coisas para aprender antes de viajarFoto: Poprotskiy Alexey via Shutterstock

5 coisas para aprender antes de viajar para festivais de música

Parece ser simples, e muita gente até encara mesmo como uma viagem qualquer. Mas, há muito tempo a gente bate na tecla aqui no Festivalando de que fazer um viagem para festivais exige mais preparação e planejamento e há muitas coisas para aprender antes de viajar para um evento assim. Já falamos sobre os 11 passos necessários para organizar uma viagem para festival. Já demos dicas, também, sobre como fazer um mochilão para festivais de música e até mesmo como economizar dinheiro para realizar este sonho.

Até fizemos 4 ferramentas indispensáveis para você planejar a sua viagem para festival. Entretanto, aqueles posts e as ferramentas são para quem já está [email protected] e vai colocar a mão na massa do plano de viagem. Mas e as pessoas que ainda não se decidiram? E aquelas que não sabem ao certo se estariam preparadas para tal aventura?

É preciso ter em mente algumas coisas antes de se pensar em fazer uma viagem para festival. Assim, o texto de hoje é importante para quem ainda está indeciso, pois ele dá ‘a real’ sobre esse tipo de viagem. Viajar para festival vai exigir de você um aprendizado sobre a sua própria personalidade, seus objetivos de vida e seus limites.

1#Aprender a definir objetivos de vida

planejar viagem

Foto: photobyphotoboy via Shutterstock

Antes de todo o oba oba, você já se perguntou: por que eu quero viajar para um festival de música? Esta pergunta é crucial. A primeira coisa que deve ser feita antes de qualquer outra. Viajar para festivais de música é maravilhoso. Nós somos suspeitas, pois já defendemos muitos motivos pelos quais achamos que se deve viajar para festivais. Porém, você deve se perguntar se esses motivos fazem sentido para VOCÊ.

Viajar para festival pode ser algo mais trabalhoso, mais caro e ainda pode demorar mais tempo para planejar do que outras viagens. NÃO estou dizendo que sempre É, mas PODE acontecer. Assim, você precisa realmente gostar de música. Sobretudo, precisa gostar de festival de música ou daquilo que o o define. Precisa saber se a experiência que em geral é proporcionada em um festival de música combina com a sua personalidade.

Quando você diagnostica esse amor e atração insuperáveis pelos festivais de música, daí é preciso se perguntar se compensa ir atrás deles em qualquer parte do mundo. Ou melhor, se compensa fazer deles o objetivo de uma viagem de férias, por exemplo. Você é do tipo que ficaria mais feliz descansando em uma praia, e pronto? Ou você é do tipo que gostaria de descansar na praia, sim, mas, ao mesmo tempo, curtir uma boa música e as atrações de um festival? Ao viajar para festival, tudo se torna possível. Isso só depende de você e do que traça como objetivo.

Entender que viajar para festival de música é também turismo é essencial, pois assim você amplia muito os seus horizontes e pode se descobrir em experiências que nunca havia imaginado.

2#Aprender a ser independente

Não existem muitas agências de turismo fazendo viagens para festivais de música; as que existem, infelizmente ainda cobram preços muito fora da realidade da maioria das pessoas. Por isso, aprenda desde agora que você vai precisar ser independente. Desde o planejamento até a execução da sua viagem. Não significa que você não terá ajuda. Afinal, o Festivalando está aqui para isso. No entanto, toda a atitude para a realização de uma viagem para festival precisa partir de você.

Esperar que algum amigo um dia possa se interessar em ter essa experiência com você pode ser um pouco arriscado. Na verdade, viajar para festival, ou fazer turismo musical é algo que está pouco claro para muita gente. A maioria das pessoas ainda prefere ir para a praia descansar e nada mais. Poucas sabem, por exemplo, que podem ir para um dos maiores festivais de música eletrônica do país, o Universo Paralello, e ainda aproveitar as belezas de uma das praias mais legais do país.

Para viajara para festival, assim sem a companhia das amizades, é preciso também se livrar de alguns medos que rondam a ideia de viajar [email protected]. Você precisa se libertar deles, e a gente fez até um guia prático e sentimental sobre isso aqui. É essencial se sentir bem para estar consigo mesmo, e seguro para tomar decisões e atitudes.

3#Planejamento de viagem de acordo com seus limites físicos

Viagem exige certo preparo físico. Festival também. Quando você junta os dois, viagem+ festival, o preparo físico precisa ser meio que dobrado. Aprendi isso a duras penas quando cheguei direto de um voo do Brasil para um festival na Bélgica. O Graspop 2016 me ensinou que o jet lag é muito cruel em situação de festival. É preciso se programar para isso – ou para enfrentar o sono, ou para chegar com antecedência para poder descansar.

Para quem pode – em termos de tempo e grana, o ideal é chegar pelo menos dois ou três dias antes do festival. Assim, você consegue recuperar seu corpo do cansaço da viagem, adaptando-se minimamente ao novo fluxo de horários. Porém, a realidade de muita gente que viaja para festival é diferente. Falta de tempo e grana para pagar um hotel fazem as pessoas irem direto para o festival. Esta, infelizmente, é a situação mais comum. Por isso, é importante aprender que algumas coisas terão que ser sacrificadas.

É completamente possível chegar e descansar em um festival. Por mais que os campings sejam agitação e festa pura, é factível entrar para a sua barraca e esquecer do mundo para uma soneca. No entanto, isso implica em fazer escolhas. Por exemplo, escolhas sobre o que você vai deixar de ver no festival. Agora, se você não pretende perder nada, aí vai ter que saber lidar com o cansaço que vem em dobro ao final do dia. Encher a cara de energéticos pode resolver, mas é tudo paliativo. Além disso, não é uma coisa assim muito saudável.

4#Compreender e se adaptar aos limites de uma viagem para festival

coisas para aprender antes de viajar

Foto: zeljkodan via Shutterstock

Bagagem limitada

Há vários limites nesta viagem. Por exemplo, o limite de bagagem: Se você pensa que vai sair por aí carregando aquela mala de rodinhas gigantesca em pleno gramado de um festival, saiba que muitas coisas podem dar errado. Pode haver lama, sua mala pode quebrar e pode não haver espaço suficiente para você guardar o seu trambolho, pois a maioria dos lockers de festival tem espaço para valores pequenos. Por isso, você precisa aprender a levar apenas o essencial. Mesmo que você não vá acampar em um festival e vá para um hotel. Viajar para festival vai exigir mais deslocamentos com seus pertences. Por isso, uma mala gigante pode ser um problema gigante.

Turismo limitado

Há também o limite daquilo que você vai ver ou fazer na cidade onde acontece o festival, ou seja, limite do turismo. Não vai ser possível conhecer toda a cidade, ou pontos turísticos muito afastados do festival. Esse combo viagem+festival te permite conhecer um pouco dos locais , mas não adianta querer sair o expert na história e cultura deles. Não vai dar tempo. O festival em si já é um evento cheio de atividades e de coisas para se descobrir. Fazer turismo entre um dia e outro de festival é muito legal, mas você não vai conseguir fazer todos os roteiros possíveis. Não é só por conta de tempo e grana, mas pelo cansaço extremo que seu corpo pode sentir. Por isso, vá para os locais com suas expectativas turísticas mais baixas, para não acabar [email protected]

Gastronomia limitada

O outro limite é certamente o da comida. Não vai rolar de comer as melhores comidas locais durante um festival. As comidas de festival podem ser deliciosas, sim, mas na maioria das vezes elas não fazem jus à culinária local. Por isso, você precisa se contentar com o que o festival vai te oferecer. São fast foods, e comidas que foram adaptadas da culinária local para que você tenha energia e prossiga vendo atrações. Não são obras de chefe.

As comidas dentro de festival são mais caras também, apesar de não ser o que há de melhor da culinária local. Por isso, pense na possibilidade de comer algumas coisas que se pode comprar em supermercado, bem como na possibilidade de comer quase a mesma coisa todos os dias. Vale lembrar que nem sempre são encontradas opções saudáveis ou frutas e frescas, por exemplo.

5#Aprender a definir prioridades

festival de música

Rawpixel.com via Shutterstock

Depois de ler tudo o que eu disse acima, parece que viajar para festival de música exige de nós um grande exercício de definição de prioridade. E é verdade. Se há um ponto em comum em todas as lições de uma viagem para festival, é de que ela exige que a gente faça escolhas, o tempo inteiro. Não quer dizer que outros tipos de viagem não nos obriguem a fazer tais escolhas. Mas com o festival no meio do caminho – que já é ele próprio uma das prioridades, você vai ter que enfrentar mais dilemas.

O festival também acrescenta ao seu orçamento de viagem o valor dos ingressos. Por isso, uma das prioridades que precisam ser definidas de antemão são relacionadas ao que você precisa economizar ou priorizar para viajar para o festival. Quando eu comecei a viajar para festivais, ir a todos os shows de heavy metal da minha cidade tornou-se algo impossível e difícil de sustentar: por que pagar 300 reais em um show avulso, se com 400 eu vejo 15 bandas em um festival? Isso passou a ser algo definidor e cruel. Não é fácil recusar ir a tantos shows, deixar de ver apresentações que podem ter sido espetaculares. Mas se a grana tá curta, é preciso estabelecer uma prioridade.

Decisões grandes e pequenas vão fazer parte de tudo

Descansar ou ver mais pontos turísticos, comer bem todos os dias ou gastar pouco, levar pouca bagagem ou muita, fazer sua viagem de férias para um destino com ou sem festival, acampar no festival ou ficar em hotel – tudo isso vai exigir que você defina as suas prioridades. E definir prioridades significa também ter maturidade para lidar com as consequências delas.

Não significa que fiz um post regulatório, sobre o que pode ou não pode, deve ou não deve ser feito para viajar para festival. A ideia foi fazer um post para que você pudesse refletir de alguma maneira sobre aquilo que você decide priorizar. Se sua prioridade é conforto, por exemplo, talvez você perca em quantidade de festivais visitados, por causa da grana. Se sua prioridade for carregar um guarda roupa de looks diversos para o festival, vai ter que se preparar por carregar uma mala grande e pesada.

Por isso, reflita bem sobre o que você quer. E para facilitar a sua vida, conte com a gente para planejar a sua viagem. Saiba tudo sobre isso aqui.

Se decidiu? Aproveita e marca logo tudo:

Reserve um hotel
– Compre seu seguro viagem com desconto
– Ou, se preferir, compre um pacote de viagem para um festival de música

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba sempre nossas dicas, histórias e novidades sobre viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Gracielle Fonseca

Não faço nada na vida sem paixão. Tanto que, pra me formar em Jornalismo, tive que fazer com 2 colegas um TCC sobre metal, o Ruído das Minas: a origem do heavy metal em BH. Também decidi que faria o primeiro documentário sobre as Mulheres no Metal, o Women in Metal, e fiz. Foi por paixão também que larguei um emprego público, para me aventurar pelo mundo dos festivais com a Pri.

4 comments

Add yours
  1. Renan 30 agosto, 2016 at 01:09 Responder

    Olá Gra, eu tenho uma pergunta aqui que é bem dedo na ferida e não sei se você responderia. Acho que podia até ser tema para algum post seu aqui do Festivalando. Pois bem, já vi textos aqui sobre viajar sozinho, vantagens e desvantagens. A pergunta é: e quando você se planeja com antecedência, mas você tem um namorado(a) e deixa ele(a) avisado(a) dos seus planos de viajar, inclusive junto(a) com ele(a) para um festival fora do país, tudo com antecedência e planejamento, é claro. Acontece que ele(a) esquece(a) ou não gosta de lugares lotados e coisa e tal, mas você já comprou tudo e já tá de mala e cuia para o festival, e aí: vai sozinho(a) ou fica com o parceiro(a) em solidariedade ou até com medo de perder um relacionamento? Mas se você for sozinho(a) sem ele(a), pode ser que gere um mal estar e que ele(a) fique mal humorado(a) e até gere uma briga séria por causa desse motivo. Eu vou dar a minha opinião: eu viajaria assim mesmo e enfrentaria as consequências depois, já que eu me planejei com antecedência, deixei avisado(a) a ele(a) para também correr atrás e tudo mais, mas infelizmente ele(a) não cumpriu com a sua palavra. Realmente é uma situação bem faca de dois gumes, e aí?

    • Gracielle Fonseca 30 agosto, 2016 at 18:06 Responder

      Ei Renan! A minha opinião vai ser a mesma para amigo/a, namorado/a, cachorro, papagaio, todo mundo que decide que não vai te acompanhar em um festival: vc quer ir ao festival? Vá, independente de qualquer coisa! Acho que só causas extremas, como mortes de entes queridos impediriam de alguma forma a ida a um festival. Trabalho também, a gente entende. Mas esta situação que você relatou, eu iria, sem culpa nenhuma. E se a pessoa falar que o relacionamento acaba por conta da ida ao festival, é pq esse relacionamento não é saudável. Alguém está assumindo posições abusivas. Não se trata de falta de amor ou falta de companheirismo. Trata-se de cada um saber respeitar o espaço do outro, e daquilo de que cada um gosta. Às vezes também algumas pessoas buscam em um relacionamento amoroso um companheiro para tudo. Acho isso um saco. Na verdade, todo mundo não deveria ser obrigado a nada, e ser sincero, sempre. Por exemplo, nesta situação ela deveria ter dio desde sempre que não curte festival e que não iria com vc, afinal, isso implica custos grandes e esforços de planejamento para uma viagem a dois. Se a namorada não curte festival, ela não é obrigada a ir. Mas vc tb não é obrigado a ficar, sacou?

  2. Renan 30 agosto, 2016 at 18:45 Responder

    Eu também concordo com seu ponto de vista. Se você foi honesto e falou como é o seu modo de vista para a pessoa, não tem como se sentir enganada depois. Enfim, eu iria sem problemas também e depois se acabar, acabou. Não gosto de deixar de fazer algo legal só para agradar a outra parte. Ás vezes, cada escolha requer uma renúncia e a vida segue.

Deixe uma resposta

Close