Scorpions/ Divulgação

Rockfest em São Paulo: informações práticas e três perguntas para o festival responder

Mais um “novo” festival de metal e rock chega ao Brasil. Alegres? Não 100%. Mas sobre isso eu falo e explico depois (quem acompanha o Festivalando há mais tempo já até deve imaginar do que se trata a bronca). Pois bem, antes de começar a #sessãodesabafo, melhor a gente te situar a respeito desse tal festival, não é? Rockfest é o nome dele, que se diz novato. Mas favor não confundir de maneira alguma com o Rock Fest Barcelona, na Espanha, ou com o Rock Fest USA, que rola em Cadott. O Rockfest Brasil se escreve junto e vai rolar em São Paulo, no dia 21 de setembro de 2019. O lineup traz grandes nomes: Scorpions (GE) como headliner, Whitesnake (UK), Megadeth (EUA), Europe (SE) e Armored Dawn (BR). Antes das minhas considerações sobre o Rockfest, vamos às informações práticas e dicas para interessadxs:

Rockfest São Paulo: informações práticas

rockfest sao paulo

Whitesnake/Divulgação

Quando

O Rockfest é um festival de rock e metal que vai rolar no dia 21 de setembro, no Allianz Parque, em São Paulo. É um festival de apenas um dia e conta com apenas 5 bandas, das quais 3 estão no lineup do Rock in Rio 2019. As bandas vão se apresentar conforme a ordem a seguir:

Armored Down: 16h15
Europe: 17h15
Megadeth: 18h45
Whitesnake: 20h15
Scorpions: 22h

Ingressos

Os ingressos começam a ser vendidos a partir de hoje (13/05/19). Podem ser comprados tanto online neste link, ou na bilheteria do estádio Allianz Parque, de 10h às 18h, sem taxa de conveniência. Com taxa de conveniência os ingressos poderão ser retirados em outras localidades.

O festival vai dividir o público entre pista normal, premium e cadeiras. Portanto, os preços serão diferentes: a pista comum custa R$ 300 inteira e R$ 150 a meia. Já a premium custa R$580 a inteira, R$ 280 a meia. A cadeira nível 1 custa R$ 450 a inteira e R$225 a meia.

Sobre as regras da meia entrada, confira o nosso guia da meia entrada para festivais.

Como chegar no Allianz Parque, em São Paulo?

O Allianz Parque é o estádio do Palmeiras e fica no bairro Água Branca, em São Paulo. A arena tem fácil acesso via transporte público. Assim, você poderá chegar até lá usando o metrô, trem e ônibus. Também é possível chegar de carros de aplicativos e táxis.

De metrô

Esta é uma das melhores opções para quem vai aos festivais no Allianz Parque. Afinal, a estação Barra Funda está a apenas 800 metros do estádio. Ou seja, há menos de 20 minutos de caminhada. Contudo, apesar de esta ser uma das opções mais indicadas, é preciso ficar atentx: durante o fim de semana, o metrô de São Paulo Funciona apenas até 00h, exceto pelo sábado, quando vai até 1h. Então, como o show do Scorpions vai começar às 22h e, muito possívelmente, deve durar em torno de 1h30, é preciso considerar que você estará apto a sair da arena a partir das 00h.

Além disso, é preciso considerar o deslocamento a pé do estádio até a estação de metrô ( + ou – 15 minutos) e entender que, dependendo de onde você está hospedadx e se tiver que fazer integração, é possível que não haja tempo o suficiente utilizando este transporte.

A estação Barra Funda é integrada à linha 3/vermelha. Para chegar ao estádio, você poderá sair pelo acesso da av. Auro Soares de Moura Adrade, seguindo até a Uninove e, a partir dela, seguir em direção à Francisco Matarazzo. Este seria o caminho mais movimentado. Outra opção é ir por baixo do viaduto Antarctica. Porém, é menos movimentado e, consequentemente, mais arriscado.

  • Saindo da Rodiviária: Linha 1/Azul, na direção Jabaquara. Faça integração com a linha 3/ vermelha, e salte na Barra Funda.
  • Saindo da avenida Paulista: metrô consolação – linha 4/Amarela, direção Luz. Faça integração com a linha 3/ vermelha, e salte na Barra Funda.

Pra ficar por dentro de avisos, horários e alterações do metrô, consulte o site.

De ônibus

Várias linhas passam pelo Allianz Parque. Inclusive, há um ponto de ônibus quase que em frente ao estádio, no número 1700. Como existe uma grande lista de possibilidades, deixamos aqui o link para o Moovit, SPtrans e também google maps, para que você possa se planejar da melhor forma, caso opte pela opção do ônibus.

Saindo dos aeroportos

Pra quem vai sair de Congonhas ou Guarulhos e deseja usar o transporte público, também é possível. Porém, vai ser necessário usar ônibus+ metrô.

  • Saindo do Aeroporto de Guarulhos: ônibus 257 Metrô Tatuapé. Na estação Tatuapé, embarque na linha 3/ vermelha, e salte na Barra Funda;
  • Saindo do Aeroporto de Congonhas: ônibus 609J-10 Metrô São Judas. Na São Judas, embarque na linha 1/Azul, direção Tucuruvi. Daí, é preciso descer na Sé pra fazer a integração na linha 3/ vermelha, e salte na Barra Funda.

Carros de aplicativos e táxis

Também é possível chegar ao Allianz Parque com carros de aplicativos e táxis. Porém, é preciso considerar que pode haver trânsito intenso, devido a alguns bloqueios de ruas e à própria movimentação do festival. Além disso, na volta é preciso se atentar para o fato de que é mais difícil chamar os carros de aplicativos exatamente na saída do estádio. Várias pessoas recomendam na internet que se ande em direção à rua Pompeia, para assim embarcar com mais facilidade em carros de aplicativos.
Já pra quem opta por voltar de táxi, dependendo de onde está hospedado na cidade, poderá pagar preços bem salgados. Mas, pra quem ainda sim deseja esta opção, os táxis ficam concentrados na av. Francisco Matarazzo, entre av. Auro Soares de Moura Andrade e av. Pompéia.

Onde ficar em São Paulo para o Rockfest

Fizemos um post com sugestões de hotéis para o Rockfest. Isto é, aqueles que ficam próximos ao Allianz Parque e à estação Barra Funda.

Mas, como experiência em festivais que rolam em São Paulo é bem elevada aqui no blog, tem mais posts de experiência de estadia em hotéis em várias regiões da cidade, os quais testamos indo a outros festivais. Então, leia também:

No post de onde ficar em são paulo, selecionamos opções desde o hostel mais baratinho até os hotéis cinco estrelas;

Também tem o post de onde ficar em São Paulo de acordo com estações de metrô, mais voltado pro Lolla.

Serviço Rockfest São Paulo

Quando: 21 de setembro
Abertura dos portões: 14h
Início dos shows: 16h
Local: Allianz Parque, av. Francisco Matarazzo, 1705Ingressos: a partir de R$150 e podem ser comprados online

Três perguntas para o Rockfest São Paulo responder:

1. Rockfest é um festival que veio pra ficar?

rockfest são paulo

 

Agora é a hora da bronca. Pra começar, em seu release para a imprensa, a organização do Rockfest ressaltou: ” a produção confirma que o festival veio pra ficar!”. A produtora que afirmou isso é a Mercury Concerts, que também foi responsável pelo São Paulo Trip, aquele festival que também aconteceu há 2 anos atrás, na ocasião do Rock in Rio, com os headliners de rock e metal do festival carioca. Preciso falar mais ou vocês já conseguem tirar suas próprias conclusões?

Diante disso, fica difícil engolir duas coisas: 1. Que o festival é novo. Pois, na verdade, é a mesma produtora que não mostrou um conceito ou norte de lineup totalmente novo e diferente do SP Trip, o qual fosse independente do Rock in Rio; 2. Que ele veio pra ficar. Porque se nem o SP Trip veio pra ficar, o que nos faz acreditar que o Rockfest vai agora construir uma relação e indentidade junto aos fãs de metal e rock neste país?

2. Rockfest São Paulo é um festival ou amontoado de bandas?

E a bronca não termina aí. Pois eu já estou bem cansada de festivais gourmetizados e passageiros, que não constroem uma identidade própria nem relação com fãs por aqui. Na verdade, a única característica que faz o Rockfest ser chamado de festival é que ele é um amontoado de bandas. Não é qualquer amontoado de bandas, fato. Mas é só um amontoado de bandas. Pois, não há nada indicado no sentido de construir experiências imersivas, ou outras atividades e estruturas que fazem os festivais de metal bem sucedidos não serem só shows em sequência, mas sim, experiências memoráveis.

Porém, pode ser que eu esteja errada. Afinal, ainda falta um tempinho até o festival rolar mesmo. Ou seja, ainda dá tempo da organização pensar o sentido amplo da palavra “festival” e até oferecer experiências nesse sentido para seu público.

3. Rockfest será eternamente refém do Rock in Rio?

Por fim, será que este festival também vai ficar para sempre refém do Rock in Rio? Ou seja, veio pra ficar, mas vai ficar só enquanto o RIR ficar? Também resta saber se o lineup vai ser sempre assim, condicionado unicamente ao que o RIR dita. E se, além disso, só vai ser um lineup contando quase que exclusivamente com shows internacionais. Pois, existe um mundo de bandas nacionais de relevo que poderiam e estariam muito contentes em ocupar espaços de festivais grandes assim.

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba sempre nossas dicas, histórias e novidades sobre viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Gracielle Fonseca

Não faço nada na vida sem paixão. Tanto que, pra me formar em Jornalismo, tive que fazer um TCC sobre metal, o Ruído das Minas: a origem do heavy metal em BH. Também decidi que faria o primeiro documentário no mundo sobre Mulheres no Metal, o Women in Metal, e fiz. Comecei a ir em festivais de metal internacionais em 2009. Desde então, viajar em busca da música, essa outra paixão, tornou-se um projeto profissional que hoje chamamos de Festivalando.

6 comments

Add yours
  1. Renan Esteves 13 maio, 2019 at 09:33 Responder

    Sou cético: não vem pra ficar. Apenas aproveita a chance de ganhar dinheiro dos fãs colocando bandas que tocam no RIR e só. Tem outros festivais que, mesmo sendo enxutos e sem conteúdo em outras áreas, vem acontecendo a cada ano, como o Setembro Negro, Solid Rock e Liberation Festival. Na minha opinião, isso é apenas um fest que serve pra agradar ao público com as mesmas coisas de sempre e tirar grana com preços salgados em ingressos e bebidas.

    • Gracielle Fonseca 13 maio, 2019 at 10:19 Responder

      Pois é, eu meio que truco a organização mandar um email pra imprensa falando que é um festival que veio pra ficar. Concordo com boa parte do que você disse. Acho, definitivamente, que os festivais de metal na Europa dão certo pq mtos deles são feitos por fãs que se profissionalizam. Pois eles sabem muito bem que tipo de experiência um fã de metal quer ter. Aqui, os festivais grandões são feitos por essas pessoas totalmente alheias às comunidades de fãs e dá no que dá. Triste.

  2. SIDNEY DA SILVA DIONISIO 16 maio, 2019 at 09:43 Responder

    pessoal, na boa, qual a implicação de veio para ficar ou não? a mim como fã de rock e metal, interessa muito mais que venham boas bandas, de preferência reunidas em festival, e que haja sinergia entre elas. Colocar bandas de estilos diversos não faz meu gosto e me afasta do evento, mas é claro que isso é muito pessoal…. Sim ficará refém do RIR, é o modo das bandas ganharem mais, estes festivais serão shows coadjuvantes quando acontecer o RIR, e temos que aproveitar a oportunidade de com isso ter a oferta de grandes bandas por aqui. Estas grandes bandas só conseguem vir com a estrutura dos shows se tiver grandes públicos pagantes…e não esqueçam que considerando o preço do dólar, pode dividir o seu ingresso por 4 para descobrir o preço real do show…Veja quanto custa o show do Iron em Buenos Aires…R$200… para os que esperam ouvir bandas alternativas, concordo está em falta e o que tem pra hoje é abrir o show dos dinossauros…grande abraço a todos.

    • Gracielle Fonseca 19 maio, 2019 at 16:40 Responder

      Olá, Sidney! Pra mim, autora do texto e que já vivi experiências em festivais que vieram pra ficar, que desenvolveram uma identidade e conseguiram oferecer muito mais do que a música, sim, faz toda diferença se um festival vem pra ficar ou não. Pra mim, festivais são muito mais do que bandas e lineup. E isso você pode comprovar quando festivais como Wacken e Hellfest esgotam seus ingressos completamente sem sequer terem anunciado o lineup completo. Mas entendo seu ponto de vista, claro. E sei que para mais pessoas essa questão não faz diferença, também. Pra este público, o foco é mesmo só a música, o que é mesmo o jeito de cada um encarar os festivais. Valeu demais pelo comentário! Grande abs e ótimo fest!

  3. Ismar Ferreira 16 setembro, 2019 at 15:30 Responder

    Às vésperas do festival, resolvi ir atrás de ingressos e além da decepção pela pista ter esgotado, uma coisa me deixou intrigado: Não há informações sobre ingressos de cadeira inferior ou superior. Estão vendendo como se fossem setores diferentes, no mesmo nível.

    Não sei se você conhece o local, mas normalmente o anel superior é o setor mais barato do estádio e a diferença de preço para o inferior costuma ser grande.

    Isso me leva a três possibilidades:

    1 – O setores foram unificados. Não faz muito sentido, já que os acessos são diferentes e teoricamente a cadeira inferior é bem mais interessante.
    2 – O setor superior não foi colocado à venda e vai ficar vazio. (Não faz sentido algum).
    3 – Os ingressos que estão à venda se referem ao setor superior e as cadeiras do inferior ficarão à disposição de quem está na pista. Isso seria bem legal e é algo que já vi na Europa e tal, mas aí não justificaria o preço da pista que é bem mais baixo que a cadeira.

    Saberia dizer se alguma dessas possibilidades é verdadeira ou adotaram algum outro layout pro estádio?

    • Gracielle Fonseca 16 setembro, 2019 at 20:42 Responder

      Olá, Ismar! Pois é, como vc, também não temos informações diferentes sobre o layout a ser adotado pelo festival. É muito bizarra mesmo essa falta de informações. Quaisquer novidades a gente faz update ou post novo. Abs e boa sorte!

Deixe seu comentário