Ontem foi dia internacional do trabalhador, o que nos fez pensar e repensar um assunto que sim, faz parte da vida de boa parte de nós: como pedir folga no trabalho para ir em festival de música? Há algum tempo, repercutiu na internet o caso de uma garçonete irlandesa. Ela foi demitida depois de pedir para se ausentar do trabalho por três dias, para ir ao festival Eletric Picnic. Após contar sua história na página do festival, a garota recebeu várias ofertas de trabalho. Porém, sabemos que histórias com finais felizes não acontecem todos os dias, ainda mais no Brasil de hoje em dia.

Ainda vivemos numa sociedade capitalista cruel

via GIPHY

Apesar de algumas promessas “neoliberais” sobre o trabalho, a maioria das pessoas ainda vive em relações laborais  extremamente engessadas. Além disso, muitas delas têm no trabalho sua fonte primeira e única de subsistência, e até mesmo de seus familiares. Por isso, não dá para aconselhar todo mundo aqui a largar tudo e ir curtir a vida em festivais de música. Afinal, esta é uma escolha com muitas consequências que podem, em alguns casos, ser bem desastrosas.

Quando  eu e Pri decidimos sair de nossos trabalhos para não mais depender desta situação de “permissão para ir a festival, fizemos escolhas que, até hoje, repercutem em nossas vidas. Falando da consequência mínima e mais superficial, quer saber quando foi que comprei roupa e sapato, ou que saí para curtir uma noite em algum lugar hypado da cidade? Bom, melhor desistir, pois nem eu lembro mais, kkkk…

Enfim, para quem tem família para sustentar, ou que depende somente de si mesmo para viver, as coisas ficam ainda piores.

Por isso, pedir folga no trabalho para ir a um festival de música é um assunto delicado. A não ser que você não faça parte da massa assalariada, no Brasil, você ainda está do lado mais fraco da corda.

Então, será que dá pra pedir folga no trabalho para ir em festival de música?

via GIPHY

Primeiramente, apesar de todo o cuidado com o qual o assunto deve ser tratado, é preciso dizer que ele não é um tabu. Contudo, é óbvio que existem formas mais interessantes de abordar este assunto no trabalho e outras nem tanto.

Em alguns casos, as pessoas conseguem conciliar suas férias com as datas dos festivais, por exemplo. Em outros, (talvez a maioria) pode ser que as datas do festival não coincidam com as férias da pessoa, mas sim com momentos críticos, em que as chefias não abrem mão do pessoal.

Ainda que estejamos falando de relações de hierarquia, superior e subordinado, patrão/patroa e empregadx, sempre existe uma saída. No entanto, caso alguém me perguntasse para quem eu direcionaria esta parte do post, eu falaria que é justamente para essas pessoas em posição de poder. Sabemos de todas as questões que envolvem as relações trabalhistas. Mas, caramba, será que você vai querer ser sempre lembradx como a/o superior que negou a realização de um sonho para alguém? Pois sim, festivais são um sonho para muita gente. Portanto, caso eu também pudesse fazer um pedido, eu pediria um pouco mais de boa vontade e compreensão por parte das chefias.

Afinal, também existem bons motivos para deixar que funcionários possam ir a um festival. A felicidade das pessoas que trabalham com você pode significar que elas vão estar mais contentes nessa relação, e que podem transformar o ambiente de trabalho em um lugar muito mais agradável. E isso é sentido não só por vocês, mas também por clientes.

Decidiu pedir a folga? Vá com calma!

via GIPHY

Caso você tenha decidido pedir a folga, valem alguns conselhos que podem ser interessantes. Contudo, é preciso saber que não existe fórmula mágica. Alguns dos passos, na verdade, têm muito a ver com a empatia. Mas, principalmente, com planejamento e bom entendimento das relações de trabalho. Assim, vamos enumerar algumas coisas que achamos prudentes e já testamos em nossa trajetória de trabalhadoras (pois sim, por boa parte de nossas vidas, eu e Priscila Brito fomos empregadas, com carteira de trabalho e tudo mais).

Como pedir folga no trabalho para ir em festivais de música

#1 Planeje-se para pedir com antecedência

Digamos que você quer muito ir ao Rock in Rio 2019. Como o festival acontece em setembro do próximo ano, já seria interessante talvez sinalizar no trabalho o seu interesse. Assim, os pedidos com antecedência vão dar mais possibilidades para o pessoal do seu trabalho se planejar para suprir a sua ausência. Pedir uma folga de sopetão, em um caso que não é emergencial, tornam menores as suas chances;

#2 Peça com educação e em ocasiões apropriadas

Precisamos lembrar que estamos em relações hierárquicas. E, mesmo que não fossem, educação no trato com as pessoas nunca é demais. Além disso, tente ter empatia e não pedir para conversar em momentos inoportunos. Talvez seja um dia de muito estresse para a/o gerente, ou até mesmo problemas graves na empresa e você aí, pedindo insistentemente algo que não é vital, lembre-se disso.

#3 Caminhe de bem com os prazos e obrigações

Não é muito legal chegar para pedir um folga com trabalho atrasado. Portanto, tente se planejar para estar em dia com suas entregas. Também pode ser interessante, em alguns casos, oferecer o adiantamento de trabalhos que não poderiam ser feitos por outras pessoas na sua ausência.

E se não rolar?

via GIPHY

O “não” é a única certeza que todas podemos ter antes de tentar, não é mesmo? Contudo, caso ele realmente seja confirmado, mesmo depois de todas as suas estratégias, tente ficar calmx. Afinal, temos que ser otimistas e pensar que sempre haverá um festival que a gente goste e terá a oportunidade de ir. Da mesma forma, ainda é possível que a chefia mude de ideia, pense melhor e te deixe ir.

Mesmo diante de um “não”, tente pensar na possibilidade de pedir mais compreensão para uma próxima edição do festival. Também se pode conversar de maneira franca e amistosa com o pessoal que tem o poder nas mãos, para tentar entender o que realmente os impede de serem um pouco mais abertxs ao seu pedido.

Agora, caso você não dependa deste trabalho, não tenha pessoas que você precisaria sustentar com a grana, e possui um backup familiar para alguns meses, talvez seja mesmo a hora de dar novos rumos a sua vida profissional. No entanto, ninguém pode estar certo de todas as consequências que isso pode ter. Por isso, só cabe a você tomar esta decisão.

[jetpack_subscription_form title=”Gostou deste post? Temos muito mais pra você!” subscribe_text=”Receba sempre nossas dicas, histórias e novidades sobre viagens para os melhores festivais de música do mundo.” subscribe_button=”Quero!”]

6 Comments

  • Andrea Alexandre dos Santos
    Posted 2 de maio de 2018

    a melhor solução é pesquisar com antecedência as datas do festival e pedir férias para o período do festival,as férias não precisam ser de 30 dias e tem que estar dentro do direito de seis meses, sem férias.É melhor a pessoa planejar ir a um festival em período de férias do que pedir dias para ir ao festival…é complicado,
    porque nas férias a pessoa faz o que quiser,mas pedir dias para o Festival terá sempre um na equipe que achará aquilo um absurdo!infelizmente é assim.

    • Gracielle Fonseca
      Posted 2 de maio de 2018

      Olá, Andrea!

      Pois é, férias é uma das melhores opções. Porém, às vezes nem assim rola, as datas batem. De qualquer forma, sempre pode-se tentar trocar dias, adiantar trabalho, oferecer algo em troca da folga. Porque, a final de contas, as folgas são sempre descontadas, também.
      Beijos!

  • LETICIA GARAJAU
    Posted 2 de maio de 2018

    Rock in Rio é sagrado: férias sempre em setembro! Porém, para esta edição do Lolla e shows do Foo Fighters na semana, assim que comprei os ingressos já comecei a falar com o chefinho sobre uma folguinha e outra. Transparência e honestidade pra mim é tudo!! Como todos no trabalho sabem que eu sou a louc@ dos shows, não viram problema em me ceder as datas. Mas é isso: empatia do chefx + trabalho em dia = correr linda, plena e feliz pros shows/festivais da vida. S2

    • Gracielle Fonseca
      Posted 3 de maio de 2018

      Ei Lets!!! Muito bom, hehehe, você é das nossas. Eu também super acredito em lugares massa e flexíveis. Infelizmente, não é a realidade de todo mundo. Mas espero que algo um dia mude! Beijossss!

  • Regiane
    Posted 3 de maio de 2018

    Oie, valeu pelas dicas, mas fiquei curiosa, voces trabalham com o que atualmente? Vai que me inspira né, rs
    Bjs

    • Gracielle Fonseca
      Posted 3 de maio de 2018

      Olá, Regiane! Tudo bem? Atualmente, o Festivalando é o nosso trabalho. E dá muito trabalho, apesar de parecer curtição, rs. Mas às vezes a gnt precisa ainda fazer freelas pra complementar a renda. Mas tanto eu quanto a Priscila já vivemos boa parte das nossas vidas empregadas em trabalhos formais, Clt e tal. Tanto eu quanto ela já enfrentamos situações de inflexibilidade e também de flexibilidade. É complexo, só não podemos desistir =)

Leave a comment