onde ficar em montreuxPeter Stein via Shutterstock

Onde ficar em Montreux para o Montreaux Jazz Festival e turismo

Ah, Montreux. Ah, a riviera suíça. Uma das melhores decisões de viagem que já fiz na vida foi ter ido ao Montreux Jazz Festival. Eu fui atraída pela mística do festival, do qual ouvia falar desde pequena, por conta da famosa “noite brasileira” (que já não é tão recorrente mais, apesar de ter sempre artistas nacionais na programação), e fui surpreendida com a beleza sem fim do azul do lago Léman, dos alpes e um verão que me rendeu um lindo bronzeado. Foi uma recompensa justa depois do desafio de achar um lugar onde ficar em Montreux.

Por que um desafio? A cidade é pequena (o que significa uma oferta reduzida de hospedagens), o verão é uma época super concorrida por conta do Montreux Jazz Festival e da alta temporada em si, o custo das coisas na Suíça não é dos melhores e o padrão turístico da região, de modo geral, é alto. Tudo isso resulta em preços altos na maioria das vezes e quartos de hotel esgotados muito rapidamente.

Mas não se desanime, é possível achar um lugar pra ficar em Montreux (ou proximidades) que cabe no seu bolso, se dinheiro for um problema pra você (eu consegui!). Se não for, você está no lugar certo. Hotéis quatro e cinco estrelas super requintados não faltam nesse paraíso que é a riviera suíça.

Agora, independentemente do seu orçamento, uma coisa é certa: procure reservar com meses de antecedência. Como eu disse acima, devido à oferta pequena de quartos e grande procura, as vagas acabam rápido. Isso vale tanto para o período do festival (a primeira quinzena de julho) quanto para o verão de um modo geral.

Vevey – fique na vizinhança de Montreux

Eu consegui achar uma hospedagem com preço razoável quando olhei na cidade vizinha, Vevey, que fica a menos de dez minutos de trem de Montreux. Portanto, essa é uma dica a ser seguida. Procure um lugar pra ficar fora dos limites de Montreux, pois os preços podem ser ligeiramente melhores.

Nessa região, as cidades são muito pequenas (25 mil habitantes em Montreux e 18 mil em Vevey) e o sistema de trens suíço é altamente eficiente (falando obviedades). Por isso, se deslocar de uma cidade para outra é como se deslocar de um bairro a outro, de tão rápido e fácil que é.

Em alguns casos, se deslocar pode ser de graça até, como no caso do hostel em que fiquei. É um dos mais baratos da cidade e situado na Grand Place, onde tudo acontece, como o delicioso mercado com degustação de vinhos. Este hostel é conveniado à autoridade de turismo da riviera suíça. Isso significa que ao se hospedar você recebe uma carteirinha que te dá gratuidade no transporte da região. Perfeito, não?

Outras opções (não muitas) incluem este hotel bem perto da Grand Place também, com transfer pro aerporto e este três estrelas. Tem este quatro estrelas sofisticado, mais em conta que os quatro estrelas de Montreux e pertíssimo da estação de trem de Vevey (é uma estação só pra cidade, de tão pequena). Há também dois cinco estrelas, este e este, ambos com vista direta para o belo lago Léman. Quem gosta de alugar casa tem esta opção aqui.

Onde ficar em Montreux – opções mais sofisticadas

Em Montreux a oferta cresce um pouquinho mais em relação a Vevey, mas continua sendo pequena. Aqui os preços são mais altos também. As ofertas estão mais ou menos distribuídas conforme a geografia da cidade. Montreux está cercada pelos alpes de um lado e pelo lago Léman de outro. Perto do lago, onde a coisa ferve, há uma oferta maior. Na parte íngreme da cidade, se aproximando dos alpes, onde prevalece a calmaria, há menos opções. Porém, todas têm o privilégio da vista para a bela cidade.

Nas margens do lago Léman (e também da estação de trem)

Este hotel está perto da estação, assim como este quatro estrelas imponente, com vista para o lago. Este quatro estrelas com estilo bucólico fica relativamente perto da estação também.

Este aqui é o hotspot da cidade, um cinco estrelas na avenida Claude Nobs, a poucos passos do centro de convenções onde acontece o Montreux Jazz Festival. Tem um restaurante que fica movimentadíssimo antes, durante e depois do festival, inclusive. Este hostel é uma das poucas opções realmente baratas na cidade e fica um pouco afastado da estação de trem.

Próximo aos alpes

Na parte alta da cidade tem este e este aqui, mais caros, e com destaque para a vista da cidade. Tem ainda este três estrelas e esta casa super aconchegante, com deck, piscina e serviço de transfer para o aeroporto.

Além de reservar um hotel, faça agora o seu seguro viagem. Ele é exigido para entrar na Europa, e se você não apresenta-lo será barradx na migração. Além disso, é a garantia de que você estará amparadx caso haja algum imprevisto com a sua saúde. Aqui você pode pesquisar o melhor preço em várias seguradoras, comprar o que se adequar ao seu orçamento e ainda conseguir até 15% de desconto.

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba nossas dicas, histórias e novidades de viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Priscila Brito

Sou jornalista e melômana, não sei se nessa ordem. Coleciono ingressos de shows desde 2001. Agora coleciono pulseiras de festival e carimbos no passaporte. Sou uma das mães do Festivalando e fiz Paul McCartney falar uai no Mineirão. Só porque eu gosto de música. Nas horas vagas, faço coisas sérias e tento salvar o jornalismo.

No comments

Add yours

Deixe uma resposta

Close