Gary Go/Lollapalooza Chile/Divulgação

Skrillex, Major Lazer e Calvin Harris – O que esperar dos shows no Lolla

Brasil, tô de volta! Depois de passar pelo Estereo PicNic, em Bogotá, na Colômbia, no Lollapalooza, em Santiago, no Chile, e no Asunciónico, em Assunção, no Paraguai, estou aqui #desmaiada porém pronta para fechar o ciclo de viagens e festivais deste mês no próximo fim de semana, no Lollapalooza Brasil, em São Paulo.

Conheci muita gente, muitos lugares e, claro, vi um monte de show, grande parte deles de atrações que vão estar no nosso Lolla também. Se você não liga para spoilers (são spoilers de leve, prometo), conto a partir de agora o que vi e achei do show de três grandes atrações da eletrônica, inclusive headliners, que vão se apresentar em Interlagos no sábado (28) e no domingo (29): Skrillex, Major Lazer e Calvin Harris. O que esperar de cada um deles? A resposta:

Skrillex
É o show em que a indiferença não existe. Já falei aqui sobre como Skrillex, sua música e performance são inescapáveis e a prova disso é que eu, não tão entusiasta assim de música eletrônica, já vi quatro shows do Skrillex nas minhas andanças por festivais pelo mundo. Não consigo deixar de ver! E é um dos pouquíssimos artistas que invariavelmente sempre leva a multidão à loucura (no Estereo Picnic, em Bogotá, na Colômbia, vi a mesma plateia assistir estática ao Jack White quebrando tudo e depois se acabar loucamente com Skrillex).

“Take Ü There”, do Jack Ü, projeto de Skrillex com Diplo, tem sido a faixa de abertura dos shows e uma outra constante tem sido a cumbia – que já faz parte do repertório do produtor e que faz mais sentido ainda em território latino. Ainda na Colômbia, Skrillex encerrou o show com um remix do gênero, saiu do palco, deixou a música rolando e o pessoal seguiu dançando como se fosse um baile que ia durar a noite toda. Rolou cumbia também no Lolla Chile.

Será que não rola uma adaptação tupiniquim e Skrillex solta um batidão funk em algum momento do show? Fica a dica, miga.

Quando e onde no Lolla? Sábado (28), das 19h40 às 21h10, no Palco Ônix

Major Lazer
PANCADÃO + Espetáculo performático caótico. Tem dançarinas, boneco gigante inflável (quando a “presença” de Major Lazer é convocada no palco), canhão de fitas coloridas, jato de ar na galera e Diplo passeando pelo público dentro de uma grande bola inflável (o produtor fez essa estripulia no Asunciónico, no Paraguai, e no Estereo Picnic, na Colômbia).

Diplo, a propósito, gera boa parte da energia do show com sua bateria de garoto hiperativo – ou simplesmente de um baita mulek levado. Em menos de cinco minutos ele pode escalar e saltar das pickups, provocar o público, correr de um lado para o outro do palco e balançar a bandeira do país onde está tocando. Tudo fica ainda mais intenso, no melhor estilo efervescente de panela de pressão, num ambiente fechado, como foi no Lolla Chile, onde o show rolou na Movistar Arena, uma arena coberta para shows instalada dentro do parque O’Higgins, e também como será no Lolla em São Paulo. “Watch Out For This”, “Get Free” e remixes como o de “Can’t Hold Us” (Macklemore & Ryan Lewis) estão lá para completar a ferveção.

Quando e onde no Lolla? Sábado (28), das 21h30 às 22h45, no Palco Perry

Calvin Harris
Não entenda mal o que vou dizer: é aquela farofa. E farofa é super popular e praticamente todo mundo gosta, não é mesmo? Fácil, fácil, foi o show que mais atraiu público no Lolla Chile, por exemplo. Para eu sair do palco onde o escocês tocava e atravessar o parque O’Higgins para ver o Major Lazer em outro palco eu tive que passar por um mar de gente espremida numa área em que em todos os outros momentos do festival era possível circular com fluidez.

No Asunciónico, no Paraguai, pelo menos metade do público estava moribunda, sentada no gramado à 1h da manhã tentando achar ânimo pro show do Kasabian, mas todo mundo se apressou para levantar e correr em direção ao palco quando o DJ começou seu show.

Calvin Harris é o homem do caminhão de hits (de “Feel So Close” a “We Found Love” dá para espremer quase todo no show) com os estereótipos de DJ um pouco acentuados – joga os braços musculosos pro alto várias vezes e pergunta pro público can you feeeeeel iiiitttt? Em meio a tudo isso, canhões de luz, chuva de papel picado e pirotecnia – às vezes tudo junto. Goste ou não, é o nome da vez. E ele vai tocar “Summer”, sim, e se reclamar vai tocar duas vezes!

Quando e onde no Lolla? Domingo (29), das 18h55 às 20h10, no Palco Ônix

O Festivalando é Embaixador Oficial do Lollapalooza Brasil. Leia mais informações sobre o festival aqui.

Compartilhe este post

Priscila Brito

Sou jornalista e melômana, não sei se nessa ordem. Coleciono ingressos de shows desde 2001. Agora coleciono pulseiras de festival e carimbos no passaporte. Sou uma das mães do Festivalando e fiz Paul McCartney falar uai no Mineirão. Só porque eu gosto de música. Nas horas vagas, faço coisas sérias e tento salvar o jornalismo.

No comments

Add yours

Deixe uma resposta

Close