lollapalooza chile 2019Sebastian Astudillo/Lollapalooza Chile/Divulgação

Lollapalooza Chile continua sendo o maior e melhor Lolla da América do Sul

As avaliações do Festivalando sobre os festivais que visitamos são impressões do momento em que lá estivemos ao invés de um veredicto. Festivais são dinâmicos, portanto, sujeitos a mudanças – pra melhor e pra pior. Por essa razão, é importante retornarmos aos mesmos festivais na medida do po$$ível. Esse momento chegou para o Lollapalooza Chile e sem nenhuma dúvida eu digo: que momento!

Quatro anos depois da primeira visita, em 2015, e depois de muito esperar por essa oportunidade, voltei a Santiago para o Lollapalooza Chile 2019. Encontrei um festival maior e melhor do que aquele de quatro anos atrás – e que naquela época já se destacava com sobra como o melhor na comparação com os demais Lollas da região e com os “primos” Asuncionico (Paraguai) e Estereo Picnic (Colômbia).

Até então, o que colocava o Lollapalooza Chile na frente era a estrutura. Ela felizmente conserva os mesmos pontos positivos de antes, mas o que fez o festival em Santiago subir de nível desta vez foi a experiência.

O Lollapalooza Chile é um conjunto de festivais dentro de um mesmo festival

São vários festivais dentro de um mesmo festival, graças a um conceito muito bem lapidado que cria ambientes muito distintos uns dos outros, cada um deles organizado em torno de um dos palcos – mostrando que a música é o que dá o tom no fim das contas.

Mudar de um lugar pro outro é, às vezes, mudar completamente de clima. O agradável Parque O’Higgins ajuda na ambientação.

Conheça um pouco de cada espaço do Lolla Chile no destaque que preparamos nos nossos stories do Instagram

O festival clássico

lollapalooza chile 2019

Sebastian Astudillo/Lollapalooza Chile 2019

É o coração do Lolla Chile e orbita em torno dos dois palcos principais, onde tocam os artistas mais populares do lineup. Campo aberto amplo, open air, com espaço de sobra pra grande massa que vai ver os shows poder circular entre os vários pontos ou se espalhar no gramado.

As ativações das principais marcas patrocinadoras também ficam nessa área, bem como o Lolla Market, com expositores locais, e o Lolla Cares, com ONGs locais que cuidam de causas sociais.

O festival alternativo

lollapalooza chile 2019

Cenital/Lollapalooza Chile/Divulgação

Junto com o palco que recebe bandas em ascensão e/ou com propostas mais singulares estão também artistas chilenos de arte urbana que expõem e vendem suas obras.

O festival sussa

lollapalooza chile 2019

Pablo Triste/Lollapalooza Chile/Divulgação

Um palco menor, mais afastado do ruído do festival, com programação que atrai um público menos afoito, por isso mesmo mais disposto a se jogar no gramado diante do palco e debaixo das árvores ao invés de se amontoar na grade.

Dois complementos da vibe relax são a Aldea Verde e o Lolla Zen. O primeiro espaço agrega projetos de sustentabilidade e um palco totalmente à base de energia solar que recebe atrações alternativas – as células de energia estão posicionadas em uma estrutura que serve também de cobertura pra quem está lá se proteger do tempo. Já o segundo tem atividades de bem-estar e auto-conhecimento, como yoga e meditação.

O festival família

lollapalooza chile 2019

Juancri/Lollapalooza Chile/Divulgação

O Kidzapalooza já se destacava como um “festival dentro do festival” na primeira visita e segue sendo um espaço pensado com muito respeito e atenção às crianças. Há atividades de sobra para gastar uma tarde inteira só com os pequenos – se eu tivesse filhos, certamente os levaria pro Lolla Chile.

Não por acaso, a quantidade de famílias que circula pelo festival é evidente, o que torna bem mais heterogênea a variação de idade da audiência.

O festival balada

lollapalooza chile 2019

Juancri/Lollapalooza Chile/Divulgação

O clima de balada fica por conta da Movistar Arena, outra área que já existia anteriormente e também era um dos destaques do Lolla Chile. O ginásio que fica dentro do parque se transforma no palco de eletrônica nos dias de Lollapalooza Chile.

Por ser fechado, tem um clima completamente diferente do resto do festival e oferece uma experiência indoor em um festival que é por essência open air. É uma das experiências de música ao vivo mais intensas que se tem durante o Lollapalooza Chile.

Estrutura ganhou alguns “ups”

Como dito no início do texto, a estrutura do Lollapalooza Chile saltava aos olhos em 2015 e manteve o que já havia de bom. Mas é sempre possível aperfeiçoar e foi isso que ocorreu em alguns pontos.

Os bebedouros da grande área de circulação mudaram de lugar, de uma das extremidades para o ponto mais central, o que é mais inteligente. E não são apenas bebedouros mais.

Agora o setor é chamado de Lolla Oásis: uma grande área coberta, com bebedouros e espaço para sentar, descansar e se proteger do clima. Nos três dias de Lollapalooza Chile em 2019 o espaço foi igualmente útil pra lidar com o clima, pois fez muito calor na sexta, garoou no sábado e esfriou no domingo.

lollapalooza chile 2019

Alejandro Schott/Lollapalooza Chile/Divulgação

lollapalooza chile 2019

Sebastian Astudillo/Lollapalooza Chile/Divulgação

A acessibilidade, que já era uma preocupação clara quatro anos atrás, também ganhou mais força e agora o festival tem também rotas acessíveis por todo o espaço, não só a plataforma elevada na proximidade dos palcos.

O Lolla Chile mantém ainda a interpretação de shows na língua de sinais. Por fim, agora são dois pontos de Wi-Fi, com velocidade e estabilidade melhores.

Presença notável de estrangeiros

Não sei como e se o que observei se encaixa nesta avaliação, mas o fato é que percebi uma presença de estrangeiros de um jeito que não havia notado anteriormente.

Ouvi muita gente conversando em inglês, um pouco de alemão e uma língua nórdica não identificada (a Gra é a especialista nisso). Vi também gente com bandeira da Bélgica, da França, da Colômbia, de Portugal e dos Estados Unidos.

Lolla Chile, um festival pra (continuar a) amar

Por tudo o que foi exposto, continuo achando o Lollapalooza Chile o melhor que temos na região. O Lolla Brasil teve melhoras consideráveis ano a ano desde sua mudança pra Interlagos (e agora vai ter água de graça grazadeus), mas tem limitações difíceis de serem contornadas (o espaço grande porém pouco convidativo de Interlagos e a localização distante).

O Lolla Argentina é uma versão simplificada (no que há de bom nisso) e segue sendo uma opção relativamente mais em conta pra muita gente aqui do Brasil.

Mas campeão por superioridade só tem um e, por enquanto, continua sendo o Lolla Chile.

Ficou com vontade de ir? Saiba quanto custa viajar para o Lollapalooza Chile

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba sempre nossas dicas, histórias e novidades sobre viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Priscila Brito

Sou jornalista e melômana, não sei se nessa ordem. Coleciono ingressos de shows desde 2001. Agora coleciono pulseiras de festival e carimbos no passaporte. Sou uma das mães do Festivalando e fiz Paul McCartney falar uai no Mineirão. Só porque eu gosto de música. Nas horas vagas, faço coisas sérias e tento salvar o jornalismo.

8 comments

Add yours
  1. Renan Esteves 2 abril, 2019 at 14:24 Responder

    Como esse Festival cresceu, ein! 10 palcos e a Movistar Arena dentro do parque. Não tem dúvida de que é o melhor Lolla da América do Sul. Teve algum tipo de atraso nas atrações ou chuvas, como ocorreu ano passado na Argentina? Você tem planos de, no futuro, ir nos festivais de fim de ano como o Fauna Primavera ou o Personal?

    • Priscila Brito 2 abril, 2019 at 16:31 Responder

      Lenny Kravitz atrasou por causa de problema técnico. O show ficou meia hora parado e acabou atrasando o do Kendrick, que vinha na sequência. Fora isso, nada mais. Eu penso muito no Fauna Primavera! Personal não me atrai tanto…

  2. Fabinho 15 maio, 2019 at 19:23 Responder

    Nossa, fui pro lolla da argentina esse ano e me senti em vários festivais também, foi uma experiência tão intensa e única que eu mesmo considerando ir ao Chile no próximo ano, não consigo parar de pensar em voltar pro lollaAr hahaha, com teu post fiquei com vontade do LollaChile, mas acho que vou deixar pra 2021, pq 2020 eu voltarei pra o da Argentina

    • Priscila Brito 16 maio, 2019 at 10:37 Responder

      Que ótimo que você teve uma experiência tão boa assim no Lolla Argentina! Te entendo completamente, desde a minha primeira vez no Chile que eu fico igual você, todo ano só penso em ir pra lá, pena que nem sempre dá… Quando o festival pega a gente de jeito fica difícil pensar em outro. Igual paixão hahahaha Vai curtir seu crush no Lolla Argentina outra vez, mas a hora que tiver um espaço no coração, dá uma chance pro Lolla Chile que eu garanto que é paixão na certa também 😀

    • Priscila Brito 15 julho, 2019 at 21:18 Responder

      Oi, Juliana! Não sabemos. Normalmente, a essa altura em anos anteriores já havia informações, mas esse ano nem data ainda saiu pro Lolla Chile. Só mesmo o Lolla Argentina que já começou a vender ingresso.

Deixe seu comentário