como planejar um mochilão para festivais de música sziget festivalMozsi Gabor/Rockstar Photographers www.facebook.com/festivalphotographers/Divulgação

Como planejar um mochilão para festivais de música

O Festivalando nasceu de um mochilão. E não foi qualquer mochilão, foi um mochilão para festivais de música. Eu e a Gra fomos para sete festivais em seis países da Europa e de lá mesmo demos o start no blog. Nós já tínhamos viajado antes para shows/festivais fora. Também já tínhamos feito nossas viagens exclusivamente turísticas. Mas nunca tínhamos feito um mochilão nem viajado para mais de um festival de uma vez só. Como ainda não existia nada parecido com o Festivalando, tivemos que descobrir por conta própria como planejar um mochilão para festivais de música 😛

Desbravamos essa modalidade mochileira para agora explicar para você como se organizar para uma viagem desse tipo. O principal diferencial de um mochilão de festivais para um mochilão comum é que você vai ser eternamente escravo das datas dos festivais. Elas vão te obrigar a fazer muita ginástica até você conseguir montar um roteiro que tenha uma logística plausível e que, ao mesmo tempo, atenda aos seus interesses musicais e turísticos. Mesmo com tanta oferta de festivais, não é tarefa simples conseguir fazer tudo do jeito que você quer. Eu e Gra fizemos um roteiro inicial que teve que ser ajustado mais de uma vez por conta desses fatores.

A seguir eu explico pra você como planejar um mochilão para festivais de música com base nas experiências que eu tive nos dois mochilões que fiz até agora:

Europa
Dinamarca (Roskilde Festival) –> Suécia (Popegoja) –> Suíça (Montreux Jazz Festival) –> Alemanha (Resist to Exist) –> República Tcheca (Brutal Assault) –> Hungria (Sziget)

América do Sul
Colômbia (Estereo Picnic) –> Chile (Lollapalooza) –> Paraguai (Asunciónico)

Tempo, duração e custo diferenciam um do outro claramente. Ou seja, a primeira lição que temos aqui é que dá para viajar tanto com pouco quanto com mais tempo e dinheiro disponíveis. O resto é planejamento (e também antecedência no planejamento). Mais precisamente:

Explore as possibilidades de festivais

Como eu já disse e ainda devo repetir outras vezes neste texto, as datas dos festivais vão te escravizar, pois tudo é organizado em cima delas. Pode ser que você queira ir nos festivais X, Y e Z, mas vai acabar descobrindo que eles acontecem com três semanas de intervalo entre um e outro e talvez você não tenha tanto tempo ou dinheiro disponíveis para viajar por nove semanas. Ou que dois deles acontecem nas mesmas datas (na Europa, por exemplo, o primeiro e o segundo fim de semana de julho são SUPER fins de semana, com muitos festivais bombantes por toda parte). Por isso é importante você explorar as possibilidades de festivais.

Use o nosso buscador de festivais para descobrir os eventos que acontecem na região e no período que você tem disponibilidade para viajar

Você vai acabar conhecendo festivais com o seu perfil, ou que acontecem em um lugar interessante, e que você nem imaginava que existiam. Ter interesses mais flexíveis ajuda muito neste momento. É importante também que você faça isso com antecedência para ter tempo de fazer ajustes no roteiro, comprar ingressos e passagens e fazer reservas. Nós fizemos isso uns sete meses antes da viagem, mas quanto mais tempo, melhor.

 

Em sentido horário: eu e Gra na Suécia, onde não gastamos nada para ir ao Popegoja; na Dinamarca, no Roskilde, o festival mais caro que encaramos; e na República Tcheca, no Brutal Assault, tão barato que rolou até de abrir mão do camping para ficar em hotel

Em sentido horário: eu e Gra na Suécia, onde não gastamos nada para ir ao Popegoja; na Dinamarca, no Roskilde, o festival mais caro que encaramos; e na República Tcheca, no Brutal Assault, tão barato que rolou até de abrir mão do camping para ficar em hotel

 

Esboce sua rota e defina os festivais

A partir do momento que você tiver um panorama mais amplo dos festivais que rolam no período que você vai viajar, é hora de começar a esboçar sua rota para avaliar a logística e os custos com comida, transporte e hotel.

  • Ponha as datas dos festivais no calendário e veja se você tem intervalos suficientes para aproveitar a cidade e se deslocar de um país para outro. Pode ser que você tenha que cortar ou substituir um festival em função de datas apertadas
  • Veja a nossa série de posts sobre quanto custa viajar para festivais para ter uma noção dos gastos com hospedagem e alimentação
  • Use sites como o Rome2Rio para ver as possibilidades e os custos de transporte de uma cidade/país a outra(o). Considere a logística da ordem dos deslocamentos (tempo e distância) e também todos os meios de transporte disponível (trem, avião, ônibus). Para cada situação você vai achar uma alternativa mais adequada tendo em vista gastos com tempo e dinheiro

Eu e Gra fizemos um pré-roteiro um pouco diferente daquele final que eu mostrei ali em cima. No lugar da Suécia, tinha Eslováquia e Áustria. A Croácia e a Bélgica entravam em algum ponto que já não lembro mais. Só que quando fizemos uma pesquisa de preços de alimentação, hospedagem e, principalmente, transporte, foi ficando claro que certos trechos da rota simplesmente não faziam sentido. Era muito mais fácil sair da Dinamarca para a Suécia do que da Dinamarca para a Eslováquia. As datas também estavam muito apertadas nesse caso. Foi aí que decidi ir atrás de algum festival na Suécia e, por sorte, achei o Popegoja, que era gratuito.

Mais uma vez, é importante que você consiga fazer essa definição com certa antecedência para se preparar para a compra de ingressos e para as reservas da viagem.

Compre os ingressos

www.publicdomainpictures.net

www.publicdomainpictures.net

Quanto antes você comprar os ingressos, melhor. Alguns festivais são concorridíssimos e às vezes as entradas se esgotam quando a venda é aberta. Isso pode acontecer, inclusive, até um ano antes do festival acontecer, principalmente na Europa, onde as edições dos festivais são anunciadas com muita antecedência.

Leia as nossas seis dicas para comprar ingressos para festivais no exterior

Eu e Gra não tínhamos muito essa questão da antecedência em mente e acabamos nos prejudicando, tendo que fazer novos ajustes no roteiro. Tivemos que descartar o Paléo Festival (Suíça) e Rock Werchter (Bélgica) porque deixamos para olhar os ingressos uns dois meses antes. Resultado: os do Paléo já estavam esgotados e o Rock Werchter só tinha entradas diárias, muitos mais caras.

Monte seu roteiro

Lembre-se de que as datas dos festivais te escravizam. Sendo assim, o tempo que você vai poder ficar em uma cidade/país vai ser sempre definido em função das datas e do tempo de duração do festival. Tente conjugar este aspecto com as seguintes sugestões:

  • Procure chegar pelo menos um dia antes do início do festival. Em duas ocasiões, cheguei exatamente no dia em que o festival começava: no Lolla Chile e no Brutal Assault (República Tcheca). Só faça isso se você não tiver outra opção. Fiquei acabada.
  • Não tente fazer turismo nas mesmas datas do festival. Na maioria esmagadora das vezes isso não é possível. É preciso separar dias adicionais.
  • A quantidade de dias que você vai ter para fazer turismo na cidade vai variar de acordo com uma série de fatores: do seu interesse pelo local, da quantidade de coisas disponíveis para ver, do tamanho da cidade e, acima de tudo, adivinha: das datas dos festivais subsequentes. Tem que fazer ginástica para aproveitar o festival, turistar e chegar na outra cidade a tempo para o próximo festival.
  • Considere o deslocamento de uma cidade para outra na hora de separar os dias de festival e de turismo. Na maioria das vezes, mesmo que seja um deslocamento de curta duração, você vai gastar a maior parte do dia se deslocando.
  • Atente para o custo de cada cidade para definir seu tempo de estadia. Entre o Montreux Jazz Festival, em Montreux, na Suíça, e o Resist to Exist, em Berlim, na Alemanha, eu tinha um total de vinte dias. Eu poderia ter dividido igualmente o período em cada cidade, mas fiquei só cinco dias na Suíça e me debandei logo para Alemanha nos quinze dias restantes, pois meus gastos lá seriam muito mais baixos.

collage_20140825170050092

Compre as passagens

Considere as seguintes possibilidades:

  • Promoções: é bom que você tenha uma noção básica ao menos das suas datas de partida e chegada enquanto monta o roteiro para ficar com o radar de promoções de passagens ligado. Pode surgir uma boa oferta no período. Enquanto eu e Gra estávamos em processo de fechar a nossa rota, surgiu uma promoção de passagens para a Europa. Como já sabíamos que o nosso primeiro festival seria o Roskilde, na Dinamarca, no último fim de semana de junho, e como sabíamos também que uma promoção pra lá seria uma raridade, compramos as passagens nesta promoção. Compramos os bilhetes para Frankfurt, a cidade mais próxima da Dinamarca dentre os destinos disponíveis na promoção. Nos poupou cerca de mil reais. Tivemos que comprar um voo ate Copenhague, claro, mas ele custou pouco mais de 200 reais. Economizamos de qualquer jeito no fim das contas.

Crie alertas de promoções de passagens aéreas agora

  • Trajetos internos: Na sua pré-pesquisa você já vai ter se familiarizado com as possibilidades de trajeto entre uma cidade e outra: trem, ônibus, avião. Como eu já disse antes, aqui vai depender dos seus recursos e do seu perfil a escolha por qual meio você vai usar para se deslocar. Cada caso é um caso.

Na viagem para a Europa eu usei avião em dois trechos (Copenhague/Genebra e Genebra/Berlim), trem (Berlim/Praga) e ônibus (Praga/Budapeste). Nos dois primeiros casos, o esquema de companhia low cost fazia jus à fama. Já de Berlim para Praga eu poderia até gastar menos indo de low cost, mas pegaria uma conexão de umas sete horas. A viagem de trem foi um pouco mais cara, mas só durou três horas. De Praga para Budapeste, ônibus e trem gastariam o mesmo tempo para chegar, mas o ônibus era bem mais barato.

Veja como é viajar de ônibus na Europa

  • Passagem multidestinos: essa poderia ter sido uma outra alternativa nossa para o mochilão na Europa, mas avaliamos naquele momento que a promoção de bilhetes ida/volta realmente valia a pena. Mas no meu segundo mochilão, na América do Sul, acabei optando por esse tipo de compra. A diferença aqui é que você emitirá um bilhete aéreo com mais cidades que apenas a de origem e de destino. Basta você selecionar a opção “várias cidades”, “vários destinos” ou algo semelhante nos sites de companhias aéreas e de vendas de passagens em geral. Obviamente, você precisa ter as datas exatas dos festivais e do tempo que deseja ficar em cada cidade para comprar uma multidestinos.

como planejar um mochilão para festivais de música

Comprei o trajeto Guarulhos/Bogotá/Santiago/Assunção/Guarulhos. Na época, olhei por curiosidade como seria se comprasse trechos separados e vi que só o trecho Bogotá/Santiago, que caia numa data extremamente concorrida, sozinho, custava o valor que paguei por todos os trechos.

Defina suas formas de acomodação

Obviamente, você vai procurar por hotéis, hostels, couchsourfing e escolher a forma mais adequada para você se hospedar, mas lembre-se que aqui os festivais adicionam um dado novo ao processo: muitos deles oferecem algum tipo de acomodação, como acampamento ou pacotes oficiais, principalmente quando se trata dos festivais europeus. Ou seja, as suas opções aumentam.

pe de chinelo 1

Considere que:

  • Você pode optar por ficar durante o tempo todo do festival mais os dias livres em um hotel ou hostel.
  • Você pode dividir a sua hospedagem em duas formas diferentes durante o mesmo período: uma para os dias de festival e outra para os dias livres na cidade. Nos dias livres, hotel ou hostel. Nos dias de festival:
    A) Você pode acampar (quando houver esta opção no evento), o que vai reduzir drasticamente alguns custos. Se você optar pelo camping durante os dias do festival, é importante se informar sobre a disponibilidade de guarda-volumes caso você precise deixar suas coisas enquanto não parte para um hotel tradicional nos dias de turismo
    B) Você pode comprar pacotes oferecidos pelos festivais. Só vale, é claro, para os dias de evento. Você deve checar se esse tipo de serviço está disponível e avaliar se vale a pena. Compramos os pacotes para o Brutal Assault que nos davam direito a hospedagem e transporte para o festival. Foi muita comodidade por um preço muito bom.

Considero essa divisão mais trabalhosa no que diz respeito à organização, mas cabe a você avaliar o que vai se encaixar melhor no seu orçamento e no seu perfil.

Vamos recapitular os passos:

  1. Expore as possibilidades de festivais pelo mundo
  2. Esboce sua rota e defina os festivais e custos de viagem
  3. Compre os ingressos
  4. Monte seu roteiro turístico
  5. Compre as passagens
  6. Defina e reserve suas formas de hospedagem
    *Os passos 3, 4 e 5 poderão ser simultâneos

Agora que você já sabe tudo sobre como planejar um mochilão para festivais, bora viajar?

Explore festivais de música pelo mundo

Explore festivais de música pelo mundo

Reserve um hotel

Booking.com

Compre seguro viagem com desconto

Seguro viagem geral 468x60

Encontre promoções de passagens aéreas

voopter promoção de passagens aéreas baratas

Compre pacotes de viagem para festivais de música

Compre pacotes de viagem para festivais de música

Comprando pelos nossos links, você ajuda o Festivalando. Entenda melhor a nossa política comercial.

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba sempre nossas dicas, histórias e novidades sobre viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Foto de perfil de Priscila Brito

Priscila Brito

Sou jornalista e melômana, não sei se nessa ordem. Coleciono ingressos de shows desde 2001. Agora também coleciono pulseiras de festival e carimbos no passaporte. Além de uma das mães do Festivalando, sou colaboradora da Mixmag e do Brasil Post e autora do Porque eu gosto de música. Também ajudei Paul McCartney a falar uai em pleno Mineirão.

2 comments

Add yours

Deixe uma resposta