viajar para festivais na hungriaPanorama de Budapeste. Datsenko Maryna via Shutterstock

Um monte de gente resolveu viajar para festivais na Hungria

Parece que um monte de gente resolveu de vez viajar para festivais na Hungria neste ano. De acordo com dados da Festicket, plataforma de venda de pacotes para festivais de música, houve um aumento de 773% no número de turistas que viajaram para festivais no país em 2018.

Pra ter uma ideia do que representa esse número, Portugal, que ficou em segundo lugar no aumento no fluxo de turistas de festivais neste mesmo levantamento, registrou um crescimento de 127%.

Quais festivais estão atraindo tantos turistas pra Hungria?

A Festicket não divulgou detalhes relativos aos festivais da Hungria que tiveram melhor desempenho em sua plataforma de vendas, mas dados divulgados em outras fontes apontam para uma mesma direção e ela atende pelo nome de Sziget Festival, que acontece na capital Budapeste.

Fundado em 1992, maior festival da Hungria hoje e um dos maiores da Europa, o Sziget Festival 2018 teve um recorde de público ao atrair meio milhão de pessoas. Mais precisamente, foram 565 mil visitantes. O recorde anterior era de 2016, quando 496 mil pessoas foram ao festival.

O Sziget não está de brincadeira

A audiência massiva não foi por acaso. Conforme divulgou o Budapest Business Journal, o Sziget traçou um plano de crescimento de três anos. A começar de 2018, investiu 3 milhões de euros (mais de 12 milhões de reais) só no orçamento do palco principal.

O resultado foi um lineup que teve como headliners Kendrick Lamar, Gorillaz, Lana Del Ray, Mumford & Sons, Dua Lipa, Kygo e Arctic Monkeys. Para o Sziget 2019, o plano é aumentar em pelo menos 50% o investimento nas atrações principais.

Nós já viajamos para o Sziget e temos um guia para o maior festival da Hungria

Mas a Hungria não vive só de Sziget

O gigante dos festivas húngaros capaz de atrair turistas do mundo todo é o Sziget, mas é importante fazer justiça com outros festivais que também atraem um público internacional para o país e que acontecem foram da capital.

O Ozora é um dos mais influentes festivais de trance do mundo hoje, de caráter imersivo; está na ativa desde 1999.

O Balaton, festival de música eletrônica com duas décadas de existência, acontece à beira da praia.

Tem ainda o VOLT e o B.my.Lake, ambos de música eletrônica, e o Rock Maraton.

E por que viajar para festivais na Hungria é uma boa ideia?

Aqui no Festivalando, a Hungria já fez parte do nosso roteiro de festivais, com uma passagem de 15 dias por Budapeste e pelo Sziget. Acabou se tornando um dos nossos destinos de viagem mais queridos. Os motivos são muitos.

viajar para festivais na hungria

Banhos termais de Budapeste. Izabela23 via Shutterstock

  • É um destino mais em conta na comparação com outras cidades da Europa. A passagem aérea, infelizmente, será um peso no orçamento. Mas o custo de hospedagem e gastos diários com transporte, alimentação e passeios são bem amigáveis
  • É um dos melhores lugares pra se aproveitar o verão Europeu. Além do calor de verdade, falando especificamente de Budapeste, tem os famosos banhos termais (nós fomos no Gellerth, que fica em um hotel de luxo) e uma das maiores delícias que a gente já provou em viagem: a limonada de morango!
  • Tem posição estratégica, facilitando a expensão do roteiro. Utilizando o ônibus, uma opção super barata, é possível ir de Budapeste a Bratislava (em menos de três horas) e Praga (cerca de sete horas). Dá também para fazer um bate-volta Budapeste-Viena

Por último, mas não menos importante, Budapeste é uma das cidades mais lindas dentre as capitas europeias com perfil turístico. É pra sair de lá apaixonada 🙂

Veja o que mais publicamos sobre a Hungria

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba nossas dicas, histórias e novidades de viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Priscila Brito

Sou jornalista e melômana, não sei se nessa ordem. Coleciono ingressos de shows desde 2001. Agora coleciono pulseiras de festival e carimbos no passaporte. Sou uma das mães do Festivalando e fiz Paul McCartney falar uai no Mineirão. Só porque eu gosto de música. Nas horas vagas, faço coisas sérias e tento salvar o jornalismo.

No comments

Add yours

Deixe seu comentário