túmulo billie holidayBillie Holiday. Ph: Sergey Goryachev via Shutterstock

8 túmulos de artistas da música para visitar nos Estados Unidos

Para algumas pessoas pode parecer um tipo de obsessão mórbida. Para outras, como a gente, visitar túmulos de artistas da música é turismo musical – uma forma de conectar nossa passagem por um país com a história e cultura musical que ele pode oferecer. Não poderia ser diferente com os Estados Unidos. Aproveitando que a Pri está por lá, resolvemos fazer uma lista dos túmulos de artistas da música nos Estados Unidos que você deveria visitar.

Claro, os Estados Unidos possuem um território bem extenso. Mas, pode ser que em alguma parte da sua viagem seja possível fazer uma conexão musical com o além. Alguns túmulos são verdadeiros pontos de peregrinação, onde fãs deixam mensagens emocionantes, vão até lá para chorar, arrancar pedaços, beber com o ídolo etc. Além disso, existem túmulos que foram construídos com estátuas ou até mesmo monumentos muito bonitos. Certamente vale a pena visitar:

1. Jimi Hendrix -Renton / Seatle

túmulo jimi hendrix

Jimi Hendrix Grave . PH: Nolleks86 via Shutterstock

Caso você faça uma visita à Seatle, aproveite para ir em Renton. A primeira parada deste turismo musical fúnebre vai ser mais ou menos a 11 milhas de Seatle,em um lugar chamado Greenwood Memorial Park, onde se encontra sepultado Jimi Hendrix. O ídolo possui um memorial separado para ele, uma vez que a constante visita de fãs alucinados deixou preocupada a administração do cemitério. Havia um constante temor de que os fãs de Hendrix pudessem fazer um pouco de bagunça com os túmulos dos demais, reles inquilinos. Neste mesmo cemitério também estão enterrados os pais de Hendrix.
O Túmulo é bem interessante. Além de ter uma estátua de Hendrix e sua companhaeira Fender Stratocaster, na base dos pilares que sustentam a estátua estão os autógrafos do rei da guitarra.

2. Kurt Cobain – Seatle

Não é exatamente um túmulo, pois Kurt foi cremado, tendo suas cinzas jogados no rio Wishkah, em Washington. Porém, o Viretta Park, em Seatle, tornou-se um lugar de peregrinação de fãs. Assim, já que está de passeio pela cidade, não custa dar uma passadinha lá. E se for fã, prepare a caneta de tinta permanente: os bancos do parque viraram memorais ao músico. Em cada um se podem encontrar mensagens grafitadas com “parque do Kurt” e “Come as you are”, entre versos e outros dizeres que lembram mr. Cobain.

3. Billie Holiday – Nova York

Diva, voz belíssima, cantou sua dor enquanto poderia suportá-la. Billie Holiday, uma das cantoras de jazz mais conhecidas de todos os tempos teve uma infância difícil. Abandono, violência sexual e pobreza extrema que a levou a lavar chãos de prostíbulos. Após trilhar um caminho difícil até seu estrelato, despontou como grande talento musical, tornand0-se icônica no jazz. A cantora morreu em 1959, por complicações hepática e se encontra sepultada no Saint Raymonds Cemetery New, Bronx, Nova Iorque.

4.Elvis Presley – Memphis

Em agosto de 1977, o rei do rock deixou o mundo perplexo. Uma das mortes mais enigmáticas da história da música, em meio a uma carreira de grande sucesso, altos e baixos. A saúde de Elvis não era das mais bentas, por todos excessos, abuso de álcool e medicamentos. Foi encontrado morto no banheiro de sua mansão, Graceland. Oficialmente, tratam a causa da morte como um colapso fulminante associado a uma disfunção cardíaca.

Túmulo de Elvis Presley

Túmulo de Elvis Presley, em Graceland. Ph: photosounds via Shutterstock

Foi um dos funerais mais marcantes e amplamente divulgados em toda a nossa cultura. Floriculturas já não tinham mais estoque, linhas telefônicas estavam congestionadas, meios de comunicação de todo o mundo envolvidas no evento que comoveu milhares. Os túmulos de Elvis e seus pais podem ser visitados na mansão, Graceland, Memphis. Lugar de peregrinação mais do que necessário para os fãs de rock.

5. Johnny Cash – Hendersonville

Um dos maiores nomes da música country americana e mundial. “O homem de preto”, como era chamado, Cash se foi seis meses depois da morte de sua esposa, June Carter, em setembro de 2003. O cantor foi enterrado ao lado de sua amada, em um cemitério de Hendersonville, no Tennessee. Muita gente atravessa as montanhas do estado só para chegar a este cemitério e prestar suas homenagens a este grande artista.

6. Janis Joplin – Westwood

Não se trata necessariamente de um túmulo ou memorial. Trata-se do local onde foi cremada Janis Joplin, no estado da Califórnia. O Westwood Memorial Park é um lugar menos comum de visita dos fãs, uma vez que não possui nenhum marco dedicado à cantora. Mas quem é fanático o suficiente, sabe que tem seu valor visitar as instalações do local onde a cantora fora cremada. A cantora foi encontrada morta em um quarto de hotel, por overdose de heroína, em outubro de 1970. As cinzas de Janis foram jogadas no oceano pacífico.

7. Michael Jackson – Glendale

Em Glendale, Califórnia, encontra-se o túmulo do rei do pop, Michael Jackson. O nome do cemitério é Forest Lawn Memorial Park. O cemitério também é super famoso pelas sepulturas de célebres hollywoodianos, tais como Humphrey Bogart, Sammy Davis Jr., Clark Gable, e Elizabeth Taylor.
Certamente, a sepultura de Michael é uma das mais visitadas neste cemitério. Sempre cheia de flores e fãs.

8. Frank Sinatra – Cathedral City

Também na Califórnia, porém em Cathedral City está enterrado o eterno “Blue eyes” Frank Sinatra. Cantor, ator e produtor americano, de grande influência internacional. Carismático, Frank deixou a vida em maio de 1998. Foi enterrado em uma sepultura junto a seus pais, no Desert Memorial Park. A lenda conta que o cantor fora enterrado com uma garrafa de Jack Daniels e um pacote de cigarros Camel. Na pedra de sua sepultura foi gravada sua frase “The best s yet to come”.

Gostou deste post? Temos muito mais pra você!

Receba sempre nossas dicas, histórias e novidades sobre viagens para os melhores festivais de música do mundo.

Compartilhe este post

Foto de perfil de Gracielle Fonseca

Gracielle Fonseca

Não faço nada na vida sem paixão. Tanto que, pra me formar em Jornalismo, tive que fazer com 2 colegas um TCC sobre metal, o Ruído das Minas: a origem do heavy metal em BH. Também decidi que faria o primeiro documentário sobre as Mulheres no Metal, o Women in Metal, e fiz. Foi por paixão também que larguei um emprego público, para me aventurar pelo mundo dos festivais com a Pri.

No comments

Add yours

Deixe uma resposta