Lolla não é tudo igual. Se você já está por aqui no Festivalando há algum tempo, já deve ter me ouvido falar isso mais de uma vez. A primeira ida ao Lolla Chile trouxe essa constatação e a viagem para o Lolla Argentina a confirmou.

A diferença é, principalmente, no clima de cada festival, definido pelo lugar e como cada um se apresenta e um pouco menos no lineup. Mas, sim, o lineup entra na lista de elementos distintos entre os Lollas também. Uma distinção bastante óbvia é a presença de artistas locais em cada cartaz, mas se você olhar com atenção, das letras grandes às letras pequenas, vai encontrar outras surpresas.

O lineup do Lolla Argentina 2022, por exemplo, tem suas particularidades, olha só:

lineup do lolla argentina 2022

Achou? É o seguinte:

1. C. Tangana

Do mesmo jeito que Rosalía veio para os Lollas vizinhos em 2019 e deixou a gente de fora, o ex dela vai fazer um caminho semelhante, mas com ainda mais exclusividade.

C. Tangana vem à América do Sul única e exclusivamente para se apresentar no Lolla Argentina 2022. Chile e Brasil ficaram de fora — nem as parcerias com Mc Bin Laden e Toquinho foram suficientes para colocar El Madrileño na rota brasileira.

2. FMS

Você notou essa sigla se repetindo em todos os três dias de festival? Não quer dizer que um mesmo artista está escalado para tocar todos os dias. Se você não sabe ainda, FMS significa Freestyle Master Series, uma competição de freestyle rap.

O Lolla Argentina já tinha dado um pequeno espaço para a competição em 2018, com uma apresentação relâmpago (o Lolla Chile fez o mesmo em 2019), mas desta vez o estilo ganha espaço destacado nos três dias de evento.

3. Artistas brasileiros

A exclusividade aqui não está exatamente nos artistas em si — Pabllo Vittar e Alok, que também estão no Lolla Brasil e no Lolla Chile —, mas no fato de a versão argentina do Lolla ter seguidamente artistas brasileiros, enquanto não há reciprocidade do lado de cá de incluir artistas argentinos.

Vale lembrar que a presença de brasileiros, inclusive, às vezes é de artistas que sequer foram escalados para o Lolla Brasil, caso de Caetano Veloso e Los Hermanos, por exemplo; o mesmo já aconteceu no Chile, por exemplo com Mc Kevinho, que lotou em plena tarde a Movistar Arena (um dos melhores palcos do Lolla Chile na agora já distante era no Parque O’Higgins).

Quer saber como é o Lolla Argentina? Eu te conto aqui.

Leave a comment