Imagem: Governo do Estado do Ceará

Aprendendo cearês #podcast

Ei,mã! Tá na hora do meu leriado aqui com vocês, carniçada! 😉 A gente não se cansa de falar que ir para festival é uma experiência única – tudo novo: chão, cheiro, formas, sabores, pessoas. E também idiomas. E não pense que você precisa ir para festivais fora do Brasil para entrar em contato com outras línguas. Nossa cultura é tão rica que não faltam dialetos. E no Ceará, um dos estados mais bonitos do Nordeste, fala-se cearês!

Como não se vive só de praia e metal, durante a edição desse ano do ForCaos eu me dediquei ao aprendizado dessa língua engraçadíssima. Entre um intervalo de show e outro, eu me intrometia no meio das conversas e botava o maior boneco para ter uma tecla sap ali! Descobri as metáforas mais sagazes, figuras de linguagem intrigantes e uma imensa habilidade de colocar o R no lugar do V! Ah, cabra réi! (seria cabra véi?!).

Cearense é tão específico que até as partes do corpo humano ganham outro nome por lá, um mais bizarro que o outro:

expressoes

E esse idioma é tão sério que tem até dicionário e tudo mais, igual a esse aqui:

dicionario de cearês

Eu tenho estudado um pouco a cada dia. Percebo que tenho melhorado, mas para ser fluente mesmo em cearês, acho que a única saída é fazer um curso na praia, daqueles que levam bem tempo, sabe? 😉

Aqui nesse dicionário online você pode ir se inteirando de uma expressão a cada dia, até chegar o momento do curso na praia, hahaha http://dicionariodoceara.openbrasil.org/

E para aprender se divertindo, aqui o nosso podcast, com um curso relâmpago e introdutório de cearês! Dei o maior 10 para esse podcast, hahaha =D

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba sempre nossas dicas, histórias e novidades sobre viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Gracielle Fonseca

Não faço nada na vida sem paixão. Tanto que, pra me formar em Jornalismo, tive que fazer com 2 colegas um TCC sobre metal, o Ruído das Minas: a origem do heavy metal em BH. Também decidi que faria o primeiro documentário sobre as Mulheres no Metal, o Women in Metal, e fiz. Foi por paixão também que larguei um emprego público, para me aventurar pelo mundo dos festivais com a Pri.

3 comments

Add yours

Deixe uma resposta

Close