crédito: Keep calm o matic

Pra matar a fome! Só que em húngaro…

Festivais de música e comida são itens inseparáveis. É impossível passar por uma maratona de shows sem oferecer sustância ao corpo. Sendo assim, hoje vamos dar uma checada em algumas das gostosuras que recheiam o Sziget festival, evento que acontece todo ano em Budapeste. Antes de irmos para as estrelas do menu, é fundamental esclarecer que a língua húngara é uma das mais difíceis que existe, portanto não se assuste com algumas palavras. Tudo mundo aprende o básico e necessário pra sobreviver nos food trucks da ilha. Ainda assim, para facilitar a vida dos festivaleiros, aqui você vai aprender de forma simplificada como pronunciar aquele lanchinho que te despertou a fome.

Veja nossas dicas de hotéis em Budapeste

Kürtőskalács –  uma das iguarias mais deliciosas de todo o mundo, esse pão doce crocante por fora e macio por dentro deve ser ingerido assim que sai do forno. O cliente escolhe a cobertura que geralmente varia entre amêndoas, canela, chocolate e coco ralado. Gostou? Para pedir, tente dizer ao vendedor = curtoxcolatch

Lángos – feito a partir de uma massa frita que se assemelha um pouco com a massa do nosso pastel, ele leva cobertura de sour cream e queijo. Há aqueles que acrescentam repolho, beringela, cogumelos e por aí vai. É um lanche bem gostoso mas vale alertar que é uma comida pesada. Por isso tenha cautela com o lángos em dias muito quentes. Se for comprar, diga = lángox

Kurtos langos

Crédito: Eastern Europe Cuisine/ The eaten path

 

Palacsinta – o famoso crepre francês em versão húngara, cuja massa é mais fininha. Na Hungria, os recheios vão do açúcar puro à carne, passando por geléias de frutas. Semelhante ao estilo francês e sempre gostoso. Para pegar a sua = pólotchinta

Fröccs – bebida resfrescante e bastante popular nos verões em Budapeste. É composta por vinho (tinto, branco ou rosé) e água gasosa. O drink apresenta variações de acordo com a proporção entre o vinho e a água gasosa. A versão grande possui 2 quantidades de vinho para 1 de água enquanto a pequena possui o dobro de água. Então, pra matar a sede com classe pronuncie = frêtch

Pálinka – a mais popular das bebidas húngaras tem teor alcoólico que varia dos 37% aos 70% e agrada bastante os paladares de quem aprecia a cachaça brasileira. Geralmente feita de frutas, é servida em doses e pode vir com sabor de mel, cereja, ameixa, etc. Pra fechar com chave de ouro: não possui nome complicado! É só dizer = pálinca

Com essa breve escalação húngara é possível passar muito bem nos festivais!

Compartilhe este post

1 comment

Add yours

Deixe seu comentário