" /> Vacina contra febre amarela pro Lollapalooza e metrô: toques pro Lolla 2018 | Festivalando
lollapalooza 2017 vacina contra febre amarela pro lollapaloozaI Hate Flash

Vacina contra febre amarela pro Lollapalooza e metrô: toques pro Lolla 2018

As definições de sobrevivência no Lollapalooza foram atualizadas. Se até então a maior prova de resistência no festival era percorrer as longas distâncias entre os palcos, este ano há mais coisas com o que se preocupar: a saúde e a volta pra casa. A prefeitura de São Paulo recomenda a vacina contra febre amarela pra quem vai ao Lollapalooza 2018. O autódromo de Interlagos está em uma área de risco. Já a volta pra casa vai ser mais corrida para quem optar pelo metrô, devido a mudanças no horário de término dos shows.

Vacina contra febre amarela pro Lollapalooza Brasil

A vacina contra febre amarela deve ser tomada por moradores de áreas de risco ou por pessoas que irão se deslocar para essas regiões. O autódromo de Interlagos, onde acontece o Lollapalooza, fica em Cidade Dutra, um dos 24 distritos de São Paulo com recomendação para imunização.

De acordo com o Ministério da Saúde, a vacina deve ser administrada pelo menos 10 dias antes do deslocamento para áreas de risco. A recomendação é válida principalmente para as pessoas que estão sendo vacinadas pela primeira vez.

Quem mora em São Paulo, vai ao festival e ainda não tomou a vacina, deve procurar uma unidade de referência do viajante ou os postos que integram a campanha de imunização contra a doença. Neste caso, é preciso levar documento de identidade, cartão do SUS e comprovante de compra ou pulseira do festival.

Quem mora em outras cidades ou em outros Estados deve procurar os postos de saúde do seu seu município.

como chegar no lollapalooza brasil

I Hate Flash/Lollapalooza Brasil

Volta pra casa: horários mais apertados no metrô

Outro detalhe para ter atenção maior neste ano é a volta pra casa de metrô. Até 2017, os shows acabavam pontualmente duas horas antes do fechamento geral das estações em todos os dias do festival. Esse intervalo dava uma folga razoável para se deslocar até a estação Autódromo e esperar pelo trem.

Em 2018, porém, houve mudanças no horário do término dos shows em relação ao funcionamento do metrô. Em todos os três dias, o intervalo entre o fim do festival e o fechamento das estações é menor que duas horas. Na sexta, especialmente, o tempo de sobra para usar o metrô ficou bem apertado.

Veja abaixo como ficou o intervalo em cada dia do festival:

DIA

TÉRMINO DO ÚLTIMO SHOWFECHAMENTO DO METRÔINTERVALO PARA DESLOCAMENTO

Sexta (23/3)

23h
Meia-noite Uma hora
Sábado (24/3)

23h15

1hUma hora e 45 minutos

Domingo (25/3)

22h30 Meia-noite Uma hora e meia

Até o momento, não foi anunciada nenhuma mudança nos horários de funcionamento do metrô em função do Lolla. A última vez que isso aconteceu foi em 2013. Naquele ano, houve extensão de 15 minutos na operação das linhas em dois dias do festival. Fora o metrô, há outras alternativas de transporte para chegar no Lollapalooza Brasil.

Mais dúvidas? Dê uma olhada no nosso FAQ do Lolllapalooza Brasil

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba nossas dicas, histórias e novidades de viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Priscila Brito

Sou jornalista e melômana, não sei se nessa ordem. Coleciono ingressos de shows desde 2001. Agora coleciono pulseiras de festival e carimbos no passaporte. Sou uma das mães do Festivalando e fiz Paul McCartney falar uai no Mineirão. Só porque eu gosto de música. Nas horas vagas, faço coisas sérias e tento salvar o jornalismo.

4 comments

Add yours
  1. Renan Esteves 12 março, 2018 at 16:15 Responder

    Essa situação do horário corrido também aconteceu no Maximus 2017, quando o último show terminou às 22h com metrô indo até às 23h. Eu peguei uma distância bem maior: Interlagos até a Portuguesa-Tietê. Felizmente eu dei sorte e consegui chegar no meu destino dentro do horário. Como eu tenho o hábito de andar bem rápido, não sofri muito com essa distância do Autódromo até a estação. Eu acredito que muitos não terão a necessidade de pegar táxi, principalmente para quem está em áreas como República, Vila Madalena, Paulista e Pinheiros.

Deixe seu comentário