" /> Onde ficar em Los Angeles: a estratégia para escolher o melhor bairro | Festivalando
onde ficar em los angelesGabriele Maltinti via Shutterstock

Onde ficar em Los Angeles: a estratégia para escolher o melhor bairro

Não há muito o que discutir sobre o apelo turístico de Los Angeles, não é mesmo? É um dos destinos garantidos em uma viagem para os Estados Unidos. É também aquela parada mais que certeira se você vai para o Coachella. A questão que sempre pega é saber onde ficar em Los Angeles, devido à fama do trânsito ruim e das dificuldades de deslocamento na cidade.

Eu digo que essa é uma preocupação que, na prática, é real, mas nem tão ruim quanto pinta a teoria. É possível usar o transporte público em Los Angeles e assim eu fiz quando estive lá. Mais que isso, usei a partir de uma das regiões menos favoráveis pra isso, que é Beverly Hills.

Se você é uma pessoa que sempre dá preferência ao transporte público, vai saber como lidar com as limitações da cidade. Se este não é o seu caso, considere a possibilidade de alugar um carro ou separar um orçamento para Uber/táxi. De todo modo, em ambos os casos, é importante entender a dinâmica dos principais bairros com hotéis para fazer uma escolha estratégica.

Use o nosso cupom de desconto de seguro viagem e economize 🙂

Onde ficar em Los Angeles: entenda os principais bairros

Na hora de escolher onde ficar em Los Angeles, fatalmente você vai se ver entre Santa Monica e Hollywood + West Hollywood. Estas são as duas principais e melhores opções. Ambas contam com oferta grande de hotéis, são áreas agradáveis e próximas de alguns dos lugares mais típicos entre os turistas. Além disso, são servidas pelo metrô de Los Angeles.

Downtown LA corre por fora. Não é o lugar mais famoso, mas é o mais privilegiado em termos de infra-estrutura de transporte. Por fim, Beverly Hills, onde eu fiquei, é uma alternativa limitada a alguns casos.

Hollywood e West Hollywood: o coração turístico de Los Angeles

Hollywood e West Hollywood são, fatalmente, regiões populares entre os turistas por motivos óbvios e têm consequentemente boa oferta de hotéis. Comecemos por Hollywood, que certamente deve fazer os olhos de muita gente brilhar.

Quem quer conhecer os principais estúdios de cinema, como o Universal Studios, a calçada da fama, o letreiro com o nome da região, o Museu Madame Tussaud, dentre outros, certamente vai otimizar o tempo ficando por aqui. A região de Hollywood também é servida pelo metrô, o que significa facilidade de deslocamento para outros pontos da cidade para quem não puder usar carro.

Sugestão de hotel em Hollywood: Magic Castle Hotel

Quando estive em Los Angeles, não fiquei em Hollywood. Mas uma amiga ficou, em uma viagem que fez com o marido, e recomendou o hotel em que se hospedou, o Magic Castle Hollywood. A opinião dela sobre o hotel:
 
“Eles ofereceram uma bebida pra brindarmos assim que chegamos. Chegamos bem antes do horário do check-in e tinha um quarto superior ao que reservamos vazio e já nos instalaram sem custo nenhum. Ficamos a estadia toda nele. Também tinha um café da manhã incluído com várias opções.
 
Durante o dia você pode comer várias coisas sem custo adicional (chocolates, sorvete, salgadinhos). É só pedir na recepção. E ainda descolaram comidas brasileiras pra mim. Eu já estava grávida e queria arroz, feijão, frango e purê de batata. Arrumaram um restaurante que entregava lá.
 
Além disso, é super bem localizado, tem estacionamento. Eles também recebem encomenda sem cobrar por isso e têm serviço gratuito de lavanderia. Enfim, o hotel não é luxuoso, a estrutura é simples (sem deixar de ser limpa e confortável), mas foi um dos melhores lugares em que me hospedei.”
 
RESERVE AQUI o Magic Castle Hollywood

West Hollywood

Como o nome sugere, fica a oeste de Hollywood. A principal diferença para Hollywood, o chamariz-mor de Los Angeles, é o fato de a porção oeste ser uma área mais tranquila que o famoso bairro da indústria do cinema – o excesso de turistas em Hollywood pode ser estressante para algumas pessoas. Outro destaque em West Hollywood são as baladas e a cultura gay.

Uma vez que a região é vizinha de Hollywood, você não terá dificuldades para chegar ao local mais cobiçado pela maioria. A calçada da fama, o Madame Tussauds, o Universal Studios, o símbolo de Hollywood e o Observatório Griffith (onde muita gente vai para observar o símbolo) estão todos próximos. Será necessário recorrer aos ônibus caso você opte pelo transporte público; o metrô chega até Hollywood, mas ainda não chega em West Hollywood.

Aqui tem uma seleção com os melhores hotéis de West Hollywood e também os hotéis com a melhor faixa de preço.

Beverly Hills: entre os abastados

Beverly Hills é um área super agradável, bonita e, mais que isso, rica. Portanto, os preços aqui são mais favoráveis para quem não tem restrições no orçamento. No que diz respeito à localização, considero que é melhor para quem for alugar um carro na cidade, pois fica um pouco distante dos principais pontos de interesse e o metrô não chega até lá.

Sugestão de hotel em Beverly Hills: Marriot Residence Inn Beverly Hills

Eu estive em Los Angeles a trabalho para um intercâmbio profissional e como a empresa em que trabalhei ficava em Beverly Hills, me colocaram em um hotel na região.
 
Ele é ótimo para estadias mais longas porque os quartos são no estilo de apartamentos. Eles são equipados com cozinha e uma sala de estar, além de área para trabalho. Pipoca, chocolate quente, chá e café estão à disposição no quarto gratuitamente. O hotel também tem academia, piscina e algumas bebidas à disposição dos hóspedes na recepção.
 
RESERVE AQUI o Residence Inn Beverly Hills

Em Beverly Hills, eu consegui me virar com transporte público para visitar Hollywood, Santa Monica, Downtown, etc, mas pode levar tempo o deslocamento, mesmo com trânsito bom. Porém, em alguns momentos, foi impossível não apelar para o Uber.

Se você quer ficar na região do luxo e da riqueza, pode reservar aqui os melhores hotéis de Beverly Hills.

Santa Monica: a LA praiana

Santa Monica é o lugar que eu certamente teria escolhido ficar; foi definitivamente a área que mais me agradou. É uma região da grande Los Angeles, mas é quase como se fosse um bairro da cidade, pois é praticamente contígua ao restante da cidade, bem perto de Beverly Hills.

Aqui é o lugar da Los Angeles praiana, uma parte mais viva da cidade (ao contrário de Beverly Hills, onde todo mundo praticamente só fica dentro dos carros). Fica à beira-mar e tem aquele clima de férias o tempo todo. Além disso, de Santa Monica é fácil chegar até Venice Beach (aquela LA skatista, da cultura canábica), Marina Del Rey, Downtown (com ligação pelo metrô) e o aeroporto (LAX).

Você pode reservar aqui os hotéis com a melhor avaliação em Santa Monica. Ou então vasculhar entre os hotéis com diárias mais baratas.

Downtown: a Los Angeles que não está no imaginário

O centro de Los Angeles passa longe do que a gente tem em mente quando pensa na cidade. Arranha-céus espelhados, negócios; é o coração financeiro da cidade. Não é a primeira opção dos turistas, mas tem a vantagem da boa estrutura de transporte. Isso é valiosíssimo em LA. Muitas linhas de ônibus chegam até lá e os principais entrocamentos do metrô estão na região. De lá fica fácil chegar até Hollywood, por exemplo.

Chinatown, Koreatown e o Dodger Stadium está próximos. Já o centro de convenções da cidade e o Staples Center, onde acontece o Grammy, estão exatamente em Downtown LA. Partindo do centro é fácil chegar de metrô até Pasadena, cidade certeira se você quiser incluir um mega show no seu roteiro. É lá que fica o Rose Bowl, estádio que recebe os shows das grandes turnês.

Os melhores hotéis de Downtown LA estão neste link para você reservar.

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba nossas dicas, histórias e novidades de viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Priscila Brito

Sou jornalista e melômana, não sei se nessa ordem. Coleciono ingressos de shows desde 2001. Agora coleciono pulseiras de festival e carimbos no passaporte. Sou uma das mães do Festivalando e fiz Paul McCartney falar uai no Mineirão. Só porque eu gosto de música. Nas horas vagas, faço coisas sérias e tento salvar o jornalismo.

No comments

Add yours

Deixe seu comentário