Nummirock 2016: Uma fantástica aventura no meio da floresta e dos lagos

Quem é [email protected] [email protected] uma vez sempre  quer voltar! Fato é que a nossa querida Sandra Nunes, ou Sandra Luna Steele virou sócia de carteirinha aqui da seção! Sandra foi a mais um festival de metal e veio aqui contar para a gente. Dessa vez, diretamente da Finlândia ela relata come é ir ao Nummirock.

Nummirock 2016: Uma fantástica aventura no meio da floresta e dos lagos

Por Sandra Nunes

Photo: Carolina Dávila

Photo: Carolina Dávila

Eis aqui mais um destino para figurar na lista dos festivais europeus: Finlândia, terra dos mil lagos e de fantásticas florestas e claro, do heavy-metal e seus inúmeros festivais, quer sejam indoors ou outdoors, se bem que estes últimos têm estado a dominar a cena com maior projecção, casos do Tuska, Jalometalli, Provinssirock, Ilosaarirock, mas vou relatar-vos como foi a experiência de acampar naquele que é o meu festival favorito na Finlândia, faça sol ou faça chuva, o Nummirock .

Desde 2006 que comecei a frequentar festivais finlandeses, consoante os seus cartazes, e houve um que logo no início me cativou, o Nummirock, devido à sua localização, condições e claro, os mais variados line-ups dentro do metal. O Nummirock foi criado em 1987 com o intuito de celebrar o Midsummer (Juhannus, em finlandês) na pacata localidade de Kauhajoki, e situado em Nummijärvi, distando cerca de 330 kms da capital finlandesa, Helsinki, e completou este ano o seu 30º aniversário com um cartaz de luxo à altura.

 

27816359342_7cb848186c_z

 

Sobre como chegar a Nummijärvi, existem várias opções, para quem chega do aeroporto de Helsinki, pode seguir directo de comboio para o centro e aí apanhar um autocarro da excursão para o festival, organizada pela Heavy Metal Tampere ry , com paragens em Hämeenlinna e Tampere; ou apanhar o trem  até Seinäjoki e aí ter autocarros devidamente identificados das companhias de transportes Urpolan Liikenne e aqui e Jari Kaari  com destino ao festival; ou melhor ainda, se tiverem amigos residentes na Finlândia com transporte próprio e dispostos a partilhar viagens e aventuras em caso de ida para o festival, porque não aproveitar esta oportunidade única?

 

DSC_0558

 

Chegados ao festival, é hora de trocar os bilhetes pelas pulseiras caso as bilheteiras já estejam abertas, ou apresentar os bilhetes na entrada do camping e montar as tendas e estacionar a viatura ao pé das mesmas, relembro que a localização do mesmo é no meio da floresta e próximo de lagos, portanto, temos um belíssimo cenário e se o tempo permitir, convém experimentar a sauna e de seguida dar um mergulho no lago Nummi.

 

DSC_0617

 

A entrada no camping é muito bem controlada e vedada, sendo apenas permitida a quem tenha pulseira, válida por um dia ou para os dias todos do festival; os WCs são constituídos por cabines portáteis ou de madeira e estiveram razoavelmente limpos e sempre com rolos de papel higiénico disponíveis, pelo menos das vezes que frequentei, pois já vinha preparada para o pior, mas nem por isso; o mesmo posso dizer das cabines de madeira disponibilizadas para os duches, tive a sorte de encontrar água com temperaturas entre o quente e morna, para além das cabines com lavatórios e com espelhos, óptimos para escovar os dentes e tratar do make-up.

Mas nunca é demais relembrar que convém vir preparado exactamente como vim para o Vagos Open Air , embora neste caso, tenha conseguido trazer a minha própria tenda, para ter um pouco de privacidade, ainda que tenha corrido tudo bem e que tenha estado em boa companhia nos grelhados e nas bebidas; levar sempre alguma comida e bebida, algum dinheiro, e produtos pessoais essenciais é importante pois o supermercado mais próximo do festival fica a 25km, assim como o ponto ATM, em Kauhajoki.

 

DSC_0556

 

Quanto à alimentação, no que se puder poupar, melhor, embora a zona do camping e a área do festival tivessem tendas suficientes para os comes e bebes, com preços entre os 3,50 e os 10€, dependendo do menu, eu experimentei uma pizza individual por 3,50 na Relaamo Loungue dentro da área do festival e não foi mau. As bebidas rondavam entre os 3€ e os 12€, só para terem uma estimativa, mas atenção que os preços incluem depósito, ou seja, quando se entregam as garrafas latas, é devolvido o respectivo valor, neste caso era um 1€ por cada entrega. Não perdi a minha chance de celebrar o Midsummer com um gostoso lonkero de frutos vermelhos, hehe.

Muito bem organizado e dotado de excelente segurança, tanto no camping e na área do festival, o Nummirock é um festival que vale a pena ser visitado, este ano foi a minha quarta vez e espero voltar numa próxima edição, se o cartaz for favorável.

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba sempre nossas dicas, histórias e novidades sobre viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Festivalando

Festivalando é o primeiro site brasileiro sobre viagens para festivais de música. Viajamos o mundo todo para oferecer um mix de dicas, ferramentas, relatos, informação e opinião sobre o universo dos festivais.

No comments

Add yours

Deixe uma resposta

Close