estrutura dos festivaisFoto em destaque: Stiig Hougesen/Roskilde Festival/Divulgação. Fotos do post: Festivalando

Festivalômetro: como avaliamos a estrutura dos festivais

Vocês já sabem: aqui no Festivalando a gente bota mesmo o pé na grama ou na lama de um festival não só porque a gente gosta desse farra toda, mas também porque nossa missão é traçar um panorama do universo dos festivais pelo mundo a partir de vivências reais e fornecer relatos de experiências que sejam úteis pra vocês.

Essas experiências são multifacetadas, obviamente. A menos “mágica” delas, mas uma das mais importantes, diz respeito à estrutura dos festivais oferecida para o público, e por isso mesmo temos uma categoria exclusivamente dedicada ao tema. Entendemos que a obrigação primordial de um festival é montar uma estrutura eficiente para receber as pessoas, pois quando compramos um ingresso não estamos apenas garantindo nossa entrada numa área restrita, estamos também adquirindo um serviço e ele definitivamente precisa ser bem feito.

É por isso que desde o início nós avaliamos detalhadamente a estrutura dos festivais que visitamos e passamos, posteriormente, a atribuir notas a essas avaliações para tornar tudo mais objetivo. Tudo está reunido no nosso Festivalômetro, nossa ferramenta de avaliação e ranqueamento de festivais por meio de notas de 0 a 10, resultado da média dos seis quesitos que a gente sempre considera nas análises.

O que faltava era esclarecer pra vocês quais elementos exatamente a gente usa para atribuir notas a cada um dos quesitos fixos nas nossas avaliações: transporte, informações, hidratação e comida, conectividade, limpeza e banheiros e segurança.

Abaixo a gente detalha ponto a ponto cada um deles. Com isso, esperamos que as nossas avaliações fiquem mais claras ainda. Também contamos com a opinião de vocês caso queiram sugerir, relativizar, acrescentar, ponderar, criticar, etc, ok?

Transporte

brutal_shuttle

Consideramos as condições de acesso ao festival e também as condições de volta pra casa. A avaliação final é uma tentativa de equilibrar duas frentes: a facilidade de chegar e sair do local usando transporte público e estratégias alternativas ou de reforço para otimizar o deslocamento.

  • Transporte público: é importante que as pessoas tenham como primeira opção a forma mais barata de transporte. Conta mais pontos se for transporte de massa (metrô e trens de superfície, VLT),pois isso, em tese, significa mais rapidez no deslocamento e também no escoamento do público no fim do festival.
  • Ações adicionais: os esforços da produção do evento podem ser por meio da criação de esquemas especiais de transporte, negociação com o poder público para disponibilização de linhas adicionais ou extensão do horário de funcionamento do transporte. Pode ser também um esquema organizado de táxis, inclusive com parcerias que ofereçam descontos nas corridas. Consideramos também opções pagas, do tipo transporte oficial/shuttle. Obviamente, é muito importante que essas ações adicionais também funcionem bem.

É importante dizer que, obviamente, um festival que acontece em uma cidade que tem um sistema de transporte eficiente naturalmente vai conseguir uma nota maior nesse quesito. Por outro lado, uma boa estratégia alternativa pode ser um contrapeso para uma estrutura de transporte ruim. Ou seja, um festival que acontece numa cidade com uma estrutura fraca de transporte pode acabar se saindo bem na nota se essas ações alternativas forem muito eficientes.

Informações

destacada1

Consideramos todos os recursos que o público tem para se informar e tirar suas dúvidas antes e durante o festival, desde o site oficial até os recursos de informação oferecidos no local

  • No site: é importante que haja riqueza e detalhamento de informações, bem organizadas e corretas
  • No local: é importante que haja um uso combinado de alguns desses recursos: sinalização clara das principais áreas do festival, pontos de informação bem localizados e sinalizados, funcionários/voluntários do tipo “posso ajudar” espalhados pela área, distribuição de mapas/programação impressos, totens ou grandes placas

Hidratação e Comida

lollapalooza chile 2015

As formas de hidratação fornecidas pelo festival certamente são o que mais vão impactar a nota deste quesito, pois estamos tratando de um recurso essencial para a sobrevivência humana. No entanto, as condições de alimentação também são muito importamos. Colocamos ambas num mesmo quesito por serem categorias afins.

  • Hidratação: a disponibilização de água gratuita é o critério único e fundamental para nossa avaliação das condições de hidratação. Ponto final. Esta é uma prática comum em festivais no exterior e já virou praticamente uma bandeira aqui no Festivalando
  • Alimentação: é importante que haja variedade e diversidade nas opções à venda dentro do festival, inclusive que atendam não só a diferentes gostos como também a necessidades alimentares (celíacos, vegetarianos, veganos, etc). Originalidade é um diferencial que pode melhorar a nota. É muito importante também que o festival permita que o público entre com quantidade razoável de alimentos, principalmente quanto maior for a duração do evento

Conectividade

recarga de celular

Obviamente, avaliamos as condições que você tem para se comunicar com o mundo exterior ou mesmo com seus amigos que também estão no festival e que, porventura, podem se separar de você. Mais detalhadamente, é isso que a gente considera:

  • Sinal: o mínimo que se espera é que ao menos o sinal do seu celular fique estável para que você não fique totalmente incomunicável.
  • 3G: acesso fácil à internet por meio do seu pacote de dados
  • Wi-fi: disponibilização de redes abertas que de fato funcionem
  • Carregamento: estações para que se possa recarregar a bateria do celular. É uma raridade, mas não é impossível de se colocar em prática e já vimos diferentes soluções: desde totens padrão, com cabos adaptáveis a diferentes tipos de celulares, até bicicletas que tiravam energia das pedaladas (foto acima, no Rokilde, na Dinamarca). O uso era livre para todo público.

Limpeza e banheiros

lollapalooza chile

Este é um quesito que combina o esforço da organização do festival com o comportamento do público

  • Limpeza: disponibilização de lixeiras de maneira bem distribuída e visível. Separação de lixo reciclável é um bônus. É importante que haja também uma equipe responsável por recolher o lixo ao longo da realização do festival, mas entendemos que a limpeza depende muito também da consciência do público, que deve evitar jogar o lixo no chão
  • Banheiros: Quanto menos banheiros químicos e mais opções alternativas a esse tipo de sanitário, melhor. Há muitos outros tipos de banheiros que um festival pode utilizar, e aos quais já tivemos acesso, que conseguem manter condições humanas de uso por mais tempo. Muitos deles, inclusive, têm uma pegada bastante ecológica. Água para lavar as mãos é um diferencial que conta muitos pontos

Segurança

20140705_203344

Alguns quesitos básicos que consideramos:

  • Revista: tão importante quanto sua realização é que ela seja rápida para evitar aglomerações. É importante também que seja rigorosa no cumprimento das restrições de objetos com entrada proibida, como é sempre informado previamente ao público
  • Aglomerações: o festival deve ter espaços suficientes para boa circulação do público e também ter uma boa logística de gestão do fluxo da multidão na entrada e na saída
  • Atendimento médico: sempre haverá, pois é um pré-requisito legal para que o evento possa acontecer. Mas é importante que seja bem sinalizado e proporcionalmente bem distribuído conforme a área do festival

Reforçando o convite: fiquem à vontade para sugerir, relativizar, acrescentar, ponderar, criticar, etc todos esses nossos critérios de avaliação, ok?

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba sempre nossas dicas, histórias e novidades sobre viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Priscila Brito

Sou jornalista e melômana, não sei se nessa ordem. Coleciono ingressos de shows desde 2001. Agora coleciono pulseiras de festival e carimbos no passaporte. Sou uma das mães do Festivalando e fiz Paul McCartney falar uai no Mineirão. Só porque eu gosto de música. Nas horas vagas, faço coisas sérias e tento salvar o jornalismo.

2 comments

Add yours

Deixe uma resposta

Close