sweden rock stageSweden Rock. Photo: Maria Johansson

5 motivos para ir ao Sweden Rock

O Sweden Rock tem mais de 20 anos de história e é um dos festivais mais importantes e populares do verão europeu. Com um mix de rock clássico, hard rock e metal, ele abre a estação dos festivais de verão por aqui, entre os dias 3 e 6 de junho, em alto e bom som. Apesar de ter uma veia ligada ao hard rock um pouco mais pulsante, nos últimos anos o festival tem trazido variadas atrações dos mais diversos gêneros correlatos.

Localizado ao sul da Suécia, ainda bem próximo dos vizinhos dinamarqueses, o festival é famoso pela organização impecável e qualidade do line up. Apesar de não ser um dos festivais mais baratos, pelo fato de cobrar ingresso, camping e shuttle bus separadamente em vaaaaarias coroas suecas, todo mundo diz que é um “investimento” que vale a pena. Para tentar nos convencer e também a vocês, separamos aqui uma lista de 5 motivos para ir ao Sweden Rock em 2015:

Organização

Trata-se de um dos festivais com melhor organização e estrutura, de acordo com o público festivaleiro europeu – tenho lido em muitos fóruns que o festival sempre é muito impecável. Pontual, seguro e limpo. Inclusive, eu separaria como um dos motivos o que eles destacam na página esse ano: nada de banheiro químico! O festival preza pelos limpos e funcionais banheiros de água corrente! Eles também comentaram que aumentaram para esse ano o número e a variedade de barracas de comida, com o objetivo de atender melhor e reduzir as filas. Para garantir o conforto e que os festival goers não sejam explorados pelos táxis, a organização fez acordos, padronizou preços. Além disso, há uam vasta oferta de shuttle bus para atender aqueles que vão para as estações ou alguns campings específicos.

sweden rock

Segurança e organização. Camping Sweden Rock. Photo: Maria Johansson

 

Line up de respeito

Judas Priest, Mötley Crüe ( que faz show único na escandinávia nesse verão), Def Lepard, Dokken, Ghost (!) e mais um tanto de artistas fodas que compõem as 90 atrações. Além disso, eles trazem alguns clássicos, clássicos, clássicos do rock, por exemplo Pat Travers Band e ToTo, é mole? Já estou até me vendo cantando o refrão de “Africa”, hahaha, It’s gonna take a lot to drag me away from you… lalalalala…

sweden rock line up

 

Ambiente tranquilo

Os suecos têm orgulho e gostam de frisar que o SDR traz um dos ambientes mais saudáveis dos festivais em toda a escandinávia. Segurança e respeito que fazem as pessoas todos os anos voltarem com família, filhos, cachorro, papagaio… Além disso, você pode contar com o fato de que vai ver muita gente bonita… (os suecos/suecas em si bem que poderiam ser um motivo, hehehehe).

Sweden Rock. Photo: Mingel Annie Kempe

Sweden Rock. Photo: Mingel Annie Kempe

É na escandinávia!

Como vocês já estão cansados de saber aqui, por meio dos nossos relatos, escandinávia e paraíso é quase sinônimo, caso não consideremos o fator gasto de grana ( afinal, é muito difícil gastar nossas dilmas nos padrões da rainha Sílvia). Transporte público em vasta oferta, pontual, limpo e vazio; segurança de andar pelas cidades sem se preocupar com violência ou se vão te roubar;

solvesborg

Ponte de Sölvesborg. Photo:Oskar314

Também vale a nota de que você vai conhecer Sölvesborg e arredores. Pelas fotos e relatos, dá para ver que a cidade é uma gracinha!!

Um público fiel e animado

Muita gente já disse: a metaleiragem sueca faz bonito. Não costuma ser um pessoal paradinho como é o do Roskilde – afinal, também falamos de um festival focado apenas em um gênero e em que não necessariamente os outros dias são festas sem limites. Pois bem, nós brasileiros gostamos de nos juntar a públicos calorosos e animados. Portanto, essa é uma ótima causa!!

sweden rock

Público Sweden Rock. Photo: Stefan Johansson

E aí, bora para a Suécia?

 

Info

Onde: Sölvesborg, Suécia

Quando: 3 a 6 de Junho de 2015

$ 2640 coroas suecas p/4 dias

Mais: http://www.swedenrock.com/

Compartilhe este post

Gracielle Fonseca

Não faço nada na vida sem paixão. Tanto que, pra me formar em Jornalismo, tive que fazer com 2 colegas um TCC sobre metal, o Ruído das Minas: a origem do heavy metal em BH. Também decidi que faria o primeiro documentário sobre as Mulheres no Metal, o Women in Metal, e fiz. Foi por paixão também que larguei um emprego público, para me aventurar pelo mundo dos festivais com a Pri.

2 comments

Add yours

Deixe uma resposta