O totem do ”selfie”

Selfie: de acordo com o Urban Dictionary, é uma foto feita pela própria pessoa, em que geralmente o braco dela aparece segurando a câmera, e daí você conclui que essa pessoa não possui nenhum amigo para fotografá-la. Eles ainda acrescentam que, um selfie geralmente vem acompanhado da expressão de biquinho, ou do “v”de paz, feito com a mão… eu ainda observaria que existe o selfie Yo!, o selfie sorriso forçado, o selfie maloik, o evil selfie e o selfie mão de fogo… e por falar em selfie maloik e mão de fogo, esses aí nunca faltam nos festivais de heavy metal.
Então, é claro que no Roça’n Roll ia ter em abundância. Não sei se foi pensando nisso ou em qualquer outra coisa, mas só sei que a organização do festival decidiu facilitar a vida de todos aqueles que queriam um selfie na roça metálica. E a promessa de um selfie rápido, bonito, gratuito e sem sofrimento vinha em forma de um totem eletrônico, que ficava na tenda do Roça’n Roll. Você ia lá, sozinho ou com azamizade ( ai vem a categoria selfie coletivo), aprumava o corpo na frente da máquina. O temporizador contava alguns segundos e você, lindamente fazia a carinha selfie da sua preferência. Se eu fui? Claaaaro…. optei por um selfie coletivo com carinha meiga e mão de fogo… geralmente as pessoas preferem mão de fogo com evil selfie. Mas sou do contra.
Foto176625
E, o melhor de tudo, essa exclusividade mineira – por que até então não vimos nenhuma máquina de selfies em nenhum outro festival – se encarregava ela mesma de postar suas fotinhas direto no Facebook. Não é o máximo da selfiecação do mundo?

Compartilhe este post

Gracielle Fonseca

Não faço nada na vida sem paixão. Tanto que, pra me formar em Jornalismo, tive que fazer um TCC sobre metal, o Ruído das Minas: a origem do heavy metal em BH. Também decidi que faria o primeiro documentário no mundo sobre Mulheres no Metal, o Women in Metal, e fiz. Comecei a ir em festivais de metal internacionais em 2009. Desde então, viajar em busca da música, essa outra paixão, tornou-se um projeto profissional que hoje chamamos de Festivalando.

2 comments

Add yours

Deixe seu comentário