruxelas, pois é um centro cultural feito para colocar em pé de igualdade todos os tipos de manifestação artística. No Bozar, não tem essa de artes superiores e inferiores. Na verdade, quase tudo fica é mesmo no nível inferior, rs. Explico: o prédio tem uma arquitetura única, em que os teatros e salas de concerto ficam no subsolo!

O Bozar abriu suas portas em 1928, sendo uma das casas culturais mais relevantes no país. Desde então, oferece óperas, concertos diversos, exibições culturais, dança, cinema e todo tipo de manifestação artística. Relata-ase que a acústica da casa é bem fantástica, o que relatam fazer a experiência sonora ser ainda mais interessante.

Onde:

Bozar, Rue Ravenstein 23, Ixelles, Brussels, Belgium +32 02 507 82 00

Museu dos instrumentos musicais (MIM), parada obrigatória do turismo musical em Bruxelas

turismo musical em Bruxelas

MIM Brussles By Kiev.Victor via Shutterstock

E uma das passagens obrigatórias desse roteiro de turismo musical em Bruxelas é o museu dos instrumentos musicais. Com quatro salas, entre as de exposições permanentes e itinerantes, você vai descobrir uma enorme riqueza musical. Não só se pode ver vários instrumentos e suas versões desde a invenção aos dias de hoje (como o Sax e mais outros 9 mil instrumentos), como também se pode mergulhar na história da música.

O museu também tem uma sala de concertos, e abriga shows com certa frequência. Há ainda um shopping, um restaurante bem recomendado e ainda, a famosa vista de Bruxelas, do alto da torre do museu.

Onde:

Musical Instruments Museum, Montagne de la Cour 2 B, Ixelles, Brussels, Belgium +32 02 545 01 30

Juke Box, a loja de discos mais antiga de Bruxelas

Esta loja recebe o título de ser a mais antiga especializada em música em Bruxelas. Além de tradicional, a coleção de vinis disponíveis na Juke Box  é simplesmente um escândalo. São milhares de lps antigos, desde raridades extremamente raras, até títulos contemporâneos. Música de tudo que é gênero, vinda de todas as partes do mundo.

A loja é dirigida por um senhor de 65 anos, chamado Jean Pierre. Ele também é responsável por uma das maiores feiras anuais de vinil no país. A loja de Jean Pierre é simplesmente um lugar necessário para loucxs por vinil.

Onde:

Juke Box, Anspachlaan 165, Ixelles, Brussels, Belgium +32 02 511 67 51

 

Café Floreo, onde a música não para

Não se trata de apenas mais um barzinho ou parada musical neste roteiro. O café Floreo é um lugar muito aconchegante para mergulhar na noite musical de Bruxelas. Assim como o maioria das atrações neste post, o café também fica na região central, além de oferecer música boa quase todas as noites.

Assim como a própria capital, o café abre espaço para uma série de manifestações musicais diferentes:  jazz, soul, funk, hip hop e também vários DJs fazem a música acontecer no local. Às quintas, rolam sessões de jam entre a audiência e também músicos convidadxs. E estamos falando de um dos programas mais informais e mais baratos da lista do turismo musical em Bruxelas. Também pode ser um dos mais divertidos.

Onde:

Café Floreo, Rue des Riches Claires 19, Centre-Ville, Brussels, Belgium

Finalmente, dicas básicas para quem vai visitar Bruxelas:

Decidiu mergulhar nesse roteiro de turismo musical em Bruxelas? A gente te dá algumas dicas super importantes para você já chegar na Bélgica preparadx. Além disso, fizemos um apanhado com os melhores lugares onde ficar em Bruxelas, aqui neste post.

Apesar de o foco deste post ser o turismo musical, não podemos deixar de mencionar uma das coisas mais legais que fizemos por lá. Trata-se do tour das cervejas Belgas em Bruxelas. É simplesmente demais!

Para planejar tudo para esta sua viagem, damos uma forcinha na organização aqui com a Central de Marcações de viagem do Festivlando. Lá tem promoções de passagens aéreas, hoteis, seguro viagem, e mais.

Por fim, caso esteja nos seus planos dar uma esticadinha em Bruges, também tem seleção de hoteis em Bruges para você.

Vai viajar pra Bélgica? Faça agora o seu seguro viagem. Muitos países europeus barram turistas caso eles não tenham o contrato de seguro viagem em mãos. Vai arriscar ou garantir que você estará amparadx caso haja algum imprevisto com a imigração, ou com sua viagem e até mesmo com a sua saúde? Aqui você pode pesquisar o melhor preço em várias seguradoras, comprar o que se adequar ao seu orçamento e ainda conseguir até 15% de desconto.

Mais passeios e excursões pra fazer em Bruxelas

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba sempre nossas dicas, histórias e novidades sobre viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Gracielle Fonseca

Não faço nada na vida sem paixão. Tanto que, pra me formar em Jornalismo, tive que fazer um TCC sobre metal, o Ruído das Minas: a origem do heavy metal em BH. Também decidi que faria o primeiro documentário no mundo sobre Mulheres no Metal, o Women in Metal, e fiz. Comecei a ir em festivais de metal internacionais em 2009. Desde então, viajar em busca da música, essa outra paixão, tornou-se um projeto profissional que hoje chamamos de Festivalando.

No comments

Add yours

Deixe seu comentário