detalhes do lollapalooza argentinaDivulgação/Lollapalooza Argentina

Dicas básicas pra sua primeira vez no Lollapalooza Argentina

Todo ano tem gente que resolve mudar de ~aires~ (e todo ano eu não resisto a esse trocadilho besta) e vai curtir o Lolla no país do Maradona. Se você é uma dessas pessoas que seguiu direitinho o nosso guia de viagem pro Lolla Argentina e está só esperando a hora de embarcar, chega mais porque tem um último agrado: algumas dicas básicas pra você levar em conta no dia do festival, na sua primeira vez no Lollapalooza Argentina.

Não precisa fritar com a retirada da sua pulseira

Já falei isso nas dicas pra primeira vez no Lolla Chile; repito aqui, depois de ver muita gente preocupada com a mesma coisa. Não precisa se estressar com a retirada do seu ingresso.

Se você vai chegar antes do festival (foi assim comigo), vá em um dos pontos de retirada em Buenos Aires informados no site do festival. Se você vai chegar no dia do Lolla, retire na bilheteria instalada no hipódromo de San Isidro. Leve o voucher recebido no seu e-mail e o documento informado na hora da compra e pronto.

Aproveite o que a gente não tem no Brasil

O Lolla Argentina, assim como o Lolla Chile, tem água de graça e área com wi-fi liberado. Aproveite!

Dê uma passada no espaço Espiritu Verde

O Espiritu Verde (no Lolla Chile é o Aldea Verde) é um espaço com palestras, oficinas e outras atividades que estimulam o autoconhecimento. Há também momentos de debate sobre questões sociais importantes. É uma oportunidade de experimentar o festival em outro ritmo e de uma outra perspectiva.

primeira vez no lollapalooza argentina

Divulgação/Lollapalooza Argentina

Prepare-se para um “racionamento” de cerveja

Devido a leis locais muito rígidas com a comercialização de bebidas alcoólicas em shows e espetáculos, a cerveja no Lolla Argentina só pode ser consumida dentro de um espaço delimitado. Mais que isso, existe uma cota por pessoa: duas garrafas daquelas pequenas. Eles fazem o controle com base no documento de identidade que você apresentar.

Verdade verdadeira, gente! Se nada tiver mudado, é este o cenário que você vai encontrar na sua primeira vez no Lollapalooza Argentina.

Preste atenção na previsão do tempo

Buenos Aires é uma cidade onde venta bizarramente quando há ameaça ou concretização de chuva forte. E, quando chove torrencialmente, os estragos podem ser grandes.

Aparentemente, os organizadores de grandes eventos levam os alertas meteorológicos muito a sério e tomam as decisões necessárias quanto a isso. Na minha ida ao Lolla Argentina em 2018, uma ameaça de temporal na madrugada de sábado para domingo fez os organizadores adiantarem todos os shows de sábado para que o festival terminasse às 22h, ao invés da 1h, como inicialmente previsto. O anúncio foi dado no sábado mesmo, nas redes sociais.

O mundo caiu de madrugada, com uma chuva que durou horas, acompanhada de muito vento e raios. A área do festival ficou alagada, algumas estruturas comprometidas e a decisão foi de cancelar o último dia de Lolla, no domingo.

Caaalma! Não quer dizer que isso vai se repetir 🙂 Mas, caso haja previsão de chuva, mantenha a atenção nas redes sociais do festival.

Aproveite o “after” dentro do próprio Lolla

Enquanto aqui no Brasil os headliners encerram o festival em seus respectivos palcos, no Lolla Argentina há uma pequena diferença. Os headliners tocam até por volta da meia-noite. Na sequência, um dos palcos principais recebe um DJ, que toca até por volta de 1h.

Se nada tiver mudado no esquema de transporte para o festival, o metrô funciona até as três da manhã, o que te dá tempo de sobra para voltar com tranquilidade.

Se o seu destino é outro, confira as dicas pra primeira vez no Lolla Chile e primeira vez no Lolla Brasil

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba nossas dicas, histórias e novidades de viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Priscila Brito

Sou jornalista e melômana, não sei se nessa ordem. Coleciono ingressos de shows desde 2001. Agora coleciono pulseiras de festival e carimbos no passaporte. Sou uma das mães do Festivalando e fiz Paul McCartney falar uai no Mineirão. Só porque eu gosto de música. Nas horas vagas, faço coisas sérias e tento salvar o jornalismo.

No comments

Add yours

Deixe seu comentário