Official Hellfest/ L7 – Photo: Nicko Guihal

O dia MTV do Hellfest

Sábado, dia 20 de junho de 2015, mais um dia do grande festival de metal Hellfest em Clisson, na França – Não. Não foi só mais um dia. Sábado foi o dia MTV do Hellfest e eu vou te contar o porquê. Aquela MTV que muitos de nós conhecemos, lá naqueles tempos áureos da década de noventa e anos 2000, tinha uma certa cara. Alguns programas eram sim segmentados, como por exemplo o saudoso Fúria Metal, com o Gastão Moreira. Mas não é do Fúria metal que estou falando, apesar de o Hellfest ser um festival que tem em seu cerne o heavy metal e as muitas variações do estilo. Quando eu falo dessa cara que a MTV tinha da década de 90 em diante, falo de uma mescla de gêneros que aconteciam em alguns programas, carros chefe da emissora. O pop, o metal, o rock, o grunge, o rap e r&b, às vezes todos eles estavam ali juntos, no mesmo disque MTV ou Top 20, e fazia muita gente ficar ligado para saber a colocação da banda preferida – no meu caso, disputava com um amigo meu. Na época eu era super fã de Aerosmith e ele fã de Spice Girls. Se as Spices Girls avançavam a posição, ficavam à frente do Aerosmith, pronto! Já era motivo para o Chicão me ligar e zoar até… bons tempos!

A sensação do meu sábado no Hellfest foi a mesma dos meus sábados à tarde da década de 90. Aqueles sábados em que me punha na frente da tela multicolorida, aumentava o volume e assistia ali, largada no sofá, às vezes à vários programas em sequência. Não me importava em ter que esperar o REM para poder ver o clipe do Metallica. Também não ligava se tinha que esperar o U2 para ver o L7, ou a Mariah Carey para ver o Guns n’ Roses. E esse foi de fato o meu estado de espírito naquele dia de festival. Não me importei, ou ao menos fingi que não, em ter que esperar o show do Scorpions para assistir ao Marilyn Manson.

Outro aspecto que mostra esse padrão MTV – muito no sábado, mas também em outros momentos do festival, é o fato de as bandas que estavam ali, a maioria delas ( ou pelos menos aquelas que estiveram nos palcos principais), são aquelas que basicamente construiram seu legado com base na divulgação massiva promovida pela emissora e pelas grandes gravadoras. Todas elas nasceram quando a música e o metal viviam outro momento, muito diferente do momento de agora, ainda pré napster, kazaa, torrent…

O valor dos cds e lps naquela época era alto, os shows super raros no Brasil – limitados à cidade de São Paulo, diga-se de passagem. O videoclipe era a forma de entrar em contato com a performance dos nossos músicos favoritos. E quem tinha vídeo cassete para gravar a MTV naquela época era rei! Quantos de nós não assistimos aos especiais, aos shows e festivais com os quais o canal nos agraciava de vez em quando? Era de arrepiar!

Enfim, bateu um grande saudosismo daquela época, durante aquele sábado todo- foi main stream? Pra caralho! Mas por algum lugar a gente começa a ouvir música, e geralmente é pelo caminho massivo. Não vi todos os shows daquele dia, até porque era um pouco impossível devido à coincidência de horários. ( Fiz muito isso de ver metade de um show, metade de outro, mas tinha hora que era muito difícil abandonar uma banda e uma plateia animada). Veja se você não concorda comigo que esse dia de Hellfest tava a cara da MTV Brasil:

Backyard Babies

Os suecos se apresentaram no palco principal 2 do Hellfest esse ano, levantando a massa de muitos e muitos fãs do gênero rock/hard glam. Vi três músicas do show, dentre elas o hit mtvístico “The clash”, que foi bem executado, e animou geral no fim do show.

 

L7

As rainhas do grunge, garotas mulheres marotas, mostraram toda meninice e atitude, também no palco principal 2 do Hellfest. Foi uma apresentação muito massa, que fez a galera pular e cantar o tempo inteiro. “Fuel my fire” e “Pretend we’re dead” foram pontos marcantes do show das ” L sept” =)

 

Slash

Ele sozinho tem feito um verão viu, voa andorinha! Um não, vários festivais de rock e metal do verão esse ano. Junto com seus comparsas do Guns N’ Roses há alguns anos atrás, quer ícone mais evidente da MTV da década de 90?? Clássicos e músicas novas, e a mesma cabeleira de sempre levando a galera ao delírio no Hellfest 2015.

 

Killing Joke

Rock, punk, não tem uma definição para essa banda que experimenta de tudo, e fez um showzaço. Alguns hits famosos, como esse aqui foram executados e cantados por todo mundo:

Faith no More

Sem palavras para o show desses caras. Na verdade, precisa de um post inteiro para falar o quanto foi bom, em detalhes! <3

Marilyn Manson

Ele sempre deixava a tela da MTV mais assustadora, com toda sua bizarrice e audácia. Foi um concerto mediano, infelizmente. Mas boas músicas foram tocadas, como “mObscene”, “Rock is dead”, “Dope show” e o clássico de todos os tempos da telinha mtvísitca, “Sweet dreams”.

Compartilhe este post

Gracielle Fonseca

Não faço nada na vida sem paixão. Tanto que, pra me formar em Jornalismo, tive que fazer um TCC sobre metal, o Ruído das Minas: a origem do heavy metal em BH. Também decidi que faria o primeiro documentário no mundo sobre Mulheres no Metal, o Women in Metal, e fiz. Comecei a ir em festivais de metal internacionais em 2009. Desde então, viajar em busca da música, essa outra paixão, tornou-se um projeto profissional que hoje chamamos de Festivalando.

No comments

Add yours

Deixe seu comentário