o que fazer no rock in rioMartini/I Hate Flash

O que fazer no Rock in Rio 2019

É um festival de música ou é um parque temático? Se você considerar a lista a seguir com o que fazer no Rock in Rio 2019, vai se convencer de que o festival está mais para parque temático mesmo. Eu tive essa “visão” quando vi o passeio virtual pela Cidade do Rock e só a confirmei à medida em que todas essas atividades foram sendo divulgadas.

Já faz um tempo que o Rock in Rio é assim, é verdade. Mas com uma Cidade do Rock ainda maior em 2019, com precisamente 60 mil m² a mais do que em 2017, totalizando 385 mil m² de área ocupada no Parque Olímpico da Barra da Tijuca, nunca fez tanto sentido a comparação com um grande parque temático.

O que fazer no Rock in Rio 2019: 10 novidades da Cidade do Rock para experimentar

Todos os itens da lista abaixo são novidades de 2019, que se somam ao que já é habitual no Rock in Rio: as atrações blockbuster do Palco Mundo, os encontros do Palco Sunset e os famosos brinquedos – tirolesa, roda-gigante, montanha-russa e mega drop.

1. Ver um espetáculo do Fuerza Bruta

O grupo de teatro argentino, conhecido por seus espetáculos super performáticos, vai apresentar um espetáculo de quatro atos que conta a história do Rock in Rio. O grupo Afroreggae e a Orquestra Sinfônica fazem participações especiais no espetáculo. Vão ser cinco sessões diárias e gratuitas em uma das arenas da Cidade do Rock.

2. Pensar sobre o futuro na NAVE

Com realidade virtual, cenografia física e virtual, projeções, efeitos sonoros e olfativos, o espaço NAVE – Nosso Futuro É Agora pretende estimular a reflexão sobre o nosso futuro. Ele será instalado em uma das arenas da Cidade do Rock e terá entrada gratuita.

3. Jogar na Gameplay Arena

Também com entrada livre pra todo mundo que estiver na Cidade do Rock, a Gameplay Arena vai trazer novidades, competições e demonstrações pra quem ama games e tecnologia.

4. Conhecer o palco de música eletrônica repaginado

Não é a primeira vez que o Rock in Rio terá um palco de música eletrônica, mas é a primeira vez que ele vem com um lineup, digamos, mais afrontoso. Pra marcar essa mudança, ele vem com um novo nome também: New Dance Order.

5. Descobrir artistas novos no Supernova

Palco que é novidade no Rock in Rio 2019, o Supernova vai ter shows de promessas do cenário nacional durante todos os dias de festival.

6. Fazer um esquenta antes de entrar na Cidade do Rock

Outro palco novo desta edição é o Carioca, que na verdade são dois. Em cada uma das duas entradas do Rock in Rio haverá um palco Carioca, que vai receber artistas independentes.

via GIPHY

7. Acompanhar uma batalha de poesia

As chamadas slams vão acontecer no Espaço Favela, palco que vai receber não só batalhas de poesias como também apresentações de músicas e bandas das comunidades do Rio, além de um espetáculo de teatro diário apresentado pelo grupo Nós do Morro.

8. Ver de perto objetos que contam a história do Rock in Rio

Um outro espaço novo do Rock in Rio 2019 é a Rota 85, que vai recriar o clima das rodovias dos Estados Unidos para resgatar a história do Rock in Rio, surgido em 1985. Dentre as atrações, uma exposição com itens que contam a trajetória do festival. Haverá também um palco nesta área, o Highway, que terá repertório voltado para clássicos do rock, blues e country.

9. Dançar uma coreografia de Bollywood

A Rock Street Ásia terá uma programação toda voltada para a cultura de alguns países asiáticos e uma das atrações será o grupo Bollywood Brazil, especializado nas coreografias típicas da indústria cinematográfica indiana.

10. Dançar coreografias de clipes que marcaram a história da música pop

Manda mais dança porque tá pouco! Na Rock District, a Cia. Nós da Dança vai apresentar coreografias que já são um clássico da música pop, como Beat It (Michael Jackson), Single Ladies (Beyoncé), Bad Romance (Lady Gaga), dentre outras.

Leia todas as nossas dicas para o Rock in Rio

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba nossas dicas, histórias e novidades de viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Priscila Brito

Sou jornalista e melômana, não sei se nessa ordem. Coleciono ingressos de shows desde 2001. Agora coleciono pulseiras de festival e carimbos no passaporte. Sou uma das mães do Festivalando e fiz Paul McCartney falar uai no Mineirão. Só porque eu gosto de música. Nas horas vagas, faço coisas sérias e tento salvar o jornalismo.

2 comments

Add yours
  1. Renan Esteves 2 setembro, 2019 at 19:07 Responder

    Falando em estrutura, se o RIR realmente confirmar a edição no Chile, em 2021, como estão dizendo, nem quero imaginar o que o evento fará com o Parque O’Higgins, que acredito que deverá ser o lugar onde será o festival.

    • Priscila Brito 5 setembro, 2019 at 18:01 Responder

      O Lolla Chile já é um grande teste de impacto pro parque. Tem sido uma média de 80 mil pessoas/dia. E já estão se completando dez anos dessa história. Não vejo porque o Rock in Rio poderia ser mais agressivo. Além disso, na entrevista pro La Tercera, o Medina deixou em aberto. Ele cogita tanto aproveitar um parque já existente quanto fazer uma Cidade do Rock por lá que possa ser usada posteriormente para outros eventos também.

Deixe seu comentário