como chegar no lollapalooza brasilI Hate Flash/Lollapalooza Brasil

5 formas de chegar no Lollapalooza Brasil

Atualizado em 11/12/2017 – Não tem muito segredo para chegar no Lollapalooza Brasil. Mesmo acontecendo em uma região mais afastada de São Paulo – o autódromo de Interlagos, a oferta de transporte público de massa e de transfers oficiais facilita o deslocamento. De qualquer forma, sempre tem quem vai ao Lolla pela primeira vez, quem fica perdido com os horários do metrô ou quem não sabe de todas as opções de transporte disponíveis para o festival.

Mantendo a tradição do Festivalando de fazer guias super práticos pra você que vai ao Lolla, desta vez juntamos num só lugar todos os meios para chegar em Interlagos. Quer dizer, quase todos. Tem um heliponto lá no autódromo, mas ainda não temos condições de dizer pra vocês como se locomover de helicóptero em São Paulo 😛

Metrô + Trem

O transporte público de massa é a melhor opção para quem quer ou precisa gastar o mínimo possível. A estação Autódromo, da linha 9- Esmeralda, é o seu destino neste caso. Descendo nela, você terá que caminhar cerca de 20 minutos até chegar no autódromo de Interlagos, onde rola o Lolla. Quem não tem acesso direto à linha 9 deve fazer a integração na estação Pinheiros da linha amarela do metrô.

checklist electric daisy carnival brasil

Preste atenção ao tempo total que você vai gastar no trajeto para não correr o risco de encontrar a estação fechada na volta pra casa. O horário de funcionamento das estações e a última transferência entre linhas é até a 1h (de sábado para domingo) e até a meia-noite (de domingo para segunda e nos demais dias). Os shows sempre acabam pontualmente duas horas antes do fechamento geral das estações.

Lolla Transfer

O Lolla Transfer é o serviço de traslado oficial do Lolla com horários pré-determinados de ida (partindo da zona sul de São Paulo) e volta. É preciso adquirir o serviço previamente pela internet. A organização do festival ainda irá divulgar valores e links para compra do Lolla Transfer 2018.

Atenção para os detalhes do serviço:

– Transfer de IDA para o Lollapalooza
Ponto de encontro: Sheraton WTC, Sala GAUGUIN – Avenida das Nações Unidas, 12559 – Brooklin Novo
– Horário: pré-agendado no site, das 11h às 19h, nos dias 25 e 26 de março. 11h, 11h30, 12h, 12h30, 13h, 13h30, 14h, 14h30, 15h, 15h30, 16h, 16h30, 17h, 17h30, 18h, 18h30, 19h. Total de 17 saídas. (Horários sujeitos a alterações)

– Transfer de VOLTA para o Hotel
Ponto de encontro: Mesmo local do desembarque.
– Horários: Sábado: 20h30, 22h30, 00h30 (total 3 saídas). Domingo: 20h30, 21h30, 23h30 (total 3 saídas)

O Lolla Transfer também atende quem tem necessidades especiais. Neste caso, é preciso mandar um e-mail para [email protected] até as 14h do dia 20 de março. É necessário informar o número da confirmação de compra, nome completo do passageiro e o tipo de assistência necessária.

Carro

Se você prefere ir de carro e quer usar o estacionamento de Interlagos, deve comprar antecipadamente o ticket do estacionamento. A organização do festival ainda irá divulgar valores e links para compra do estacionamento para o Lolla 2018.

A venda online é apenas para carros de passeio ou motos. Vans, micro ônibus e ônibus também têm acesso ao estacionamento, mas o ticket é cobrado apenas na entrada do local.

Ônibus

A SPTRANS tem diversas linhas que vão ao Autódromo de Interlagos e que estarão sinalizadas. Consulte o site www.sptrans.com.br para escolher a melhor opção pra você.

Transfer particular

Há muitas empresas especializadas em transporte particular que oferecem transfer para o Lolla. Pesquise nos grupos do Lolla no Facebook, pois sempre tem alguém anunciando este tipo de serviço. Se você não é de São Paulo e vai ficar em hotel, verifique também se o local onde você vai se hospedar oferece algum tipo de transporte especial para o festival – por conta do número considerável de turistas que vão para o festival, alguns hotéis investem neste serviço.

Vai no Lolla pela primeira vez? Dá uma olhada nas nossas dicas para principiantes 😉

O Festivalando é embaixador do Lollapalooza Brasil.

Compartilhe este post

Priscila Brito

Sou jornalista e melômana, não sei se nessa ordem. Coleciono ingressos de shows desde 2001. Agora coleciono pulseiras de festival e carimbos no passaporte. Sou uma das mães do Festivalando e fiz Paul McCartney falar uai no Mineirão. Só porque eu gosto de música. Nas horas vagas, faço coisas sérias e tento salvar o jornalismo.

4 comments

Add yours
  1. Marcela Porto 10 Março, 2017 at 11:25 Responder

    Olá Priscila, esse ano irei pela primeira vez ao festival e tenho muuuuuitas dúvidas. Moro no Rio então se planejar com antecedência e saber o máximo são indispensáveis! Hahaha Espero que voce possa me ajudar, lá vão as perguntas:
    1 – Abriram as vendas dos lockers. Você acha que vale a pena?
    2 – Tenho certas variações de pressão muito facilmente, principalmente quando não me alimento bem (leia-se não almoçar/jantar de verdade e ficar só no biscoitinho e na barrinha de cereal, comendo um sanduba gourmet em algum food truck qualquer). Estava pensando em levar uns sanduíches bem leves, nada que fosse estragar com facilidade. Fiz isso no RiR e deu super certo. Acha que rola no Lolla?
    3 – Lá é complicado de marcar ponto de encontro após algum show? Normalmente falta sinal de celular?
    4 – Sobre o clima, vi que de dia faz um calor absurdo e a noite garoa. Estava pensando em levar um moletom pra não passar perrengue ao invés do “casaquinho leve”. Desnecessário ou não?
    5 – Os shows lotam bastante estilo RiR, que a gente fica parecendo sardinha enlatada ou é mais parecido com os festivais gringos, que lota mais cada corpo tem seu espaço no lugar?
    6 – Os shows começam pontualmente. Mas eles acabam na hora tambem? A janela entre um show e outro é de 5 min. Da pra ver inteiro e dps ir pro outro de boa?
    7 – Sapato aberto ou fechado? Sei que o conforto vem em primeiro lugar, mas qual se encaixa mais para sobreviver ao festival?
    8 – Sobre assaltos e roubos (moro no Rio né, então), tem que tomar muito cuidado lá? Teve algum histórico nas edições passadas?
    9 – Agora essa é meio bizarra, mas lá vai. Falei sobre a parada da pressão e a gente pensa em vários métodos pra não passar perrengue e nem ficar 100% pobre. Estive pensando em levar aqueles cupnoodles de copo sabe? E ver se alguém esquenta um copinho de água pra mim, que aí me alimento melhor e fico de boas. Acha impossível algum food truck ou cozinha ter essa boa vontade? Hahahaha (Sei que pode ser estranho mas a parada da pressão já me fez desmaiar várias vezes em shows, então..)
    Ufa! Por hora é isso. Hahahahaha
    Aguardo retorno, bjsss

    • Priscila Brito 10 Março, 2017 at 12:05 Responder

      Ei, Marcela! Vamos lá:

      1 – Eu nunca precisei usar os lockers. Acho que dá pra carregar tudo que você precisa sem ter que levar um volume grande. Eu mesma, numa bolsa de média para pequena eu consigo levar o essencial: blusa de frio, capa de chuva, diheiro e um batom!
      2 – Rola de levar os sanduíches sim. Você pode levar alimentos fechados e industrializados, desde que seja em quantidade para consumo próprio.
      3 – Há muitos espaços de convivência no Lolla, tanto do próprio festival quanto dos patrocinadores e também outras estruturas que podem servir de ponto de referência. O tamanho do festival pode atrapalhar um pouco na questão da distância (você vai ficar boba de ver como o Lolla é beeeeem maior que o RiR). Mas, no geral, acho que é tranquilo sim.
      4 – Leve uma blusa sim. Não acho que seja desnecesario e eu mesma sempre levo. Além da garoa, às vezes acontece de ventar também à noite.
      5 – A questão da lotação dos shows depende muito do artista e do público que ele tem. Tem artistas que têm público maior e aí o show lota mais; tem artistas que às vezes não tem um público tão grande assim, mas os fãs são mais ferrenhos, então não desgrudam lá da frente e não deixam ninguém passar. Enfim, varia.
      6 – Os shows são super pontuais para começar e para acabar. A distância entre os palcos vai definir se você consegue ou não chegar no outro palco em cinco minutos. Às vezes pode levar mais que isso. Como disse antes, o Lolla é bem grande e a distância grande entre os palcos é uma das características do festival.
      7 – Acho que isso vai do que cada um entende por conforto, mas eu sempre vou preferir calçado fechado. Pode chover, sempre alguém pisa no seu pé, mesmo que sem querer…
      8 – Eu nunca ouvi queixas sérias sobre assaltos e roubos relativos ao Lolla. Mas imagino que eventualmente deve rolar aquilo que sempre acontece quando há multidões, como roubos de celulares. O negócio é manter a atenção nos seus pertences, como em qualquer outra situação.
      9 – Entendo essa questão da pressão. Eu também tenho pressão bem baixinha! Você pode arriscar pedir e explicar a sua situação. Você pode tentar fazer isso em uma barraca ou truck que esteja com movimento mais tranquilo, sem filas, porque talvez as pessoas possam negar se estiverem muito atarefadas com o atendimento. Mas, olha, além das barraquinhas e food trucks de sempre em todo festival, o Lolla tem uma área de alimentação bem grande chamada Chef Stage, com chefs de vários restaurantes de SP. Lá você vai encontrar muita opção de refeição com “sustância” também. Eu, que normalmente gosto de economizar com comida em festival, não abro mão de comer alguma coisa lá. Nem tudo é tão barato assim, mas dá para se alimentar bem e comer algo diferente, que não se come todo dia. Até mesmo nas barraquinhas costuma ter umas opções de refeição, na maioria das vezes massa.

      Ah, sugiro você dar uma olhada no post com dicas pra principiantes do Lolla. Muita coisa que você perguntou eu explico em detalhes: http://festivalando.com.br/lollapalooza-brasil-dicas-para-principiantes/

      Bom Lolla pra você 🙂

  2. GUILHERME ANTONIO MARTINS PEREIRA 12 novembro, 2017 at 09:25 Responder

    Olá Priscila.

    Sou de Belo Horizonte e vou ao Lollapalooza pela primeira vez em 2018. Vi esta e outras matérias bem esclarecedoras a respeito do festival. Parabéns. Me ajudou muito.

    Sobre minhas dúvidas, queria sua opinião e também informação sobre elas.

    1 – Estou decido em ficar hospedado em Vila Madalena. É um bom local? É aconselhável? Terei alguma dificuldade no trajeto para chegar ao festival?

    2 – Vou ficar hospedado há 500m da estação Vila Madalena. Pelo que vi no mapa de linhas, terei pegar o metrô na estação Vila Madalena, descer em consolação, fazer uma conexão para Pinheiros e de lá pegar o trem. Correto?

    3 – Pela pouca distância, se fazendo no trajeto mais curto, compensa pegar um Uber do local da minha hospedagem até a estação do trem evitando assim perda de tempo em metrô? Existe essa possibilidade?

    4 – Minha pulseira vou pegar em ponto fixo na sexta feira e vi que um dos locais de retirada é em um teatro em Pinheiros, correto? Vou chegar sexta por volta das 10hrs da manhã. É muito cheio e burocrático a retirada? Demora muito?

    5 – Que horas em média acaba o último show? Haverá trem na volta? Posso fazer o mesmo sugerido na pergunta 3, de pegar um Uber da estação do trem até minha hospedagem na volta? (existindo essa possibilidade)

    6 – Quanto custa, qual a quantidade e quais cervejas vendem no festival?

    7 – Se assim que acabar o último show eu voltar Vila Madalena, ainda consigo aproveitar o resto da noite ou madrugada em bares ou pubs? (Quero aproveitar ao máximo)

    8 – Em Vila Madalena tenho transporte direto para outras regiões como centro, Mooca, Bixiga, Brás etc…

    Obs: Se tiver sugestões de locais Bohêmios, fique a vontade para indicar.

    Desde já agradeço pela ajuda. Algumas já foram de extrema utilidade.

    • Priscila Brito 13 novembro, 2017 at 11:44 Responder

      Oi, Guilherme! Obrigada, fico feliz que os posts estejam te ajudando. Sobre as suas dúvidas:

      1 – É um bairro muito bacana pra se ficar! Você não vai ter dificuldade pra chegar no Lolla. Lembre-se apenas de ficar atento na volta ao horário de fechamento do metrô

      2 – Isso mesmo, esse é o trajeto

      3 – Sim, é uma possibilidade pegar o Uber da Vila Madalena até a estação Pinheiros porque a distância é pouca. Só não é recomendável pegar Uber direto para Interlagos, a não ser que você esteja disposto a pagar muito, pois o autódromo é distante

      4 – Eu nunca fiz retirada de ingressos no local, então não sei te dizer como é o movimento. Mas, além desse endereço, você pode ir direto pro festival e tirar na bilheteria de Interlagos

      5 – No sábado termina às 23h e no domingo às 22h. Não sei o que estão prevendo pra sexta, mas deve terminar às 23h também. O fato é que eles encerram o festival sempre duas horas antes do fechamento do metrô/trem, justamente pras pessoas terem tempo de usarem o transporte público E sim, se você achar melhor pegar um Uber na estação Pinheiros até a Vila Madalena é ok, vai chegar rápido e pagar pouco. Mas, repetindo, se você optar pelo Uber direto de Interlagos até a Vila Madalena aí sim pode sair bem caro

      6 – Neste ano a cerveja foi R$ 12 (400 ml). Não sei se vai ter reajuste. Em 2018 será a Budweiser (antes era a Skol, mas teve mudança nos patrocínios)

      7 – Sim, consegue e muito. A Vila Madalena é o bairro certo pra esse tipo de coisa!

      8 – Como você vai ficar perto da estação Vila Madalena, o que eu sei te dizer é que a estação é integrada a um terminal de ônibus. Não sei pra onde vão as linhas desse terminal, mas certamente estão bem interligadas com a cidade. Pra algum desses lugares que você citou dá pra ir de metrô mesmo…

Deixe uma resposta

Close