experiencia burning manFotos: Bureau of Land Management/BLM Nevada/Wikimedia Commons

7 países onde você pode ter a experiência Burning Man

Sendo experiência uma das palavras mais usadas (às vezes em vão) para tornar os festivais mais atrativos, pouquíssimos eventos hoje oferecem uma experiência tão genuína, singular e cobiçada como o Burning Man. Há quem tenha como uma das metas da vida um dia rumar à área desértica de Nevada para viver a experiência Burning Man, mas a verdade é que ela pode ser vivida em qualquer lugar. O respeito à proposta original e a entrega dos participantes não estão condicionados a um determinado espaço-tempo. Tanto é assim que hoje há eventos nos cinco continentes que proporcionam a experiência Burning Man, de maneira desterritorializada e descentralizada.

Até o momento, sete países têm suas edições locais do Burning Man. Este número pode aumentar a qualquer momento, visto que o Buring Man incentiva a criação de comunidades em qualquer lugar do mundo de pessoas que se identificam com a proposta do projeto e que queiram desenvolver atividades semelhantes em suas localidades, independente da proporção das mesmas. Em alguns poucos países acontece o evento em si, em muitos outros, há atividades pequenas, ao longo do ano, e grupos de discussão permanentes. No site do Buring Man você pode entender melhor como funciona a rede global.

A seguir você conhece quais são os sete países onde hoje é possível ter a experiência Burning Man. No geral, os eventos seguem os moldes do pioneiro: ergue-se uma cidade temporária baseada em princípios de diversidade, inclusão experimentação, liberdade e auto-expressão, onde todo e qualquer tipo de atividade é criado pelos próprios participantes, elementos ativos da realização do evento. Não há limites (a não ser o respeito ao outro), nem julgamentos.

As diferenças residem basicamente nas proporções do evento – todos são radicalmente menores que o pioneiro, nos Estados Unidos, e no preço – todos têm um ingresso bem mais acessível. A propósito, seguindo o princípio da inclusão, todos têm tarifas diferenciadas para quem comprovar que não consegue arcar com o valor total do ingresso.

Escolha o seu destino:

experiencia burning man

Bureau of Land Management/BLM Nevada/Wikimedia Commons

Nova Zelândia – Kiwi Burn

Onde: Hunterville, North Island
Quando: cinco dias durante o mês de janeiro
Ingressos: a partir de 95 dólares neo-zelandeses (R$ 230)

O Kiwi Burn foi o primeiro a levar a experiência Burning Man para fora dos Estados Unidos. É realizado na porção norte da Nova Zelândia desde 2004. Apesar de já consolidado no calendário há mais de uma década, segue com o mesmo tamanho: atrai cerca de 1.500 pessoas por ano.

Na definição do Kiwi Burn, as atrações do evento são limitadas unicamente pela imaginação das pessoas – performances, instalações de arte, surpresas aleatórias, acampamentos temáticos e interativos. O importante é que se estabeleça de forma co-criativa uma outra realidade social.

Saiba mais: www.kiwiburn.com

África do Sul – AfrikaBurn

Onde: Tankwa
Quando: durante uma semana em abril ou maio
Ingresso: a partir de 1.122 rands (R$ 252)

O AfrikaBurn é o maior evento da rede Burning Man fora dos Estados Unidos. Estabelecido na África do Sul desde 2007, atinge hoje a marca de 12 mil participantes.

O cenário é o Karoo, área semidesértica do país. Como prega a cartilha do Burning Man, no local é erguida uma comunidade para que seus participantes criem e façam aquilo que desejarem – desde que não prejudique o próximo. Estruturas em chamas e veículos mutantes, elementos emblemáticos do evento original estão presentes, mas vale tudo mesmo: construir, cozinhar, dançar, cantar, compartilhar, tocar.

Saiba mais: www.afrikaburn.com

Israel – Midburn

Onde: Deserto de Neguev
Quando: cinco dias em maio ou junho
Ingresso: 580 shekels (R$ 530)

O deserto que se espalha por mais da metade do território israelense recebe o Midburn desde 2014. Por quase uma semana, uma cidade temporária emerge no deserto para estimular valores como criatividade, responsabilidade, visionarismo e auto-expressão radical, alguns dos princípios chave do evento original, nos Estados Unidos. Apesar de recente, a versão israelense do Burning Man já recebe cerca de seis mil pessoas de mais de doze nacionalidades.

Saiba mais: midburn.org

Espanha – Nowhere

Onde: Entre Zaragoza e Lleida
Quando: seis dias em julho
Ingresso: 140 euros (R$ 550)

O nome não é por acaso. O Nowhere (lugar nenhum) não acontece em um lugar com endereço dos mais precisos. O que se tem são as coordenadas geográficas para se chegar à região montanhosa próxima à pequena cidade de Monegros onde acontece o evento. Dividida em “barrios” (nome dado aos tradicionais acampamentos temáticos da rede Burning Man), a versão espanhola se define como uma culminação de música, linguagem, arte, oficinas e festas realizadas por pessoas de uma diversa comunidade internacional.

Saiba mais: www.goingnowhere.org

Canadá – Burn in the Forest + 2 comunidades regionais

Onde: Agassiz
Quando: durante quatro dias em julho
Quanto: 135 dólares canadenses (R$ 364)

Abandonando as paisagens áridas das demais edições, o Burn in the Forest acontece em uma área com lagos e montanhas em meio a uma floresta (como o nome sugere) a uma hora e meia de Vancouver. No calendário desde 2002, atrai cerca de mil pessoas que formam juntas uma zona temporária autônoma onde a experimentação e a diversidade prevalecem.

Além do Burn in the Forest, o Canadá tem também duas comunidades que realizam eventos menores ao longo do ano: Burn Victoria (Victoria) e Mooseman (Toronto).

Saiba mais: burnintheforest.com

Coreia do Sul – Korea Burn

Onde: Ilha de Muuido
Quando: setembro
Ingresso: sem valores correntes

O Korea Burn teve sua primeira edição em 2011. A locação é a Ilha de Muuido, nas proximidades de Incheon, no sul da Coreia. Em quatro edições consecutivas, levou para o país asiático o espírito de comunidade e expressão criativa do Burning Man. Houve um hiato em 2015 e ainda aguardam-se informações sobre a edição 2016.

Saiba mais: www.koreaburn.co.kr

Estados Unidos – Burning Man + 14 comunidades regionais

Onde: Nevada
Quando: dez dias durante agosto/setembro
Quanto: a partir de 390 dólares (R$ 1.276)

Completando 30 anos de atividades em 2016, o Burning Man chega à marca de 60 mil participantes no evento original, no deserto de Black Rock, e soma outros 14 eventos e/ou comunidades regionais que mantém a filosofia comunitária e transformadora durante todo o ano, em várias regões dos Estados Unidos.

Love Burn, Flórida (janeiro)
PreHeat, Flórida (abril)
Saguaro Man, Arizona (abril)
Reclaimation, Kentucky (maio)
Apogaea, Colorado (junho)
Lakes of Fire, Illinois (junho)
PortalBurn, Nova York (estado) (agosto)
Burning Flipside, Texas
Playa Del Fuego, Delaware
Transformus, Carolina do Norte
Soak, Portland
YouTopia, Califórnia
Critical Northwest, Washington (estado)
Soulfire, Califórnia

Saiba mais: burningman.org

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba sempre nossas dicas, histórias e novidades sobre viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Priscila Brito

Sou jornalista e melômana, não sei se nessa ordem. Coleciono ingressos de shows desde 2001. Agora coleciono pulseiras de festival e carimbos no passaporte. Sou uma das mães do Festivalando e fiz Paul McCartney falar uai no Mineirão. Só porque eu gosto de música. Nas horas vagas, faço coisas sérias e tento salvar o jornalismo.

2 comments

Add yours
    • Priscila Brito 24 maio, 2016 at 11:49 Responder

      ah, Vitor. Se o Orion Festival atende tudo que você espera de um festival, não tem problema… Mas nada impede também que você vá no Orion E TAMBÉM em outros festivais, por que não? O importante é ficar satisfeito com a experiência 🙂

Deixe seu comentário