playlist de viagem para os estados unidosWilmaVdZ via Shutterstock

Playlist de viagem para os Estados Unidos: canções da América do Tio Sam

Há maneiras e maneiras de se montar uma playlist de viagem para os Estados Unidos. Fazendo uma fina seleção de rock, blues, jazz, hip hop, soul, R&B e country – gêneros nativos, alguns deles a essa altura tão globais – é uma delas. É possível ser ainda mais cirúrgica e fazer uma costura entre música e geografia. Pegando esses mesmos gêneros, por exemplo, dá para ligar o blues e o country ao essencialmente musical Tennessee, o jazz a New Orleans, o hip hop à treta costa leste x costa oeste. Dá para ainda ser bem poética, como foi a Brooklyn Magazine. A revista criou um mapa musical dos Estados Unidos a partir de músicas que evocam a identidade de cada um dos 50 estados.

Eu fui pelo caminho óbvio. Escarafunchei o Spotify atrás de músicas que traziam “America” ou “United States” no nome. Canções sobre a ~América~. Achei que era a melhor forma de encarar esse gigante – na geografia, na política, na economia e na influência, para o bem e para o mal. E vamos combinar: não há como ignorar este país se você é um ser humano nascido no planeta Terra na segunda metade do século XX em diante. Essa playlist foi, então, como se eu tivesse me virado para os Estados Unidos e dito: please, introduce yourself to me.

Ok, tem algumas exceções que não levam America ou United States no nome, mas que não poderiam ficar de fora. É o caso de “This Land Is Your Land”, clássico folk de Woody Guthrie dos anos 1940. Dando um salto no tempo, “Formation”, uma ode moderna da nossa queen Beyoncé à afro-américa. Só aceitem que  é uma versão remix, e não a original, porque Lemonade ainda não está no Spotify.

Do folk ao hip hop, 41 canções da América na nossa playlist de viagem para os Estados Unidos

A julgar pelo resultado final da playlist, essa apresentação foi tão vasta quanto o próprio território. Separei 41 músicas que passam pelo blues, soul, jazz, country, hip hop, pop e rock (em suas várias variantes). Tem canções do tipo exaltação. Porque se a gente aqui tem sambas-exaltação, como “Aquarela Brasileira”, eles têm ~country exaltação~, como “This Land is Your Land”. Tem canções de protesto, de patriotismo, que tratam do sonho americano, de american girls, women, boys e men. Tem até o hino, em duas versões, de Jimi Hendrix e Whitney Houston. Não é por acaso. Antes de ser elevada ao status de hino, “The Star-Spangled Banner” era apenas uma canção popular escrita pelo poeta amador Francis Scott Key.

Festivalando na casa do Tio Sam

Garimpar e organizar essa vastidão de músicas numa playlist (deixei um MONTE de fora) me remeteu à organização da minha viagem para os Estados Unidos. Não é segredo pra ninguém como este é um país imenso. Mas quando você pega o mapa para começar a traçar rotas e planejar logística, chega a ser exaustivo. Tive que adiar para uma outra viagem alguns roteiros porque certas distâncias são simplesmente longas demais (de carro ou ônibus), caras demais (de avião), demoradas demais (de trem – esqueça a velocidade dos trens europeus).

Mas o fato é que ao fim eu cheguei a uma playlist final, assim como cheguei a um roteiro de viagem final, com uma certa ajuda do destino. O Festivalando vai para a Califórnia ver um “showzinho” do U2, a Joshua Tree Tour. Depois segue para Nova York, com festivais em dobro (para compensar a ausência de um festival no roteiro californiano). Vamos ao Governors Ball e Northside Festival. Se der tempo, ainda vai ter uns flashes de Washington, terra fértil para a cena punk estadunidense. Tudo isso merece playlists separadas, mas por hora vamos nos concentrar na nação como um todo.

Pra não perder as próximas playlists que vão fazer nossa trilha nos Estados Unidos, entre no Spotify e siga a gente 😉 O roteiro do Festivalando nos States em detalhes você vê aqui.

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba nossas dicas, histórias e novidades de viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Priscila Brito

Sou jornalista e melômana, não sei se nessa ordem. Coleciono ingressos de shows desde 2001. Agora também coleciono pulseiras de festival e carimbos no passaporte. Além de uma das mães do Festivalando, sou colaboradora da Mixmag e do Brasil Post e autora do Porque eu gosto de música. Também ajudei Paul McCartney a falar uai em pleno Mineirão.

No comments

Add yours

Deixe uma resposta