Viajar de carro na FrançaCastelo de Chaumont Sur Loire.Ph: Leoks via Shutterstock

Viajar de carro na França: sugestão de roteiro em dez cidades no interior do país

Um jeito muito legal de conhecer mais da cultura e da diversidade de um país é indo para o interior dele. Este ano, eu tive a oportunidade de viajar de carro na França, em férias relâmpago de uma semana. Das minhas experiências de viagem, esta foi sem dúvida e disparado uma das melhores. Por isso, apesar de não ter sido uma viagem para festival, decidi contar um pouco para vocês, principalmente para quem pensa em viajar para a Europa e lá alugar um carro para explorar melhor as regiões.

Já visitei Nantes e Clisson por conta do Hellfest, e também Paris. Mas nada foi tão intenso quanto passar uma semana na estrada, com a liberdade de sair para onde tivéssemos vontade de ir, na hora que mais nos conviesse. Pudemos ajustar os trajetos de acordo com nossa vontade, ou mesmo de acordo com a previsão do tempo. No caso, a gente tinha o plano de ir para a região leste, descendo até o sul, mas o péssimo tempo em toda a França naquela semana fez com que a gente fizesse outra rota, mais ou menos em busca do sol e de onde não iam rolar tempestades.

Viajar de carro na França: aventura por dez cidades no interior

rua da cidade antiga de troyes Viajar de carro na França

Troyes, França. Ph: Por savichev oleg via Shutterstock

A nossa aventura começou a partir do norte da Holanda – eu já estava na Holanda à convite do meu atual namorado. De lá, partimos em direção à França, de carro. Atravessamos toda a Holanda, chegamos à Bélgica e no mesmo dia já estávamos no norte da França. ( Fiquei impressionada com o fato de estar de carro em três países, no mesmo dia, já que aqui no BR com um dia a gente mal atravessa três bairros, né? rsrsr).

Depois, chegamos em Reims e lá paramos para dormir e seguir a viagem no outro dia. Em seguida passamos por Troyes, Auxerre, Saint-Fargeau, Treigny, La Charité Sur Loire, Onzain, Chambord, Blois e Le Tréport. Depois de dois dias na praia, ficamos exaustos e voltamos para a Holanda, cheios de lindas lembranças. Eu também voltei com alguns kg a mais, porque gente, o interior da França é também um lugar cheio de tentações gastronômicas.

A rota da aventura, com a indicação dos principais lugares por onde andamos em cada cidade, está aqui neste mapa. Depois do mapa, te conto como foi a experiência em cada um dos lugares. Se gostar, fique à vontade para copiar a nossa rota de carro pela França 😉

A região de Champagne

Chegamos bem tarde em Reims, já na hora de dormir. Mas no outro dia, sabíamos que o Boulevard Pommery já estava à nossa espera, cheio das Maisons ou casas de produção de vinhos e Champagne! Apenas os espumantes produzidos nessa região têm o direito de serem intitulados de Champagne, pois seguem rigorosos padrões de produção. Entre rápidas visitas à Pommery e Taittinger eu pude degustar algumas dessas belezinhas.

A cidade de Reims não é uma das mais bonitas, apesar de ter um centro histórico charmoso. Os arredores, no entanto, ficam especiais com as Caves e visitas às Maisons. Você pode se preparar para ficar bem alegrinhx por ali. Hahah. Claro que eu levei muitas vantagens por não estar dirigindo, mas o visual e também a oportunidade de saber sobre o processo de produção dos famosos e deliciosos Champagnes e vinhos também vai encantar o motorista da viagem.

reims Viajar de carro na França

Reims. Ph: Kiev.Victor via Shutterstock

Também é possível sair de Paris e ir até a região de trem da TGV. A viagem dura pouco mais de 40 minutos. Porém, nada é mais gostoso do que decidir seguir viagem a qualquer momento, como fizemos para a próxima cidade, ainda na região de Champagne.

Troyes, Catedral e os passos de Joana d’Arc

catedral de troyes Viajar de carro na França

Catedral de Troyes. Ph: Leonid Andronov via Shutterstock

Troyes já é uma cidade super charmosa. Cheia de passagens medievais, ruas e construções históricas. Fiquei bem encantada com a beleza de tudo e com as delícias gastronômicas. Antes de visitar a Catedral gótica de Saint Pierre e Saint Paul, ali mesmo na praça haviam vários restaurantes e bares super charmosos.

A Catedral da cidade é um espetáculo por fora, o que faz a entrada quase que obrigatória. Não sabia se olhava para os vitrais gigantescos e muito bem trabalhados, ou se admirava quão alto era o pé direito da igreja e os detalhes tão bem trabalhados das colunas. A Catedral gótica também é especial, pois foi um marco da passagem da guerreira Joana d’Arc pela França.

Rumo a Saint-Fargeau, passando por Auxerre

auxerre Viajar de carro na França

Auxerre. Ph: Canadastock via Shutterstock

Já saindo de Troyes vimos as notícias de que o tempo não estariam mais tão legal adentrando o país, em direção ao sul. Mas, meu namorado queria me fazer uma surpresa e me levar a Saint-Fargeau, um destino imperdível por vários motivos, como vou contar adiante.

Passamos por Auxerre, mas nossa ideia não era ficar na cidade. Tivemos a oportunidade de visitar a cidade antiga, a torre do relógio e a catedral – construções datadas de períodos medievais. Tudo muito lindo, mas decidimos seguir em frente para chegar ao nosso próximo destino, até porque pegamos uma bela de uma tempestade na cidade que nos espantou de lá rapidinho. A gente passou por um verão complicado, de temperaturas não muito altas e muitas chuvas, infelizmente. Mesmo assim, os momentos de sol deixaram a França ainda mais linda.

Saint-Fargeau, espetáculo medieval, castelos e mais castelos

Viajar de carro na França

Saint-Fargeau é uma cidade mágica. Tudo gira em volta do castelo de Saint-Fargeau e de um espetáculo que acontece lá dentro. O espetáculo conta a história da França medieval até o pós-guerra, num show de efeitos, luzes e figurinos. São 600 atores, um monte de cavalos e ao todo mil pessoas envolvidas na produção desse grande show de história, como eles mesmos denominam. Definitivamente, esse é um must na cidade. Não se pode passar por lá e não ver o espetáculo. Mais detalhes aqui no site oficial.

Além disso, os arredores de Saint-Fargeau possuem um monte de parques e jardins, lugares lindos para fazer piquenique. E fizemos muitos piqueniques! Comprávamos nossa baguete, nossos queijos maravilhosos e vinhos excepcionais e baratos e íamos para os jardins. Simplesmente apaixonante!

Além do castelo, é preciso visitar o caminho medieval de Guédelon. Simplesmente lindo ver as casas e pessoas da região. Parece que de fato caminhamos por outras épocas.

Do Guédelon à Treigny, numa visita ao Castelo de Ratilly

Viajar de carro na França

Castelo de Ratilly. Ph: Gracielle Fonseca

Caso a gente não estivesse de carro, seria um pouco mais difícil passar por todo o Guédelon e então encontrar no meio de uma outra estrada a cidade de Treigny e o Castelo ed Ratilly. O castelo é um dos menores, mas muito especial. A estrutura se mantém quase que intacta como era, principalmente nos jardins e parte externa.

Hoje, o castelo recebe artistas para residência e mantém exposições de arte no seu interior. Encontramos um grupo de músicos que ensaiavam para um concerto intitulado Jazz do Brasil, que iria acontecer no castelo alguns dias à frente. Também há uma loja de cerâmicas que eram fabricadas lá dentro. Hoje o forno está desativado, mas a loja dispõe de estoques maravilhosos de cerâmica típica francesa.

Um pulo na Charité Sur Loire

Antes de nos dirigirmos à Onzain, nosso próximo destino, passamos pela Charité Sur Loire, uma região muito linda também, onde há ruínas do Castelo da Charité. Como comer nos restaurantes dos castelos às vezes é muito caro, usamos da criatividade para ter tal sensação. Decidimos levar nossas cadeiras de camping para as ruínas do castelo, e lá fizemos um piquenique! Ninguém se importou. Até recebemos vários ‘bon appétit’ de vários franceses que passavam por ali, na hora. as ruínas ficam no meio da cidade histórica, e são caminho rotineiro para os moradores.

 

Onzain, boa comida e fácil acesso aos castelos do vale do Loire

Onzain foi um dos lugares onde passamos mais tempo. Um dos motivos foi a chuva, que nos impediu de seguir em diante. Mas o outro motivo foi o fato de estarmos em uma base que nos proporcionou visitar muitos castelos e cidades ao longo do Vale do rio Loire. Sem dúvidas, esta foi uma das partes mais lindas da viagem, depois de Saint-Fargeau. Além de ter uma boa estrutura de supermercados, bagueterias, restaurantes entre outros, a região é pura história.

De Onzain, acessamos Bloir e Chambord. Visitamos o belíssimo castelo do Chaumont de Sur Loire , com seus jardins cheios de vida. Admiramos o pôr do sol sentados às margens do rio Loire. Foi uma super experiência. Parecia que eu estava dentro de um livro de história!

Do castelo Chaumont de Sur Loire, pegamos o carro e demos um pulinho na cidade próxima, Blois. A cidadezinha é muito linda, cheia de detalhes e Pâtisseries tentadoras. Há uma igreja pequena ao lado do Castelo de Blois, pequeno e muito fofinho. Durante a visita, aprendemos detalhes sobre as antigas estratégias de defesa usadas pelos exércitos franceses em períodos de guerras.

Chambord e um dos maiores e mais visitados castelos da França

castelo de chambord Viajar de carro na França

Castelo de Chambord. Ph:StevanZZ via Shutterstock

O Castelo de Chambord merece um dia inteiro de visitas. Ele é imponente, gigante, riquíssimo em detalhe e história. É um dos maiores e mais importantes castelos da França. Vale a pena conferir cada cômodo, onde a história é contada por meio de quadros, utensílios, móveis e roupas da época da nobreza.

Os jardins formais também são exuberantes e uma atração à parte. Além de tudo isso, o castelo ainda conta com algumas atividades culturais e com uma cafeteria bem aconchegante. No site oficial há mais detalhes sobre a visitação e futuros eventos.

Le Tréport, a deliciosa região litorânea

le treport Viajar de carro na França

Le Treport. Ph: Baigozin via Shutterstock

Depois de se encantar com o interior e o vale do Loire, decidimos que era hora de retornar para a Holanda. Mas não sem antes passarmos pelo menos dois dias maravilhosos nas lindas praias e vilas de Le Tréport.

A entrada de Le Tréport já nos deixa boquiabertos. O jeitinho de vila de pescadores e o clima litorâneo nos incitam a ficar ali por horas e horas contemplando. Além das charmosas construções, a cidade conta com uma série de restaurantes onde você não pode deixar de comer uma porção de Moules et Frites, mariscos com batatas fritas francesas. Simplesmente ‘superbe’, ainda mais com uma pilsen gelada na beira da praia.

Uma viagem de carro muito prazerosa

Depois dessa deliciosa estadia em Le Trepórt, seguimos de regresso para a não menos maravilhosa Holanda. Esta viagem certamente ficará marcada em minha memória. Hoje eu entendo que sem carro a viagem se tornaria muito mais cansativa, e estressante – pois você precisa sempre observar muito bem os horários de trens. E convenhamos, nem todos esses lugares maravilhosos poderiam ser acessados com trem, além do que, depender de trem na França também exige paciência para lidar com os atrasos e cancelamentos.

Caso você também opte por fazer este roteiro, lembre-se de contar com serviços de aluguel de carros confiáveis. Eu já passei por uma experiência ruim na Alemanha. Por isso, nós indicamos que vocês consultem uma lista de empresas seguras.

Algumas dicas importantes para alugar carro no exterior:

  •  Prefira fazer a reserva do carro ainda no Brasil. Assim você evita pagar IOF e outros impostos;
  • Ao fazer a reserva online, entre em contato com a locadora e peça que enviem uma cópia do contrato online. Assim você se prepara quanto a qualquer tipo de surpresa;
  • Também pergunte à operadora os documentos exigidos – certifique-se que a sua carteira de habilitação nacional vai atender. Caso contrário, terá que pedir uma versão internacional no departamento de trânsito da sua cidade;
  • Pesquise locadoras confiáveis. Aqui neste link damos a lista de um buscador com uma seleção de locadoras de renome, bem avaliadas por clientes. Não feche negócio em locais desconhecidos.

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba nossas dicas, histórias e novidades de viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Gracielle Fonseca

Não faço nada na vida sem paixão. Tanto que, pra me formar em Jornalismo, tive que fazer com 2 colegas um TCC sobre metal, o Ruído das Minas: a origem do heavy metal em BH. Também decidi que faria o primeiro documentário sobre as Mulheres no Metal, o Women in Metal, e fiz. Foi por paixão também que larguei um emprego público, para me aventurar pelo mundo dos festivais com a Pri.

2 comments

Add yours
  1. Renan 24 outubro, 2017 at 01:12 Responder

    Deve ter sido ótima essa viagem. Um dia ainda vou conhecer a França, hehe. Quando você falou das praias daí lembrei de Nice, que é uma cidade que é litorânea e falam muito bem dela. Vou te indicar um filme recente chamado Paris Can Wait pra você ver e se deliciar com os personagens viajando de carro por vários lugares da França até chegarem a Paris. O filme tem trilha sonora do Phoenix e ainda tem muita comida de dar água na boca e,não podia faltar, os ótimos vinhos franceses.

  2. Gracielle Fonseca 24 outubro, 2017 at 13:06 Responder

    Ei, Renan! Foi muito legal, achei o máximo e mudei completamente meu conceito sobre o país conhecendo o interior, e as pessoas do interior. Muito massa mesmo. Adorei a indicação do filme!!! Quero ver logo agora, hauahaua. Afff, já deu saudade escrevendo esse post… com esse filme eu vou morrer, hauahaua. Bjss!

Deixe uma resposta

Close