É irônico que justamente no ano em que o Glastonbury tenha sido obrigado a ser cancelado a gente possa ter uma amostra mais clara do que o festival é na prática. Pelo menos foi essa a percepção que eu tive diante da super programação do Glastonbury digital que acontece de quinta (25) a segunda (29).

Como normalmente a cobertura do Glastonbury é toda fechada para o Reino Unido e as redes sociais não são lá tão voltadas para o que rola em tempo real, se você não está lá na Worthy Farm você não tem ideia do que está acontecendo.

Mas com o lineup digital que foi preparado para este ano todo mundo tem a oportunidade de entender minimante o que é o Glastonbury: os muitos festivais dentro do festival, as inúmeras atividades, a profusão de música e arte.

Glastonbury digital: um super lineup pra curtir de casa

Tentei fazer na sequência uma organização meio lógica da programação digital de um festival que certamente é melhor apreciado sem lógica. Mas a gente precisa partir de algum ponto, não é mesmo? Você pode conferir o lineup aqui também.

Shows

A BBC preparou uma mega programação de reprises com cerca de 50 shows, mas a transmissão está disponível somente no Reino Unido. Mas no YouTube da BBC Music tem um prêmio de consolação: várias playlists com dezenas de trechos de apresentações memoráveis.

Playlists

Tem playlists com os artistas que tocariam no festival este ano, palco por palco. Tem também uma playlist toda dedicada a alguns dos principais nomes que passaram pelo West Holts Stage na última década. E outra com clássicos do Acoustic Stage.

Mais playlists de outras áreas do Glastonbury (ou dos muitos festivais dentro do festival): Silver Hayes, The Glade, Babyloon Uprising. E outra do Stonebridge Bar.

Cinema

Um documentário com os bastidores do John Peel Stage, tradicional por apresentar bandas emergentes e que foi batizado em homenagem ao radialista da BBC que se tornou notório por ter revelado muitas das grandes bandas e gêneros que mais tarde se tornariam mundialmente famosos.

Outro sobre os bastidores do Block9 (abaixo), clube queer do Glastonbury.

https://www.youtube.com/watch?v=33ZEwRBQ75w

Tem também uma seleção de vídeos do Field of Avalon, área do festival marcada pela música folk e barracas de artesanato.

Documentários também sobre o Williams Green, palco destinado a bandas iniciantes e também cenários de alguns dos famosos shows surpresa do Glastonbury.

Ativismo, jams e subversão

Lives com a equipe da Joe Strummer Foundation, que cuida da Strummerville, área que realiza rodas de conversas e jams em torno de uma fogueira.

Tem também live da Unfairground, área dedicada à música e arte subversivas. E arquivos em foto, vídeo e áudio da Shangri-la, área radical e ativista do Glastonbury.

Política

Seleção de debates da Left Field, arena política do Glastonbury.

Rádio

Seleção de momentos especiais pela rádio exclusiva do Glastonbury, a Worhty FM, e também programação da The Crows Nest.

Mostras

Exposições online do museu Victoria & Albert sobre a história do Glastonbury e do artista residente do festival, Kurt Jackson.

Circo e teatro

Flashmobs, atividades lúdicas e shows.

Dança

Lives com aulas de sala e tango.

Kids

Programação especial para crianças aqui e aqui.

DJ sets

Sets de palcos como o Arcadia’s Pangea, The Common e HMS Sweet Charity e The Wormhole.

Universidade

Uma aula sobre história da arte no mundo em cinco objetos.

Poesia

Seleção de 12 poetas que passaram pela Poetry & Words Tent.

Bem-estar

Workshops de cura holística e de reenergização, além de música pra se conectar com as nossas raízes.

Meditação

Uma sessão de meditação para marcar a “abertura” do festival no Green Fields.

Meio ambiente

Entrevista sobre permacultura, uma festa virtual para celebrar os 50 anos do Greenpeace, destaques do Croissant Neuf (palco totalmente à base de energia solar), conteúdo sobre tecnologias ambientais e palestras sobre mudança climática direto do Green Futures.

Literatura

O livro que conta a história dos 50 anos dessa experiência monumental que é o Glastonbury está disponível em versão física e digital.

Merchandising

Claro que tem a barraquinha de merchandising. Com a diferença de que os lucros são doados para organizações como Oxfam (combate à pobreza), Greenpeace (meio ambiente) e WaterAid (acesso a água potável).

Leia mais sobre o Glastonbury

[jetpack_subscription_form title=”Gostou deste post? Temos muito mais pra você!” subscribe_text=”Receba nossas dicas, histórias e novidades de viagens para os melhores festivais de música do mundo.” subscribe_button=”Quero!”]

Leave a comment