A imensidão do Rock in Rio,. Photo:Raul Aragão / I Hate Flash, official Rock in Rio Press

Estrutura Rock in Rio: tão boa quanto a gringa

O Rock in Rio é o maior festival de rock e heavy metal do Brasil, por mais que muitos falem que não, por conta dos dias em que há abertura para o pop e outros estilos musicais. No entanto, a Pri já mostrou em estatísticas nesse post aqui, por exemplo, que ele é rock, sim! Portanto é nosso gigante do rock, made in Brasil e para colocar a cara no sol para gringo ver também, pois não se pode negar que a estrutura Rock In Rioé uma das melhores entre os demais festivais do gênero, comparável com gigantes aqui de fora.

Muita gente torce o nariz para o que é nacional, mas com a estrutura do Rock In Rio não há desculpas. Com quantidade de pessoas que passam diariamente pela cidade do rock, a estrutura do evento é uma muito bem organizada, tão funcional quanto for possível. São 85 mil ingressos à venda, números comparados com o gigante europeu Wacken Open Air, por exemplo. Sete dias de festival, com mais de 100 artistas confirmados e muitos nomes de peso internacional. E tudo funciona, e a maioria das coisas é pontual.Presenciei a edição do festival em 2013 e não tive qualquer problema, hora alguma. Todo o caminho, desde a apresentação dos ingressos, a revista, ida e volta para casa, tudo isso ocorreu de maneira muito natural, sem grandes tumultos ou problemas.

Além de tudo oferecer essa estrutura muito confortável para seus participantes, esse é um dos festivais que nos permite ter experiências de turismo e viagem em uma das cidades mais bonitas do mundo. O Rio de Janeiro é belo e o seu maior festival faz juz a toda beleza. Vamos ponto a ponto nos detalhes da estrutura do Rock in rio, para entender por que além de rock, ele é um festival de grande qualidade:

Transporte

onibus rock in rio

Todo mundo sabe que a Cidade do Rock , no Parque dos Atletas, lá no final da Barra da Tijuca, fica na puta que pariu, onde o judas perdeu mais que as botas. Daí, para aqueles que como eu são desprovidos de veículos alternativos, rola um certo friozinho na barriga sobre como chegar. Mais do que isso, na verdade, como voltar! (ninguém quer pagar absurdo de táxi de madrugada, ou esperar o transporte público – o qual também precisaria de mil conexões). Só que esse problema desapareceu da minha cabeça quando a organização do Rock in Rio anunciou os ônibus do festival. Ah, isso sim era a cosa mais linda e cheia de graça – 15 pontos na cidade, dos quais os ônibus saíam pontualmente, de hora em hora. O preço, R$ 50.

Muita gente pode ter achado caro mas, sinceramente, não foi. A comodidade é gigantesca diante de todos os apuros que se poderia passar no Rio sem um transporte digno. E faz muita diferença você sair moeção do festival e entrar num ônibus com ar condicionado e poltrona reclinável, o que te permite até tirar um cochilo durante o percurso de volta pra casa. Além disso, é o primeiro festival que vejo o shuttle com esse cartãozinho fofo, com um sistema eletrônico para check in. Os demais aqui fora, até mesmo os grandes como o Roskilde são todos no papelzinho fuleiro, haha.

Claro, surgiu desconfiança: O que será que será, será que vai ter filas, desorganização, etc? Não! Nada disso. Minha mente preconceituosa foi nocauteada por uma bela organização. Fila de ônibus organizada por bairros/regiões na volta, agilidade no embarque e segurança no transporte. Esse ano a organização vai ter o mesmo sistema, que é um dos mais eficazes, baratos e seguros para se chegar à área do festival.

A ofertada de ônibus comum também está disponível e, inclusive, é possível encontrar informações sobre os mesmos no aplicativo do festival.

Informações

O site oficial do Rock in Rio é constantemente atualizado, e com informações fartas. Há também um diálogo constante entre a organização do festival e as pessoas nas redes sociais. Além de tudo isso, é um dos festivais de ampla visibilidade na mídia. Portanto, informações sobre o mesmo não faltam.
Durante os dias em que o festival acontece tudo é também muito bem sinalizado. As equipes do transporte e da segurança também estão sempre a postos para dar informações e ajudar com o que for preciso. Os escritórios turísticos da cidade também ofertam algumas informações. O festival também tem aplicativo para Smartphone, no qual é possível acessar a escala de horário dos artistas e dos palcos, o mapa do festival, etc.

Comida e hidratação

Comida no Rock in Rio. photo:  Pedro Vilhena/Grudaemmim

Comida no Rock in Rio. photo: Pedro Vilhena/Grudaemmim

Nem todo festival deixa que as pessoas entrem com alimentos. Compreensível, afinal em torno dos shows há todo um universo comercial a ser explorado. O que não rola é ser explorado pelos preços dos alimentos. Até que no Rock in Rio 2013 era possível levar alguns petiscos. Barras de cereal, castanhas, chocolates e até mesmo um sandubinha de ricota e peito de peru estavam na minha mini lancheirinha.

Para os que não possuem muito saco para ficar carregando coisinhas em shows, as ofertas de alimentação eram as mais variadas possíveis. Desde uma banquinha com frutas processadas até as redes de fast food mais famosas encontradas nos shoppings das capitais. E os preços não eram muito diferentes daqueles que você paga numa simples saidinha no cinema. Com trinta reais no bolso por dia de festival, e alguns petiscos auxiliares, pode ter certeza de que fome você não passa. Na verdade, gastei até um pouco menos do que isso, com sucos e saladas. Para quem queria fazer questão de tomar água mineral, não era tão caro. Com três reais voce bebia 300ml. Porém, perto dos banheiros havia bebedouros, com água geladinha. O problema foi, de fato, a fila. Diante do número de pessoas que vão ao festival, talvez a organização pudesse fazer um esforço para colocar mais pontos com água potável geladinha gratuita.

Espaço para sentar e fazer piquenique também não faltava. O gramado sintético da cidade do rock era bem confortável e relativamente limpo para isso.O difícil mesmo era lembrar de se alimentar com tanto show bom para ver!

Limpeza

Gramado Rock In Rio. Photo: Official Rock in Rio Press

Gramado Rock In Rio. Photo: Official Rock in Rio Press

O Rock in Rio é sem dúvidas um dos festivais mais limpos que já conheci pelo mundo. Nos banheiros, havia uma equipe que, conforme a rotação de pessoas, promovia uma limpeza bem caprichada dos chãos e dos vasos sanitários. O banheiro era tão limpo que cheirava desinfetante. Além de limpo, o banheiro tinha espelho, para a alegria das pessoas vaidosas 😉

A limpeza do chão/ gramado artificial era tão grande que podia-se sentar tranquilamente e comer, ou mesmo deitar e repousar em alguns pontos. Por falar nisso, havia vários pontos para descanso, promovidos por alguns patrocinadores.

Conectividade

Esse foi um dos problemas do RiR. A conexão wifi não rolou mesmo em 2013. Sabemos que é muita gente e que isso dificulta. Mas, em alguns pontos de patrocinadores era possível carregar o celular e acessar a internet. O ideal, porém, era que o festival conseguisse disponibilizar isso em mais pontos da área de shows – na área inteira, se possível, como alguns festivais que vimos por aí conseguem fazer.

Segurança

Também foi muito bem organizada. As revistas foram muito bem feitas. Era complicado enfiar qualquer coisa perigosa na bolsa. Além da revista visual, os seguranças também estavam equipados com detectores de metal. Porém, ainda existe um sério problema que nos amedontra: os pequenos furtos e batedores de carteira. Essas pessoas continuam infiltradas no festival e sempre conseguem se dar muito bem. Não sei qual seria a solução, mas os relatos das pessoas que foram roubadas durante o festival são sempre recorrentes. Infelizmente, esse é um problema que reflete algo da estrutura do nosso país, e não do Rock in Rio em si. Portanto, quem não quiser ter más surpresas, talvez seja melhor deixar objetos de valor em casa. Ou então, também é possível deixá-los nos armários com cadeados que o festival passou a disponibilizar – porém, paciência com as filas será necessária!
A gente espera que a edição do Rir de 2015 seja ainda mais legal! Mas estamos muito felizes e enchemos a boca lá fora para falar do Rock In Rio, inclusive para convidar nossos amigos gringos para vir curtir esse grande festival!

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba sempre nossas dicas, histórias e novidades sobre viagens para os melhores festivais de música do mundo.

 

 

Transporte10
Informação10
Hidratação e comida8
Conectividade4.5
Limpeza10
Segurança6.5
Rock in Rio, o festival Brazuca que literalmente compete pau a pau com os gringos. Pouquíssimos deslizes na estrutura, mais pela oferta de água gelada gratuita e pela conectividade. A segurança ainda é um desafio, sendo que muitos roubos acontecem durante os shows. Esperamos encontrar melhoras nas próximas edições!
8.2

Compartilhe este post

Gracielle Fonseca

Não faço nada na vida sem paixão. Tanto que, pra me formar em Jornalismo, tive que fazer com 2 colegas um TCC sobre metal, o Ruído das Minas: a origem do heavy metal em BH. Também decidi que faria o primeiro documentário sobre as Mulheres no Metal, o Women in Metal, e fiz. Foi por paixão também que larguei um emprego público, para me aventurar pelo mundo dos festivais com a Pri.

No comments

Add yours

Deixe uma resposta

Close
Aqui também tem Black Friday! Pacotes pra festivais e seguro viagem até 25% OFFQUERO!
+ +