Beach Park, Praia do Futuro, micareta e axé music: alguém aí vai negar os estereótipos que pipocam à mente quando a palavra Fortaleza chega aos ouvidos? Há um tempo a gente namora aqui uma outra realidade da capital cearense. Falamos de um festival que há 16 anos se opõe à famosa micareta Fortal. É o ForCaos, do qual já falamos em nosso roteiro de festivais pelo Brasil e agora que fomos convidadas pela organização, vamos ter o prazer de conhecer de perto.

Festival-protesto, ato de resistência underground diante de toda sorte de axé e pressão do mercadão fonográfico. E o pessoal da música extrema de Fortaleza é super organizado. Possuem a Associação Cearense de Rock, a ACR, a qual possibilita a realização do evento. Além disso, eles contam com apoio dos órgãos de cultura do estado.

ForCaos é um convite para se inteirar do beabá do rock, punk e metal feitos na região. É também uma oportunidade para refletir sobre as cenas musicais, possibilidades e caminhos da música pesada autoral, uma vez que a programação ainda traz um seminário. Esse ano, além de rodas de conversa, também serão trazidos documentários importantes sobre a história do metal nacional. Os mineiros “Ruído das Minas: a origem do heavy metal em Belo Horizonte” e “Cogumelo 35 anos” são dois destaques na programação dos semináros desse ano, bem comoo debate sobre as mulheres no metal e no punk, do qual farei parte. Os seminários começam nesta quinta-feira, dia 30, enquanto os shows acontecem nos dias 31 de julho e primeiro de agosto. ( Clique aqui Para saber mais sobre a programação do festival)

Se você está super curioso para escutar o que vai rolar nos palcos montados no Centro Cultural Banco do Brasil e no centro cultural Dragão do Mar – casas em que o ForCaos acontece – a gente te dá uma palinha aqui. Fizemos uma playlist especial, com músicas e vídeos para te apresentar essa tropa anti Cláudia Leite e Ivete Sangalo. O festival vai contar com bandas importantes do circuito musical nordestino, tais como os punks do Pastel de Miolos, Thrunda e Mercado Negro. Dos estilos metálicos variados, há a Coldness, com heavy metal clássico, o metal core da In No Sense, e ainda o rock gótico industrial da banda Maldita, presença carioca no festiival. O Rock alternativo e progressivo também terão espaço com as bandas Andes, Trem do Futuro, Nafandus e Glauco King & the West Wolves. E no domingo, Bones in Traction, Encéfalo, Criokar, Obskure, Betrayal e Deathraiser.

Bora ouvir:

[jetpack_subscription_form title=”Gostou deste post? Temos muito mais pra você!” subscribe_text=”Receba sempre nossas dicas, histórias e novidades sobre viagens para os melhores festivais de música do mundo.” subscribe_button=”Quero!”]

Leave a comment