Qual o risco de transmissão de Covid-19 em festival? Evidentemente ele existe, mas em qual intensidade? Cientistas do Reino Unido realizaram estudos amplos em três festivais britânicos realizados com capacidade parcial e total para encontrar a resposta.

Os eleitos foram o Download Festival, realizado em junho de 2021 com 10 mil pessoas em cada um dos três dias; e o Latitude Festival e o Tramlines, ambos realizados em julho de 2021, com 35 mil e 45 mil pessoas, respectivamente, em cada um dos três dias.

Os estudos fizeram parte do Events Research Program, um vasto programa financiado pelo governo britânico para avaliar o risco de transmissão de Covid-19 em diferentes tipos de eventos, com capacidade total ou próximo da capacidade total, em espaços abertos e fechados, sem distanciamento e com exigência de teste negativo.

As análises consideraram três elementos como fatores de risco de transmissão: ambiente, densidade do público e comportamento pessoal. Para isso, foram coletados dados de antes, durante e depois dos eventos, incluindo informações sobre o ambiente (principalmente sobre a qualidade do ar), dados públicos de saúde e também informações sobre o comportamento do público coletadas a partir de observações dos pesquisadores e de auto-declarações dos frequentadores.

Foram cerca de 30 eventos incluídos no programa, realizados entre abril e julho de 2021, dentre eles os festivais citados acima. Os resultados completos foram divulgados pelos pesquisadores no fim do ano, em novembro.

Risco de transmissão de Covid-19 em festival: a resposta dos cientistas

De acordo com os resultados divulgados, o risco de transmissão de Covid-19 em festival, com base nos festivais estudados, é 1,7 maior (eventos com público livre para circular em local aberto).

Em comparação, houve pouca evidência de aumento na transmissão em eventos com público majoritariamente sentado em local aberto, eventos com público parcialmente sentado em local aberto e eventos com público sentado em local fechado – porém, alguns eventos desse tipo foram realizados com capacidade reduzida (alguns com menos de 50% da capacidade), o que interfere nos resultados.

Vale repetir que os festivais e todos os demais eventos admitiram tanto pessoas vacinadas com uma ou duas doses quanto pessoas que apresentaram teste negativo realizado 48 horas antes do evento.

It’s complicated: algumas ressalvas importantes

Mesmo conseguindo medir o risco de transmissão de Covid-19 em festival, os pesquisadores ressaltam repetidamente como esses riscos são multifatoriais e contextuais — a situação epidemiológica, o comportamento individual e fatores extra-evento tornam a avaliação mais complexa. O que eles dizem sobre cada um desses fatores:

Situação epidemiológica

Os eventos foram realizados entre 10 de junho e 25 de julho de 2021, período no qual houve um incremento de casos da variante delta e também um crescimento nas taxas de vacinação no Reino Unido.

No período citado, a população vacinada foi de 61,1% (uma dose) e 43,4% (duas doses), em 10 de junho, para 69,3% (uma dose) e 55,3% (duas doses), em julho, segundo o Our World in Data. Não foram divulgados dados específicos sobre o percentual de vacinados que frequentaram os eventos.

Diante disso, os pesquisadores alertam que uma situação epidemiológica diferente, com variantes mais transmissíveis (olá, ômicron) e possivelmente menos responsivas às vacinas podem gerar resultados diferentes, por isso os resultados não necessariamente se generalizam para outras situações..

Comportamento individual

O risco individual depende das interações sociais, da interação com o ambiente e do comportamento ao longo do evento. Ele também varia muito entre o tipo de local do evento e até mesmo dentro de um mesmo evento. Em geral, há risco aumentado com exposição prolongada e repetida a ar de baixa qualidade, baixa ventilação, distanciamento reduzido entre pessoas ou adesão limitada a protocolos, como uso de máscaras.

Desse modo, segundo os cientistas, cada pessoa pode, individualmente, escolher ambientes e comportamentos de baixo risco para reduzir seu risco pessoal.

Fatores extra-evento

O deslocamento antes e depois do evento e atividades relacionadas, como ida a bares ou outros estabelecimentos também são fatores de risco para transmissão, naturalmente. Os cientistas explicaram que, apesar de o estudo incorporar esse risco, o foco foi mensurar o risco de transmissão dentro do evento.

A vacina ainda é a melhor resposta que temos

Assim como o estudo mensurou o risco de transmissão de Covid-19 em festival e em outros eventos, ele também mensurou como a transmissão ocorre entre vacinados e não vacinados.

Os participantes foram testados no período de 16 dias após os eventos e, no geral (considerando todos os eventos, não só os festivais), 87% das pessoas que testaram positivo não estavam vacinadas. Os outros 13% estavam vacinados, sendo 8% com uma dose e 5% com as duas doses.

Portanto, com ou sem festival, vacine-se com todas as doses.

Leave a comment